CIDADE

Mirantes em morros com UPPs atraem visitantes com vistas privilegiadas

Regiões que estavam sob domínio do tráfico entram no circuito turístico da cidade

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

elevador.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Consagrado pelas paisagens deslumbrantes de locais como o Corcovado e a Vista Chinesa, o Rio ganhou novos mirantes com a instalação das Unidades de Polícia Pacificadora, as UPPs. Regiões que até pouco tempo atrás eram dominadas por traficantes, como o alto da Rocinha e do Cantagalo, em Ipanema, as lajes da Santa Marta, em Botafogo, e do Pavão Pavãozinho, em Copacabana, tornaram-se atraentes com novos e surpreendentes ângulos da cidade.

Na comunidade de São Conrado, estão previstos investimento de até 700 milhões de reais até 2014. Melhorias que incluem a construção de um teleférico até o alto da montanha, semelhante ao já em operação no Complexo do Alemão. Inaugurado em junho de 2010 e com 64 metros de altura, o mirante da Paz, em Ipanema, permite uma vista 360° da Zona Sul. De um lado, estão a Lagoa Rodrigo de Freitas, o Morro Dois Irmãos e a orla do Leblon. De outro, é possível ver parte da comunidade do Cantagalo e Copacabana. O acesso é gratuito e feito através de um elevador na estação dê metrô General Osório.

Menos procurado do que outras atrações do bairro, o platô passa parte do dia vazio. Quem sobe seu elevador, no entanto, não se arrepende. "Quando você olha a comunidade, lembra de toda aquela violência exibida pelas TVs", explica a estilista paulistana Júlia Melo, que veio pela primeira vez ao Rio, acompanhada por uma amiga. "Sabia da pacificação, mas ainda tinha um pouco de medo", diz Júlia. Já a vendedora de Fortaleza Lucileide Lopes conta que a expulsão do tráfico aumentou sua vontade de visitar o local. "Era um sonho conhecer uma favela pacificada do Rio. Elas também são cartões postais da cidade", diz.

rocinha2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Depois do passeio, muitos visitantes seguem para o bar de Rose Napoleão, que serve feijoada às sextas e aos sábados por R$ 12 reais. Também é possível comer um frango com quiabo e carne seca com abóbora por preços a partir de R$ 6, dependendo do tamanho do prato. "Ficamos lotados de gringos, que adoram a feijoada", conta a vendedora.

Na Santa Marta, parte do percurso pode ser feita através do plano inclinado. Guia turístico e morador da comunidade, Thiago Firmino cobra R$ 25 reais para passeios individuais e dá desconto para grupos maiores. Os principais pontos de observação são a laje do Michael Jackson, onde o cantor gravou o clipe They don?t care about us", em 1996, e o mirante do Pedrão, no alto do morro.

Para chegar à laje, deve-se descer na estação quatro do plano inclinado. Já a região do Pedrão fica próxima à quinta e última estação. Do alto, é possível avistar a baía de Guanabara, o Pão de Açúcar, o Cristo e a Lagoa Rodrigo de Freitas. Além disso, há uma trilha na mata que vai até o mirante Dona Marta, e dura cerca de 30 minutos. "Antes, tinha o risco constante de uma troca de tiros durante a visita. Com a pacificação, em 2008, cariocas e gringos perderam o medo e vieram desfrutar da mesma vista que sempre tivemos", diz Thiago.

Fonte: VEJA RIO