EXPOSIÇÕES

Panorama da animação

Mostra no CCBB acompanha a evolução do gênero através da exibição de mais de 100 peças

Por: Carolina Barbosa - Atualizado em

foto divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Em 1911, o cartunista americano Winsor McCay (1869-1934) deu vida a seus personagens no pioneiro curta Little Nemo Moving Comics. Três anos depois, consagrou-se com Gertie the Dinosaur. Dos marcos iniciais a recentes sucessos de bilheteria, um panorama da técnica que encanta crianças e adultos é apresentado nas 102 peças da exposição Movie-se: no Tempo da Animação, no CCBB. Organizada sob a curadoria de Greg Hilty, a mostra estreou no Barbican Centre, em Londres, em 2011. Na versão itinerante, já passou por Canadá e Taiwan.

foto divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

O público vai encontrar fragmentos de filmes e produções completas, exibidos em telões e monitores, além de duas esculturas de resina de Woody e Jessie, estrelas da série Toy Story. Dividido em seis seções, o acervo não segue ordem cronológica, mas contempla das primeiras incursões às últimas novidades. No segmento chamado Aparições estão trabalhos históricos como o já citado Gertie the Dinosaur, de MacCay, The Serpentine Dance, dos irmãos Auguste (1862-1954) e Louis (1864-1948) Lumière, os pais do cinema, e Silly Symphonies, coleção de 75 curtas produzidos por Walt Disney (1901-1966) entre 1929 e 1939. A ala Personagens dedica-se a tipos inesquecíveis do porte de Mickey Mouse, Betty Boop, a estrela sexy desenhada por Max Fleischer nos anos 30, e os Simpsons, a divertida família contemporânea de Matt Groening.

Tem muito mais. Na seleção, outros clássicos da Disney dividem espaço com representantes do mangá japonês, além de histórias folclóricas de diversas nacionalidades. SwanQuake: House, instalação de Bruno Martelli e Ruth Gibson, aponta para o futuro ao mergulhar no universo dos games. Exclusividade da montagem carioca, uma sala no 5º andar aborda a evolução da animação brasileira por meio de cartazes e trechos de filmes, a exemplo de Sinfonia Amazônica (1953), de Anélio Lattini Filho, o primeiro longa nacional do gênero.

Movie-se: no Tempo da Animação. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 7 de abril. A partir de terça (5).

Fonte: VEJA RIO