EXPOSIÇÕES

Marcos Cardoso

A manipulação artesanal de objetos industrializados tornou-se uma constante em sua obra, em cartaz no MAM

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

Em meados dos anos 90, esse carioca de Realengo começou a criar esculturas feitas com guimbas de cigarro ? uma delas, conta-se, foi adquirida pelo cantor David Bowie quando exposta na Fundação Cartier, em Paris. A partir daí, a manipulação artesanal de objetos industrializados tornou-se uma constante em sua obra. Uma amostra recente dessa investigação estética, apenas com peças produzidas de 2012 para cá, está reunida em Arquitetura de Vidro, individual em cartaz no MAM. O trabalho que dá nome à exposição é um cartão de visita: feito com tiras de sandálias de borracha, tem 30 metros de comprimento por 3,5 de altura, formando uma rede que cobre inteiramente uma janela do museu. Em frente a ele, espalham-se 24 esculturas da série Maquete Visual, uma inacreditavelmente minuciosa colagem de palitos de fósforo. As borrachas retiradas de chinelos surgem novamente nas cinco obras da série Jackson Pollock do Pandeiro, que parecem convidar o visitante a vesti-las. Completam o acervo quatro xilogravuras.

Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 14 de julho. www.mamrio.com.br.

Fonte: VEJA RIO