MEMÓRIA DA CIDADE

Parede de talentos

O Teatro Rival Petrobras, que festeja oitenta anos de sua fundação, amplia o conceito de sua mostra permanente de fotos de artistas. A partir deste ano, os vivos também têm vez

Por: Lula Branco Martins

Clique na imagem abaixo para ampliá-la

memoria-da-cidade-1400.jpg
(Foto: Veja Rio)

Dos mais antigos, tradicionais e simpáticos palcos da cidade, o Teatro Rival (hoje Rival Petrobras), na Cinelândia, aproveita seu aniversário de oitenta anos para dar uma sacudida na programação, especialmente no que diz respeito à área musical. Vem recebendo shows de nomes consagrados da MPB, como Arlindo Cruz e Cauby Peixoto, e em outubro será a vez de Adriana Calcanhotto. Também faz parte do esforço de renovação do lugar uma mexida física na casa, iniciando-se pela ampliação do conceito dos quadros de parede que há décadas enfeitam o ambiente: desde março, artistas vivos começaram a ocupar espaço no painel, dividindo atenção com as personalidades do passado (desafie sua memória no teste abaixo). A ideia é que, a cada grande espetáculo ali realizado, uma nova celebridade ganhe, numa foto apenas de rosto e em preto e branco, seu devido lugar nessa exposição permanente. Marcado pelas revistas musicais no meio do século XX, o Rival, desde a década de 80, está nas mãos da família Leal, primeiro com Américo, produtor de teatro, depois com sua filha, Ângela, atriz, atual administradora. E, naturalmente, já vai começando a ter voz nas decisões sobre agenda e programação Leandra Leal, também atriz, da terceira geração do clã.

Fonte: VEJA RIO