No posto 1

Dez motivos para visitar o Leme

Bairro oferece programas históricos e gastronômicos

Por: Luna Vale - Atualizado em

Colado na agitada Copacabana e no movimentado Botafogo, o Leme é um oásis de tranquildade em plena Zona Sul. Com ruas estreitas e arborizadas, o pequeno bairro abriga moradores que buscam sossego sem estar longe da praia. Com restaurantes tradicionais e área de proteção ambiental, o local oferece inúmeros passeios para os mais variados públicos. Aproveite para conhecer um bar em um morro pacificado ou conheça mais sobre a história da cidade no Forte São João. Confira abaixo as nossas dicas e bom programa!

+ Com trabalho elogiado, Chay Suede estrela sua segunda novela das 9

Bar do Alto
Orla de Copacabana é vista da laje do Bar do Alto (Foto: Tomás Rangel)

A bela vista das praias do Leme e Copacabana até as Ilhas Cagarras compensam a desgastante subida dos 280 degraus no Morro da Babilônia. Tanto é que o bar foi o vencedor da categoria “melhor visual” no último prêmio COMER & BEBER, título que até então pertencia ao imbatível Bar Urca. A escada propriamente dita começa no fim da Ladeira Ary Barroso, lugar mais acessível de táxi ou mototáxi. Além de comer o apetitoso harumaki de feijoada, aproveite para experimentar o drinque  feito de espumante, açaí e morango que foi premiado no COMER & BEBER DA PAZ 2014, edição especial dedicada a favelas pacificadas. 

  • Forte Duque de Caxias
Forte do Leme
Do alto da montanha, os militares protegeram a entrada de Guanabara ao longo de três séculos (Foto: Redação Veja rio)

Recentemente a UFRJ deu início a um projeto de visitas guiadas em fortes da cidade, entre eles o Forte Duque de Caxias, que foi restaurado e aberto à visitação em 2010. A edificação no alto da Pedra do Leme foi construída no início do século XX nas ruínas do antigo Forte da Vigia, que era utilizado para facilitar a observação do fluxo de navios na Baía de Guanabara. Para chegar ao topo, é necessário percorrer uma agradável trilha de 800m pela mata atlântica, com diversos pontos de descanso. No topo, é possível visitar as instalações militares como antigos paióis, obuseiros (uma espécie de canhão), além da bela vista de Copacabana até Niterói, através de lunetas que ampliam o alcance da visão. No horário de verão, as visitas funcionam até às 19h.

Praça Almirante Júlio de Noronha – s/nº, Leme. Horário de funcionamento: Terça a Domingo de 09:30 às 16:30.Ingressos: R$4,00 e R$2,00 para meia. Estudantes e professores em vistas agendadas não pagam. Visitas guiadas com agendamento prévio em português (gratuita). 

  • Caminho dos pescadores
caminhodopescador
Caminho dos pescadores (Foto: Divulgação)

Na base da pedra começa uma pista que rodeia a encosta, oferecendo um belo ponto para pescar ou ver a vista. Aproveite os quiosques por ali para sentar e tomar uma água de coco apreciando a extensão da Praia de Copacabana até o Forte, no extremo oposto.

bar do david_div
(Foto: Divulgação)

O ambiente é o mais simples possível. As mesas se espalham pela calçada desta rua localizada no Chapéu Mangueira. No entanto, neste simpático bar inaugurado um ano depois da instalação da UPP no morro a comida e a bebida são de muita classe. Comandado pelo simpático ex-pescador  David Vieira Bispo, o bar conta com deliciosos petiscos a exemplo do croquete de frutos do mar e do tropeiro carioca, uma saborosa porção de feijão-tropeiro, couve, bacon, carne-seca, linguiça calabresa e laranja. Todos harmonizam muito bem com cerveja gelada ou coma refrescante caipivodca de tangerina com gengibre ou a inusitada feita com Ovomaltine. 

  • Festas na praça
Festas na pedra do leme
Festas na pedra do Leme (Foto: Divulgação)

A calmaria do bairro é interrompida por boa música quando os eventos de ritmos brasileiros ocupam o lugar com apresentações gratuitas nas tardes dos fins de semana. Antes elas aconteciam bem na encosta da pedra, mas com as reformas dos quiosques, tiveram eu descer o morro. A Disritmia foi a primeira festa a aportar no local em 2012 e acontece na praça  Almirante Julio de Noronha. Recentemente, a paulista Odara passou a ocupar as areias da praia no canto do Leme. A banda Mohandas também se apresenta no local de vez em quando. Para conferir as datas do show, acesse as páginas dos eventos no Facebook.

  • Trilhas Morro do Leme e Babilônia – São João
Trilhas Morro do leme e Babilônia – São João
Trilhas Morro do leme e Babilônia – São João (Foto: Divulgação)

Uma vez por mês, até o outubro, o shopping Rio Sul vai promover trilhas ecológicas guiadas e gratuitas pelo morro da Babilônia e do Leme. A área, que teve mais de 50 hectares reflorestado, ganhou 23 placas de sinalização ao longo do caminho com informações sobre a botânica e curiosidades sobre a história do local, que era usado por índios para ligar o litoral ao interior da cidade. Cerca de 200 000 mudas de mais de 80 espécies de árvores foram plantadas até agora. O programa dá direito a lanchinho e translado de ida até o início da trilha e volta ao ponto de encontro. Confira aqui as datas dos passeios.

guia art & café
Guia Art e Café (Foto: Divulgação)

O simpático bistrô na rua mais conhecida do Leme investe em comidinhas leves com pegada natureba de alimentos orgânicos e naturais. Para o lanche, aposte no wrap feito de tapioca acompanhada de um refrigerante natural, feito à base de água com gás. Se não estiver com fome na hora, aproveite para levar o bolo de aipim para casa. 

Parque Natural Paisagem Carioca
Vista aérea do Parque Natural Paisagem Carioca (Foto: Divulgação)

​Em 2013 o Rio ganhou mais uma área de preservação ambiental. Com 160 hectares, o Parque Natural Paisagem Carioca ocupa área dos bairros de Leme, Copacabana e Botafogo. Em 1995 começou um projeto de reflorestamento que plantou 60 mil mudas nativas da região. As diversas trilhas do parque levam a mirantes com belas vistas das praias. O local é acessível por três pontos: pelo Forte do Leme, pelo Morro da Babilônia ou pelo Parque da Chacrinha 

  • Esportes na praia
stand up paddle sup
O passeio de stand up paddle até as Ilhas Tijuquinhas virou moda na Barra da Tijuca (Foto: Reprodução)

A extensa faixa de areia e os poucos frequentadores da praia, em comparação com outras da Zona Sul, favorece a prática de esportes no local. São escolinhas das mais básicas como de vôlei, futevôlei até beach tênis e stand up paddle. 

Marius
Marius (Foto: Divulgação)

Aberta em 1975, trata-se de uma das mais tradicionais churrascarias da cidade. O rodízio tem duas vertentes: carnes e frutos do mar. Da primeira ala circulam cortes nobres a  exemplo do caríssimo kobe beef, prime rib, french rack de cordeiro e costela de javali. Já na segunda ala deguste sem economia nacos de polvo, lula, lagosta e ostras frescas. Mas nem só da comida vem a fama do lugar. A pitoresca decoração do salão nas paredes e no teto incluem conchas, cordas, sino, rede e, acredite, até um extremamente inusitado carrinho de bebê. 

Fonte: VEJA RIO