Crime

Rio é palco de prisões na 14ª fase da Operação Lava Jato

Ao todo, nove pessoas de 4 diferentes estados foram presas até o fim da manhã

Por: Agência Brasil

Obras da Linha 4 do metrô, que  vai ligar a Zona Sul ao Jardim Oceânico, porta de entrada da Barra da Tijuca,  e, abaixo, como vai ficar o trem:  o sistema deve estar pronto  em 2015 e transportará cerca de 240?000 pessoas por dia
Metrô: obras da Linha 4 são lideradas pela Odebrecht Infraestrutura (Foto: Redação Veja rio)

O delegado da Polícia Federal, Igor Romário de Paula, disse hoje (19) que, até o momento, nove pessoas foram presas na 14ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã de hoje (19).

Foram cumpridos nove mandados, de um total de oito de prisão preventiva e quatro de prisão temporária, em quatro estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. De acordo com o delegado, foram presos preventivamente Marcelo Odebrecht, dono e presidente da construtora Odebrecht; o presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, além de Rogério de Santos Araújo, Márcio Faria da Silva e João Antônio Bernard Filho. O executivo da Odebrecht Cesar Ramos Rocha é um dos que ainda não foram localizados.

Os mandados de prisão temporária cumpridos foram de Alexandrino Sales Alencar, Antônio Pedro de Souza, Flávio Lúcio Magalhães e Maria Cristina da Silva Jorge.

O delegado informou que há indícios “bem concretos” contra os dirigentes das empresas. Segundo ele, os documentos revelam que eles tinham "domínio completo" de atos que levaram à formação de cartel e fraude em licitações, além de pagamento de propinas. Igor Romário lembrou que na 7ª fase da Lava Jato já houve busca e apreensão na sede da Odebrecht.

Para o delegado, a nova etapa da Lava Jato serve como recado de que nenhuma empresa, independentemente do seu tamanho, ficará imune de ser investigada. “A ideia é trazer um recado claro de que a lei vale para todos, não importa o tamanho da empresa e o destaque na sociedade, sua capacidade de influência e de poder econômico. Isso jamais será motivo para permanecerem impunes”, disse o delegado, em entrevista coletiva.

Segundo o procurador da República Carlos Fernando dos Santos, há indicativos suficientes para as prisões preventivas. "Devemos punir todos os que são responsáveis, as empresas, na área civil e por improbidade administrativa, e os dirigentes e todos os que estão envolvidos no âmbito penal."

A 14ª fase da Operação Lava Jato, denominada Erga Omnes, expressão latina no meio jurídico para indicar que os efeitos da lei atingem a todos os indivíduos, é uma referência ao fato de as investigações alcançarem, mais de um ano depois de deflagrada a primeira fase da operação, as duas maiores empreiteiras do país, a Odebrecht e a Andrade Gutierrez.

A assessoria da Superintendência da PF em São Paulo informou que cinco pessoas estão detidas na unidade, entre elas, o presidente da Odebrecht e o executivo Márcio Faria da Silva. Eles deverão deixar a superintendência por volta das 14h30 para o Aeroporto de Congonhas, de onde seguirão para Curitiba. 

Fonte: VEJA RIO