COTIDIANO

Governo quer endurecer Lei Seca com multas de até R$ 3.800

Além disso, proposta enviada ao Congresso prevê detenção de seis meses a três anos

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

Fernando frazão
(Foto: Redação Veja rio)

O governo federal quer endurecer a fiscalização da Lei Seca. Em projeto de lei enviado ao Congresso, um novo conjunto de regras prevê multa de até R$ 3.830. Em outra mudança que promete polêmica, depoimentos de testemunhas, fotos e vídeos poderão ser usados como prova para enquadrar o motorista alcoolizado. Quem for apanhado pela blitz e aparentar embriaguez também poderá ser submetido a exames clínicos e perícia médica. Segundo o governo, são formas de condenar o infrator através de outros meios além do teste do bafômetro, instrumento utilizado como parâmetro atualmente.

Ao enquadrar anônimos e famosos, Operação Lei Seca impõe a ordem nas ruas da cidade

A mudança também vai acabar com a margem de álcool aceitável no sangue. O que reduziria a tolerância atual, de 6 decigramas po litro, para zero. Já as multas para motoristas embriagados vão dobrar, passando dos atuais R$ 957,65 para R$ 1.915,30. Caso o infrator seja reincidente em um prazo de até dois anos, a cobrança alcançaria R$ 3.830,00. Além disso, o motorista terá sua carteira suspensa e poderá perder o direito de voltar a dirigir. Quem for pego pela Lei Seca também estará sujeito a detenção por um período de seis meses a até três anos.

Veja também: Dez celebridades, como Cláudia Raia e Danielle Winits, paradas pela Lei Seca

Fonte: VEJA RIO