COMIDA

O melhor do Cadeg

Tradicional pólo gastronômico da cidade, o Cadeg recebeu o título de Mercado Municipal do Rio de Janeiro. Saiba em que endereços os chefs e gourmets cariocas fazem suas compras e onde provar belos pratos por lá

Por: Louise Peres - Atualizado em

cadeg-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Ele já era considerado patrimônio imaterial do Rio, mas só recentemente ganhou um título à altura de sua importância. No mês passado, ao completar cinquenta anos de atividade, o Cadeg (Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara) foi reconhecido pela prefeitura como Mercado Municipal do Rio de Janeiro. Tradicional pólo gastronômico e cultural da cidade, o complexo situado em Benfica abriga mais de 700 lojas e atrai cariocas de toda parte. Em 100 mil metros quadrados, além das já famosas bancas de flores, há desde uma enorme variedade de frutas frescas até vinhos, laticínios e frios.

A oferta concentrada de tantos produtos de reconhecida qualidade fez do lugar um dos preferidos pelos grandes restaurantes da cidade para abastecer seus estoques. Há até quem tenha escolhido abrir seu negócio no próprio Cadeg, pela facilidade de obter ali mesmo ingredientes variados e frescos. "Tenho boa parte dos meus fornecedores no mesmo lugar em que produzo", diz Ana Fernandes, proprietária da Sorvete Brasil, que há dez anos instalou sua fábrica de gelados dentro do complexo. Além das frutas, leite, açúcar e outros insumos são adquiridos com comerciantes do próprio Cadeg. "Tenho ainda a vantagem de estarmos num lugar central da cidade, próximos do Rebouças e da Linha Amarela, o que favorece nosso sistema de entregas", acrescenta.

cadeg-08.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Quem vai ao Cadeg em busca de produtos frescos para servir à mesa tem, há alguns anos, a chance de degustar boa comida dentro do próprio centro. As opções vão da culinária italiana à japonesa, passando pelos galetos, quitutes árabes e portugueses. Enxergando essa vocação, o chef e consultor gastronômico Marcelo Barcellos, antigo comprador das bancas do Cadeg, decidiu abrir ali o Barsa. Inaugurado em julho de 2010, o restaurante de cozinha colonial, famoso por seu bacalhau, é um dos mais frequentados por lá. "Percebi que poderíamos oferecer o oposto da cozinha conceitual, em voga hoje, em um espaço familiar, que remetesse à fartura das primeiras casas da cidade", explica ele, que revigorou a vida do centro aos domingos quando decidiu abrir também no primeiro dia da semana. "É o nosso segundo dia de maior movimento, perdendo apenas para o sábado", revela.

Quer saber onde os chefs da cidade fazem suas compras e provam delícias no Cadeg?

cadeg-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em tempo: inaugurado em 1962, na Zona Portuária, pelos comerciantes José Eiras, José Ramos Soares e Carlos Vieira da Silva, o Cadeg foi transferido para a Zona Norte devido à construção da Perimetral, mas segue funcionando nos mesmos moldes até hoje. Com a demolição do Elevado, além da nova alcunha, o centro ganhará ainda uma versão reduzida em sua área original, na Praça Quinze. Mais uma opção com boa comida, ótimos produtos, agora no coração da cidade!

Fonte: VEJA RIO