SOCIEDADE

Elas fazem a festa

Com agendas valiosas, as promoters agora agitam as produções particulares

Por: Carla Knoplech - Atualizado em

sociedade-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em seu aniversário de 46 anos, há três semanas, a empresária Ana Lucia Coutinho realizou um sonho antigo. Ao menos por uma noite, virou rainha de bateria de uma escola de samba. A apoteose da festa foi sua entrada no salão com um vestido dourado coruscante, à frente de um grupo de ritmistas da Grande Rio, exibindo uma desenvoltura para Gracyanne ou Viviane nenhuma botar defeito. Foi um alvoroço na plateia - no caso, os 130 convidados reunidos na gigantesca mansão da aniversariante, na Barra, com 900 metros quadrados de área. Seu desejo se concretizou graças à intervenção providencial da promoter Ana Paula Barbosa. Foi ela quem cuidou de tudo relativo ao embalo, que custou 50?000 reais - lista de presença, bufê, decoração, bar, DJ, manobristas e recepcionistas -, além de ter contratado a bateria da agremiação de Duque de Caxias. ?Sugeri inclusive o vestido de paetês e o tamborim usados por ela, para a experiência ficar completa?, conta Ana Paula, que é muito requisitada pela alta-roda da Barra para esse tipo de evento.

Promoters são agitadoras profissionais que, até pouco tempo atrás, tinham clientela praticamente limitada a pessoas jurídicas. Na prática, eram contratadas para organizar festas ligadas a alguma empresa, como a inauguração de um ponto comercial, o lançamento de uma marca, ou para badalar os grandes camarotes na Marquês de Sapucaí. De uns tempos para cá, no entanto, elas ampliaram suas atividades e passaram a atuar fortemente também em festas particulares. A relações-públicas Isabela Menezes é uma das precursoras do filão. Aos 43 anos, atingiu um status em que se dá ao luxo de escolher os clientes. Como ela desfruta excelente trânsito entre personagens famosos, seu mailing é um patrimônio valioso. Reúne mais de 8?000 nomes, numa lista em que despontam os atores Rodrigo Santoro, Selton Mello e Fernanda Vasconcellos, empresários e socialites. ?Segmentei a minha lista de contatos e tenho métodos para atingir todos os públicos?, explica Isabela, que começou sua vida profissional com Ricardo Amaral e hoje costuma atender figuras como a atriz Letícia Birkheuer e o empresário Hélio Viana, anfitrião de embalos memoráveis em sua mansão no Joá. A diversificada agenda de Isabela é determinante para seu sucesso, cuja receita, segundo a própria, está na elaboração da lista de convidados. ?O ponto perfeito de uma festa se dá quando existe um mix de pessoas bacanas?, afirma.

sociedade2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

No mecanismo desse jogo de interesses, as três partes envolvidas têm tudo para sair satisfeitas: o cliente vê sua festa bombar, a promoter fatura um bom dinheiro e o convidado se diverte a valer sem gastar um tostão. A jornalista e publicitária Alessandra Amaral, outro forte nome no ramo, virou referência quando o objetivo é abarrotar um lugar de mulheres bonitas e sofisticadas. ?É só algum homem importante da cidade ficar solteiro que sou contratada para organizar uma grande reunião para ele?, revela, com humor. Ela é a preferida do empresário e homem-baile Ricardo Rique, conhecido pelos embalos frequentes que banca em seu apartamento, escancarado para o mar do Arpoador. Recentemente, Alessandra esteve à frente de superproduções para o empresário Fernando Cavendish, um rega-bofe para 1?200 pessoas em Itaipava, e para o financista Marcelo Birmarcker, em sua residência, no bairro de São Conrado. Essa última, com certeza, inesquecível. ?Contratei garçons que eram modelos, botei mulheres penduradas em tecidos e gente andando com perna de pau?, descreve. ?Tudo é possível.?

sociedade3.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

As ideias para incrementar o agito, muitas vezes um tanto tresloucadas, podem vir de ambos os lados. Ao ser contratada pela estilista Giulia Borges para produzir uma balada em sua casa, no Jardim Botânico, a relações-públicas Ticiana Szapiro recebeu um pedido complicado: a anfitriã queria total liberdade para pôr o som a todo o volume. Como não havia isolamento acústico no imóvel, ela arrumou um jeito de atenuar os previsíveis impactos na vizinhança. ?Mandei orquídeas e caixas de bombons para todos os moradores em volta?, lembra ela, que exagerou nos mimos. ?Cheguei a oferecer a eles um fim de semana em resort para que deixassem suas casas.? É por encarar saias justas assim que as promoters cobram caro por seus serviços. O pacote completo, que vai da escolha do som ao champanhe, dos seguranças ao DJ, custa no mínimo 8?000 reais. Circular pelas festas mais badaladas da cidade tem inegável charme. O ofício escolhido por Ana Paula, Isabela, Ticiana e Alessandra, porém, acarreta mais fadiga que glamour. Durante o dia elas pegam pesado para que à noite não haja surpresas desagradáveis. Um bom preparo físico, portanto, é pré-requisito para a função. ?Malho de segunda a sexta?, diz Ana Paula, que tem sempre à mão um kit beleza, com salto alto e maquiagem. ?Diariamente vou a muitos lugares para encontrar as pessoas que prestigiam minhas festas?, explica. E elas não são poucas.

Fonte: VEJA RIO