EXPOSIÇÕES

Cores da Itália

O Instituto Moreira Salles exibe cerca de 300 fotografias de Luigi Ghirri em sua primeira retrospectiva no Brasil

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Pioneiro no uso da cor na fotografia em seu país, o italiano Luigi Ghirri (1943-1992) tem sido objeto de uma redescoberta por grandes instituições mundo afora. No Brasil, sua primeira retrospectiva chega ao Instituto Moreira Salles na quinta (6), depois de ocupar, entre novembro e janeiro, a unidade paulistana do mesmo centro cultural. Pensar por Imagens ? Ícones, Paisagens, Arquitetura, como foi batizada, reúne 300 fotografias, quase 100 a mais do que na exposição de São Paulo. Provas de impressão, livros do artista e outros objetos ajudam a conhecer a trajetória de Ghirri, que bebeu em fontes distintas, como o neorrealismo italiano, a pintura renascentista e a fotografia americana. A seleção de imagens inclui desde paisagens sublimes, como a que se vê em Alpe di Siusi (1979), com um casal andando em direção às montanhas no norte da Itália, até cenas cotidianas, a exemplo de Parigi (1972), flagrante de uma mulher fumando sentada em um banco. Outro ensaio, realizado no estúdio do pintor Giorgio Morandi, em Bolonha, mostra objetos transformados pelo artista em suas naturezas-mortas. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 13 de abril. A partir de quinta (6).

Fonte: VEJA RIO