DIVERSÃO

Praia do Perigoso: o novo point do verão

Para fugir do grande movimento da orla da cidade, cariocas fazem passeios a uma das últimas praias selvagens do Rio

Por: Thaís Meinicke - Atualizado em

Cesar Duarte
(Foto: Redação Veja rio)

Durante o verão, com o movimento de turistas a todo vapor, os cariocas quem gosta de aproveitar o dia de praia para relaxar acaba passando por maus bocados. Na orla da Zona Sul, onde ficam as praias mais badaladas da cidade, é difícil até mesmo encontrar um pedaço de areia onde se possa fincar o guarda-sol e estender a canga para relaxar. Para fugir do movimento e aproveitar um dia de paz à beira-mar, muitos cariocas estão descobrindo a Praia do Perigoso, um refúgio selvagem localizado entre Grumari e Barra de Guaratiba em que só é possível chegar por trilha ou de barco.

De perigosa, a praia só tem o nome. Os moradores da região contam que ela começou a ser chamada assim devido à lenda de que teria servido como rota de fuga para presos do antigo presídio da Ilha Grande. Hoje, ela é procurada por surfistas, famílias e grupos de amigos que buscam um passeio diferente na cidade. ?É uma ótima opção de programa, com uma paisagem diferente e clima mais tranquilo do que nas praias que costumamos frequentar?, conta a designer Luiza Cesario, de 24 anos, que esteve na praia pela primeira vez com um grupo de amigas no final do ano passado.

mapa-perigoso.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Para chegar ao local, os visitantes devem ir de carro ou ônibus até Barra de Guaratiba. De lá, o acesso é feito pela Rua Parlon Siqueira, na Praia do Canto. Ao final dela, começa a trilha, que tem cerca de 1,5 quilômetros de extensão. No local, é possível aproveitar ainda outras belezas naturais, como a Praia da Tartaruga ? uma formação rochosa de 101 metros de altura com o formato do animal que é utilizada para a prática de rapel - e as outras quatro praias selvagens da região (Búzios, Meio, Funda e Inferno). Quem tiver vontade de conhecer o recanto natural, mas não tiver disposição para enfrentar a caminhada de 40 minutos também tem a opção de chegar ao local pelo mar. Na Praia do Canto há barqueiros que fazem o transporte por preços a partir de R$ 30.

Como a praia fica localizada em uma área de preservação ambiental, não há comércio ou vendedores ambulantes por sua extensão e os visitantes devem se preocupar em levar o que quiserem consumir durante o dia. Frequentador do local há dez anos, o veterinário Fabio Rocha, 36, faz uma recomendação aos visitantes de primeira viagem: ?levem bastante água!? Ele explica que costuma levar diversas garrafas com água congelada para ir consumindo ao longo do dia. Saquinhos de lixo para recolher os resíduos e ajudar a manter a beleza do local também são muito bem-vindos.

perigoso.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO