SUSTENTABILIDADE

A programação da Rio+20 no final de semana

A conferência das Nações Unidas acabou nesta sexta (22), mas o fim de semana terá uma série de eventos sobre sustentabilidade. Confira nossa seleção com oito opções e programe-se

- Atualizado em

Alexandre Macieira/Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Aqualume. Projeções de curtas sobre o meio ambiente são feitas em um espelho d'água com 600 metros quadrados, na Lagoa Rodrigo de Freitas. Nesta sexta (22), partir das 19h, haverá shows de mágica no espaço. A programação também conta com apresentação do violonista, cantor e compositor Matheus Von Krueger.

Onde: Parque Cantagalo, Lagoa. Das 19h às 23h.

Amazônia, Ciclos da Modernidade. Criação de artesãos de Parintins, uma grande árvore com animais da floresta, além de pés de açaí e guaraná, dá as boas-vindas aos visitantes na rotunda. A instalação é uma das atrações da alentada mostra, que reúne cerca de 300 peças, entre obras de arte e objetos variados. Técnicas e suportes usados são os mais diversos: há fotografias, pinturas, aquarelas, desenhos, esculturas e vídeos. Entre os 76 artistas reunidos há nomes de nacionalidades e épocas distintas. Do italiano Joseph Léon Righini (c.1820-1884) foram escolhidos os óleos Vistas do Brasil, Residência às Margens do Rio Anil, de 1862, e Belém do Pará, de 1868.

Onde: Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 22 de julho.

Fernando Maia/Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Brasil Cerrado.O artista goiano Siron Franco exibe, até sábado (23), no Museu de Arte Moderna, sua videoinstalação sensorial, que leva o visitante a conhecer a fauna e a flora do Cerrado. Em uma das salas, o espectador pode observar a projeção de uma cachoeira, enquanto sente o cheiro de terra molhada e ouve o barulho da água caindo.

Onde: Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, tel. 2240-4944. Sábado, 11h às 19h. Grátis.www.mamrio.com.br.

Luz na Cidade. Festival que acontece até o dia 29 de junho, ilumina com formas e cores 15 prédios históricos entre a Praça Tiradentes e a Lapa. Entre os que vão sofrer intervenção estão a Câmara Municipal, a Escola de Música da UFRJ e o Museu Nacional de Belas Artes.

Meu Meio. Fechado desde 2010, o Museu do Meio Ambiente reabre com o térreo inteiramente dedicado a atrações fixas. Entre elas, a sala com o programa educativo para crianças e computadores nos quais é possível acessar o banco de dados do Jardim Botânico, onde fica o museu. O 2º andar abriga mostras temporárias, como Meu Meio. São apresentadas instalações interativas que têm como tema a relação entre o homem e a natureza. Uma delas é a Sala Efeito Borboleta, um experimento com raios laser e projeções na parede que mostra como nossos atos interferem em problemas como a desertificação

Onde: Museu do Meio Ambiente. Rua Jardim Botânico, 1008 (Jardim Botânico do Rio de Janeiro), Jardim Botânico, 3874-1808. Terça a domingo, 10h às 17h. Grátis. Até 12 de agosto.

O Futuro Que Queremos. O principal módulo da mostra, chamado Caminhos do Desenvolvimento Consequências e Soluções, apresenta 87 registros em preto e branco de nove fotógrafos: Alixandra Fazzina, Francesco Zizola, Jan Garup, Jon Lowenstein, Kadir Van Lohui-Zen, Nina Berman, Pep Bonet, Stanley Greene e Yuri Kozyrev. Em cartaz até sábado, a mostra tem imagens que mostram os efeitos devastadores das mudanças climáticas sobre o planeta e algumas soluções sustentáveis para minimizar os problemas.

Onde: Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, tel. 2240-4944. Sábado (23), das 11h às 19h. Grátis. www.mamrio.com.br.

Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Oceanos. Trinta e cinco fotos inéditas, captadas pela equipe de realização do documentário francês Océans (2009), de Jacques Perrin e Jacques Cluzaud, integram a mostra. Nos registros, baleias da espécie jubarte e elefantes-marinhos, entre outros animais, convivem com bichos exóticos, como um peixe shrek, que tem o crânio inchado, e uma espécie de ancestral da iguana. As imagens foram feitas com três câmeras especialmente desenvolvidas pela equipe.

Onde: Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, tel. 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 1º de julho. www.correios.com.br.

Yann Arthus-Bertrand. Fundador da primeira agência de imagens aéreas do mundo, o francês de 66 anos adotou o olhar das alturas para registrar inúmeros cantos do planeta em mais de sessenta livros e no documentário Home (2009). A abordagem é retomada em A Terra Vista do Céu, mostra que ocupa toda a Praça Floriano, na Cinelândia. Exibidas em grandes painéis, 126 fotos revelam ângulos originais de dezenas de países de todos os continentes, incluindo o Brasil. Por fim, há uma estrutura fechada onde são realizadas atividades de reciclagem para crianças, enquanto é exibido o filme Home.

Onde: Não há horário de visitação, mas o palco com o mapa e o espaço onde é apresentado o documentário só são abertos ao público de 9h às 19h. Praça Floriano. Centro, Cinelândia. Até domingo (24).

Fonte: VEJA RIO