De braços abertos

Nova sinalização irá ajudar cariocas e turistas a circular pela cidade

Painéis informativos para pedestres também terão dados como serviços e comércio próximos e servirão de estímulo para caminhadas e ciclismo

Por:

Imagem simula o totem que será instalado na orla de Copacabana
(Foto: Montagem sobre imagem MTeixeira CC)

Andar pelas ruas do Rio vai ficar mais fácil a partir deste verão: a cidade vai ser a primeira na América do Sul a ganhar um projeto de sinalização turística orientada para pedestres e, até o fim de 2015, quinhentos painéis irão facilitar o deslocamento de quem circular pelas ruas da Zona Sul, Centro, Barra e Maracanã. Os totens terão um mapa do ponto em que a pessoa está e informações sobre atrações turísticas, comércio, serviços e pontos de interesse nos arredores, incentivando que ela siga a pé, por conta própria, para explorar.

Conhecido como “wayfinding” – ou, em bom português, “encontre seu caminho” – este modelo de sinalização já foi testado e aprovado em outras grandes metrópoles, como Nova York, Londres e Vancouver. Estudos realizados pelos idealizadores apontam que cidadãos e visitantes ficam mais confiantes para explorar a cidade, pois contam com informação oficial e de fácil compreensão sobre locais de interesse nas áreas do seu entorno. Além disso, as placas contribuem também com o aumento do comércio nos bairros e incentivam práticas saudáveis como caminhada e ciclismo, dentre outros benefícios diretos.

Copacabana e Leme receberão piloto do projeto ainda neste verão
(Foto: Ricardo Zerrener/Riotur)

O projeto piloto será implantando no Leme e em Copacabana ainda neste verão. Após este período de testes e possíveis ajustes, será ampliado para os demais pontos escolhidos e deve ter sua implementação concluída até meados do segundo semestre do ano que vem. No momento, estão sendo definidos layouts e detalhes como fontes e cores. “Não se trata apenas de colocar placas ou totens. Nosso projeto vai muito além, ao oferecer uma nova maneira do turista e do carioca descobrirem a cidade e seus atrativos. A fase mais complexa é a inicial, quando é feito todo o estudo e mapeamento das áreas onde os equipamentos serão instalados. Londres levou dois anos apenas estudando seus caminhos”, esclarece Antonio Pedro Figueira de Mello, Secretário Especial de Turismo do Rio de Janeiro.O projeto, executado pelo Consórcio Rio Inteligente, custou R$ 13,7 milhões. A Secretaria Especial de Turismo elaborou internamente parte do trabalho que seria produzido por terceiros e, com isto, economizou mais de R$ 4 milhões em projetos. A verba é fruto de uma parceria com o Governo Federal por meio do Ministério do Turismo e da Caixa Econômica Federal. “Estamos muito felizes por termos vencido a licitação e podermos participar deste projeto de Cidades Legíveis, pioneiro na América Latina, e em especial por se tratar do Rio de Janeiro, referência de turismo do Brasil no exterior”, comemora Luiz Mello, diretor de Negócios da ICON, empresa líder do Consórcio Rio Inteligente.

Barra da Tijuca também será contemplada com a nova sinalização, que estará completamente instalada antes das Olimpíadas de 2016.
(Foto: Fernando Maia/Riotur)

Fonte: VEJA RIO