EXPOSIÇÕES

Toda forma de amor

Visões bem diversas sobre o sentimento são reveladas em duas coletivas

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

Paulo Jabur/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)
roteiro-expos-02-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O amor está no ar no CCBB e na Luciana Caravello Arte Contemporânea, ainda que não necessariamente em sua visão convencional. Amor, Amor, Amor, no centro cultural, reúne mais de quarenta imagens e dois vídeos do acervo da Maison Européenne de la Photographie. São obras de 23 profissionais, entre eles Henri Cartier-Bresson, Robert Doisneau e Pierre Verger. A seleção vai de registros singelos, como o de Édouard Boubat, flagrante de duas crianças em frente a uma relojoaria em Paris, a casais enamorados ? a exemplo das baleias-brancas retratadas por François Le Diascorn e da alegre cena na praia clicada por Bernard Pierre Wolff. Em Primeiro Estudo: sobre Amor, na galeria, estão reunidos 31 trabalhos de 23 artistas, entre pinturas, esculturas, instalações, vídeos, fotografias e objetos. Aqui, há interpretações menos ortodoxas para o amor. Uma delas, a escultura A Família, do paulistano Sidney Amaral, traz um casal oprimido por uma ferramenta enquanto segura um bebê pelas mãos.

✪✪✪ Amor, Amor, Amor. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Quarta a segunda, 9h às 21h. Devido ao Carnaval, o espaço não abre na segunda (3) e reabre na quarta (5), às 12h. Grátis. Até dia 31.

✪✪✪ Primeiro Estudo: sobre Amor. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Devido ao Carnaval, o espaço não abre até quarta (5). Grátis. Até dia 15.

Fonte: VEJA RIO