caso jaime gold

Mais um menor se apresenta como participante na morte de médico

Adolescente de 16 anos se apresentou à polícia, disse que participou do roubo que resultou na morte do médico e inocentou o primeiro menor apreendido

Por: Agência Brasil

Jaime Gold
(Foto: Reprodução)

O caso do médico Jaime Gold, esfaqueado na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona do Rio, no dia 19 de maio, quando andava de bicicleta, teve mais um capítulo nesta terça (2). Um terceiro menor, de 16 anos, se apresentou à polícia. Ele disse que participou do roubo que resultou na morte do médico e inocentou o primeiro menor apreendido, também de 16 anos, que nega participação no assassinato.

Depois da Divisão de Homicídios (DH) ter dado o caso como encerrado, após a apreensão de um segundo menor, de 15 anos, o delegado assistente Giniton Lages afirmou, em coletiva à imprensa esta noite, que a polícia nunca havia parado com as investigações. Apesar deste novo desdobramento, Lages negou que tenha havido precipitação por parte da polícia.

+ Ataque a ciclista na Lagoa faz cariocas mudarem de hábitos

O delegado disse que o menor apreendido hoje alegou que as facadas foram desferidas pelo segundo menor apreendido. Segundo Lages, o menor revelou que a arma havia sido comprada na própria comunidade, pela quantia de R$ 8. O menor tem 20 passagens pela polícia, várias delas por roubos e furtos, incluindo bicicletas, quase sempre na zona sul da cidade.

Segundo o delegado, o que motivou a apresentação do terceiro menor, que é da comunidade do Jacarezinho, na zona norte, foi pressão da própria família, pois a polícia estava fazendo muitas diligências no local, o que estava causando apreensão. O menor se apresentou no começo da madrugada terça-feira, juntamente com uma irmã maior de idade, na 25ª Delegacia de Polícia, no bairro de Engenho Novo, na zona norte da cidade.

+ Até abril, 10% dos latrocínios registrados no Rio envolveram facas

Na parte da tarde, ele foi ouvido pelo Ministério Público (MP), que decidiu, segundo o delegado, representar por sua internação, assim como manteve a internação dos outros dois menores. Lages disse que ainda não é possível descartar totalmente algum tipo de participação do primeiro menor, apesar de sua atuação ter sido descartada pelo adolescente apreendido nesta terça-feira. A polícia continua investigando para descobrir quem seria o receptador das bicicletas roubadas, inclusive a do médico assassinado.

Fonte: Agência Brasil