COTIDIANO

Pezão e Garotinho trocam provocações e dominam debate

Dois melhores colocados nas pesquisas provocaram o adversário sempre que possível. Atual governador foi alvo de mais críticas de todos os demais candidatos

Por: Luna Vale - Atualizado em

Da esquerda para direita, os candidatos Anthony Garotinho, Luiz Fernando Pezão, Lindberg farias, Tarcisio Motta e Marcelo Crivella
(Foto: Daniela Pessoa)

O debate entre os candidatos ao governo do estado realizado nesta segunda (22) foi marcado por troca de provocações entre o atual governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB) e o ex-governador Anthony Garotinho (PR), os dois candidatos mais bem colocados na pesquisa. Promovido por VEJA e VEJA Rio em parceria com a OAB-RJ e a Faculdade Estácio de Sá, o debate contou com a presença dos cinco candidatos, que responderam a perguntas formuladas por eles mesmos e por representantes das entidades participantes. Além dos dois já citados, Lindberg Farias (PT), Marcelo Crivella (PRB) e Tarcísio Motta (PSOL) também compareceram.

Assista, na íntegra, aos cinco blocos do debate

Com todos os candidatos criticando a atual gestão, o clima esquentou quando Lindberg interrompeu uma resposta de Pezão e ambos discutiram. Ao final, o deputado estadual Marcelo Freixo, chegou a comentar: "Estava vendo a hora que teríamos que instalar uma UPP aqui também". Abaixo, os dez melhores momentos do debate:

 

"O senhor é um despreparado, está aqui para ser o bonequinho do Cabral" - Garotinho, para Pezão."Eu acho que você tem um problema, você tem que sentar em um divã e discutir essa questão com o Cabral, pô." - Pezão, para Garotinho que insistia em compará-lo ao ex-governador Sérgio Cabral.

 

"Nós compramos 20 trens coreanos novos. Aliás, no dia da entrega, o senhor estava lá. Outra crise de amnésia constante, acho que quem está precisando de um divã é você" - Garotinho, respondendo a Pezão."Qualquer dia a gente verá os candidatos como o macacão de Fórmula 1, cheio de patrocínio na roupa. " - Tarcísio, falando sobre doações de campanha."Eu não entrei na política para ganhar dinheiro, eu moro em um apartamento alugado no Flamengo. Ladrão eu não sou não, mas tem gente aqui nessa mesa que é." - Garotinho, ao responder sobre a acusação de que Álvaro Lins teria pedido votos em seu nome."A classe política foi sequestrada pelos interesses das empreiteiras" - Crivella, sobre o preço dos transportes."A política do Rio parece a política do Vasco: olho para o candidado Pezão e é a cara do Roberto Dinamite, enquanto o candidato Garotinho parece o Eurico Miranda" - Lindberg, nas considerações finais."Vocês exportam o bandido, tiram ele de onde está e mandam para Niterói, para Baixada. Eu quero prender bandido" - Garotinho, para Pezão sobre as UPPs na capital."Vai ser um fantoche na mão desse grupo que manda no Rio de Janeiro" - Lindberg, sobre a relação de Pezão com o grupo político do ex-governador Sérgio Cabral."Se tem algum político odiado por empresários do transporte sou eu. Com muito orgulho" - Garotinho, sobre transporte.

Fonte: VEJA RIO