EDIÇÃO DA SEMANA

Mundo Animal

Por: Letícia Pimenta - Atualizado em

Disque-limpeza

foto Fernando Frazão
(Foto: Redação Veja rio)

Dar banho no cachorro ou no gato em casa costuma ser uma chateação para o dono, seja por falta de tempo, estrutura ou paciência. Se a assepsia é feita numa loja, aí quem pode ficar estressado é o bicho. Para evitar essas amolações, foi criado em São Paulo o PetShop Móvel, que acaba de chegar ao Rio. Trata-se de uma van especialmente adaptada para as funções de banho, tosa, hidratação e até tintura de pelo, equipada com tanque de água, secador e gerador de energia. Basta telefonar para a empresa e agendar o atendimento na porta da residência. A única exigência do proprietário, Ricardo Carvalho, é que o cliente disponha de um local para estacionar o veículo. Os serviços variam de 30 (banho simples para cães de pequeno porte e pelo curto) a 100 reais (que inclui hidratação para cachorros grandes). Por 35 reais, os gatos também podem desfrutar a mordomia. ☎ 9868-5913/8430-4484/7323-3481.

Firme, mas com carinho

foto Marcos Morteira
(Foto: Redação Veja rio)

Cães pouco treinados para andar na rua dão trabalho durante o passeio diário. De olho nos bichos rebeldes que arrastam o dono ao caminhar, a empresa carioca Zee.Dog - pertencente aos irmãos Thadeu e Felipe Diz, ambos formados em hotelaria, ao economista Rodrigo Monteiro e ao administrador Gustavo Castello Branco - lançou no mercado um modelo especial de coleira. O produto tem uma mola de poliuretano que amortece a puxada do cachorro e evita o tranco tanto no animal quanto em seu dono. Custa 74 reais.

mundo-animal-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Palavra de especialista

Como ensinar o filhote a fazer as necessidades no lugar certo?

"Cães não entendem fatos passados. Por isso, nunca bata neles nem tente corrigi-los se o episódio aconteceu há algum tempo. Duas maneiras costumam funcionar melhor. A primeira é colocar sobre um jornal limpo um pouquinho da sujeira do dia anterior, que servirá de referência. Outro expediente é ficar com o animal durante os horários perigosos sempre na área em que ele pode fazer as necessidades. Depois de três dias, comece a deixá-lo mais solto pela casa. Toda vez que o cachorro utilizar um local errado, retorne para o cômodo liberado." Daniela Prado, treinadora e autora do blog Vida de Cão

Mande a foto do seu pet, uma dúvida para o nosso especialista e saiba mais notícias sobre bichos em abr.io/vida-de-cao

Fonte: VEJA RIO