COTIDIANO

Previsões astrológicas para 2012

A pedido de VEJA Rio, quatro astrólogos revelam fatos e mudanças, bons e ruins, que estão por vir na cidade neste novo ano que se inicia

Por: Daniela Pessoa - Atualizado em

mapa.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fundado no dia 1º de março de 1565, sob o signo de Peixes com lua também em Peixes e ascendente em Gêmeos, o Rio de Janeiro é uma cidade naturalmente exuberante, sensual e eclética. Segundo os astrólogos, as características refletem a posição dos astros no céu no momento em que a metrópole nasceu. "Peixes está ligado à fantasia, ao deslumbramento, enquanto Gêmeos confere traços de versatilidade, jogo de cintura e lábia. Não à toa, os cariocas são conhecidos pela malandragem", explica o astrólogo e antropólogo Dimitri Camiloto. Diz o ditado que os astros não mentem jamais, então que tal uma espiadinha nas previsões para a cidade em 2012? A pedido de VEJA Rio, quatro astrólogos estudaram o mapa astral carioca e revelaram o que está por vir (de bom e de ruim) em diferentes áreas como segurança, economia, turismo, clima e transporte. Veja a seguir.

Segurança

Netuno, o planeta das névoas, está em quadratura com o ascendente do Rio, Gêmeos, desde o ano 2011. Isso significa que aspectos encobertos da cidade, coisas que as pessoas não enxergam, podem vir à tona. "Temos a sensação de que a segurança está melhorando, mas o buraco é mais embaixo. Se por um lado as UPPs amenizaram a situação, por outro a milícia está se fortalecendo", alerta o astrólogo Pedro Tornaghi. De acordo com Glória Britho, os conflitos mais importantes podem acontecer na primeira semana de janeiro. Já a partir de 20 de março, com o ingresso de Áries no Zodíaco, mudanças nas secretarias serão inevitáveis e a burocracia tende a diminuir neste e em outros setores.

A astróloga Leiloca Neves revela ainda que, de outubro em diante, deve haver mais combate à pedofilia ou à prostituição - "Quem sabe por causa de algum fato relevante", avisa. A especialista em previsões recomenda, ainda, que o governo redobre o cuidado com as prisões, bem como com hospitais, orfanatos, creches e asilos. As palavras de ordem são policiamento, prevenção e união.

Segundo Camiloto, a violência da cidade está associada à conjunção Sol-Plutão, que significa ruptura e confronto. "A dimensão violenta do Rio sempre existiu e vai continuar existindo, com mais ou menos força", afirma o astrólogo. Segundo ele, trata-se de uma energia atrelada à fundação da metrópole. "Os portugueses fundaram o Rio em meio a uma guerra com os franceses, que estavam ocupando o território", explica. Mais tarde, quando a cidade se tornou a capital do país, ela assumiu com mão de ferro o controle da nação e era o principal mercado de escravos do Brasil. Mas, apesar de os atos de violência continuarem existindo, o Rio está voltando a ser a Cidade Maravilhosa, se destacando cada vez mais como tal no mundo inteiro.

Turismo

Júpiter, o planeta da prosperidade, no signo de Touro até o mês de junho, favorece as finanças, o turismo, a cultura, o empreendedorismo, a justiça e a publicidade, de acordo com Leiloca Neves. O clima geral é de renovação, facilidade nas relações internas e externas e aumento de popularidade. Portanto, o turismo permanece a pleno vapor no Rio, embora uma certa retração seja observada por Glória Britho no mês de janeiro, em decorrência de fatores climáticos. O auge de visibilidade da cidade começa a partir de julho. "O final da Olimpíada em Londres irá colocar os holofotes do mundo definitivamente sobre o Rio. É quando acontece a passagem simbólica de bastão", afirma Camiloto.

Além disso, o ano começa com Netuno no meio do céu (o que confere grande visibilidade à cidade no exterior) e no signo Peixes, onde o planeta permanece durante os próximos 12 anos. O momento, excelente para a cidade pisciana, é ideal para investimentos no turismo cultural, aquele que coloca em evidência a cultura brasileira. "Por que não criar um museu do samba?", indaga Tornaghi. Tempo há de sobra para transformar a cidade em um polo de cultura único, que vá muito além das mulheres desnudas do Carnaval, da natureza exótica e do réveillon com atrações internacionalizadas.

astrologas.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Trânsito

Eis uma das principais questões de 2012, uma vez que o trânsito tende a se tornar mais intenso, cada vez mais parecido com o de São Paulo. Medidas devem ser tomadas para melhorar o fluxo de veículos, mas com pouco sucesso. Segundo Glória Britho, o número de acidentes pode aumentar em decorrência da conjunção entre Lua e Urano. As obras do metrô também não transcorrem como o esperado, resultado da atividade entre Plutão, senhor dos subterrâneos, e Saturno, deus do tempo e da eterna burocracia. Ainda de acordo com Glória, atrasos e incidentes vão deixar o carioca mais ansioso, e o Bike Rio (programa de aluguel de bicicletas da prefeitura) pode não emplacar.

Já segundo a interpretação de Tornaghi a notícia é boa para os entusiastas da magrela: com Urano na 11ª casa, 2012 tem de tudo para ser excelente no quesito transporte alternativo. "O mar está para peixe para as empresas que quiserem concorrer com o Bike Rio. A bicicleta é a bola da vez", garante Tornaghi. Ainda segundo ele, uma medida positiva para o trânsito carioca seria apostar no transporte hidroviário, como uma barca que ligue a Barra ao Centro. Afinal, Netuno, deus do oceano, está no meio do céu no mapa astral do Rio. Mas, de acordo com Camiloto, grande parte das obras na cidade será mesmo viária. A partir de julho elas devem começar a todo vapor, trazendo um pouco de confusão e transtorno aos cariocas. No entanto, de outubro em diante, tudo indica que o quadro se normaliza.

Previsão do tempo

Da mesma forma que a cidade carrega traços de violência desde a sua fundação, a questão da água também está enraizada no mapa astral carioca. "Muitos não sabem, mas o Rio foi fundado em meio a uma grande tempestade. Vivemos em uma cidade de chuva, muito sensível ao aquecimento global", explica Camiloto. A tendência para 2012 é que o índice de chuvas aumente por conta da ênfase no elemento água no mapa.

Os mesmos aspectos tensos que estavam presentes em 2011 entram em cena entre os dias 3 e 10 de janeiro, coincidindo com o período em que normalmente ocorrem chuvas torrenciais nas latitudes onde ficam as divisas dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. "As consequências poderão ser novamente catastróficas", alerta Glória Britho. Obras de contenção das encostas e limpeza, assim como atitudes responsáveis da população, serão fatores importantes para minimizar os possíveis danos. "Se não podemos evitar as surpresas da natureza, temos que minimizar os efeitos delas", afirma Leiloca Neves.

Economia e custo de vida

Com Netuno em Peixes, o que fortalece o signo da cidade, o céu é o limite. A cidade, que tem recebido forte aporte financeiro desde 2007, ano do Pan, vai continuar sendo alvo de muitos investimentos em 2012. E são graças a eles que vão acontecer as transformações necessárias para a Copa do Mundo e para a Olimpíada. Segundo Glória Britho, o investimento privado, em especial, será maior do que em 2011, e os cariocas podem contar inclusive com padrinhos ilustres.

A previsão é que o dinheiro continue sendo injetado na cidade até 2026, último ano de Netuno em Peixes. "Da última vez que esse encontro aconteceu, no final de 1840, a economia do café cresceu muito e a cidade enriqueceu", conta Camiloto. Portanto, o fortalecimento econômico da cidade vai continuar a passos largos. E o custo elevado de vida também.

Netuno em oposição a Júpiter gera inflação. "A bolha cresce de forma mais lenta, mas cresce", afirma Camiloto. É natural que os preços continuem subindo conforme a cidade se torna cada vez mais fascinante aos olhos do mundo, atraindo turistas e novos moradores. Até março, no entanto, Glória Britho chama a atenção para um possível recuo no valor dos aluguéis. Por falar em imóveis, os cariocas podem estar inclinados a maus investimentos em 2012. "Comprar um agora só porque na Copa, por exemplo, acredita-se que ele vai valer mais pode ser um risco", avisa Tornaghi.

astrologos.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Natureza

O crescimento desordenado da cidade pode trazer problemas de poluição, mas o mapa astral carioca não mostra nada específico. Acidentes e vazamentos podem acontecer, mas nada que aumente os níveis de poluição já existentes. Com Saturno entrando na sexta casa em meados de outubro, atitudes em prol da limpeza devem ser tomadas. "É como quando a casa está imunda depois de uma festa e você, olhando para toda aquela sujeira, percebe que precisa começar a limpar", compara Tornaghi. O momento é bom para correr atrás do prejuízo e reverter os danos ao meio-ambiente.

Artes, entretenimento, cultura e esporte

As artes de modo geral estão sob a influência da atividade do planeta Netuno, que, segundo Leiloca Neves, vai trazer muita fertilidade sobretudo no cinema, na música, na pintura e na dança. Uma avalanche de novos filmes e atores deve projetar o nome da cidade internacionalmente, despertando a curiosidade de turistas e investidores nesse mercado tão fértil.

A partir de março, a relação de Plutão com a lua ajuda a promover a autoimagem dos moradores do Rio. "As pessoas vão experimentar a verdadeira emoção de ser carioca", afirma Tornaghi. Dessa forma, as artes devem refletir a identidade da cidade, com temas como malandragem, chorinho e samba. Urano em sêxtil com Marte revela ainda o aparecimento de novos estilos de arte em sintonia com a cidade. Este aspecto influencia também a educação. Trata-se de um bom momento para reestruturá-la de forma a estimular o intelecto, e não apenas a técnica.

No que diz respeito ao futebol, Glória Britho é enfática: os astros contemplam os times cariocas. "E o destaque fica por conta do Flamengo", garante.

Obras e infraestrutura

A partir de 20 de março, com o ingresso de Áries no Zodíaco, o investimento na infraestrutura é inevitável, mas até julho as coisas tendem a ficar apenas no papel. Só a partir deste mês as mudanças e avanços nas obras se tornam mais aparentes, segundo Camiloto. Trata-se, aliás, de um mês bastante delicado para a cidade, que representa a concretização dos ajustes tanto de infraestrutura quanto sociais para que a cidade se adapte aos novos tempos.

Os astros indicam, no entanto, que o governo vai ficar sobrecarregado com tantos projetos sendo colocados em prática ao mesmo tempo. Por isso, há também forte indício de que as obras serão feitas às pressas, de forma autoritária (uma vez que não haverá tempo para negociações) e com desperdício de recursos. Denúncias de desvio de verba e desapropriações são visíveis no mapa, segundo Camiloto. Mas, a partir de outubro, a situação volta a entrar nos eixos, com maior disciplina tanto da parte do governo quanto da população em prol da organização da cidade.

Já a quadratura de Plutão e Urano indica a necessidade de mais responsabilidade no quesito manutenção da eletricidade, gás e fundações das construções. Segundo Glória Britho, o sistema elétrico carioca pode inclusive sofrer algum tipo de colapso entre os meses de janeiro e março e, depois disso, a partir de novembro. De qualquer forma, uma coisa é certa para a astróloga Leiloca Neves: "Podemos ter mil problemas, mas sempre renascemos das cinzas tamanha é a positividade da Cidade Maravilhosa", afirma. É ver para crer.

Fonte: VEJA RIO