CIDADE

Logos com sotaque carioca

Livro Logos Cariocas da Gema reunirá logotipos que se apropriam de símbolos do Rio

Por: Louise Peres - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Andando pelo Rio, quantas vezes você já deve ter visto um desenho do Pão de Açúcar, do Cristo Redentor ou dos Arcos da Lapa em fachadas, panfletos e embalagens? A palavra Rio também aparece em centenas de negócios abertos aqui, assim com o termo carioca. E foi após constatar a quantidade de marcas que se apropriam de ícones da cidade maravilhosa para criar suas identidades visuais que o designer carioca Beto Lima decidiu reuni-las em uma única obra: o livro Logos Cariocas da Gema. "Um dia, quando olhei a Clínica Rio, que fica em frente a minha casa, fiquei pensando nisso. Fiz uma pesquisa no Google e me dei conta de que tanto eu como amigos designers já tínhamos feito diversas logos com esse mesmo espírito", conta ele, que iniciou o projeto - e a busca pelas imagens - em fevereiro de 2010.

Com o livro, o designer quer documentar logos onde apareçam símbolos que representam a cidade do Rio de Janeiro, como o Cristo Redentor, o calçadão da Praia de Copacabana, o estádio do Maracanã, a Quinta da Boa Vista, a Baía de Guanabara, o Jardim Botânico e tantas outras figuras que estejam associadas à cidade. Também valem logos que apresentem as palavras "carioca" ou "Rio". Até agora, Lima já conseguiu acumular 242 unidades. O Pão de Açúcar é, de longe, a referência que mais aparece. "Nenhuma outra cidade tem um ícone natural, que não foi construído pelo homem, tão forte como ele é para o Rio", garante ele.

Se encontrar logos genuinamente cariocas por aí é fácil, o processo de documentação para o livro é bem trabalhoso. É preciso identificar o criador do logo mas, muitas vezes, trabalhos famosos e divulgados à exaustão têm autoria desconhecida. "Consegui achar o ?pai? do logo do projeto Porto Maravilha, mas em outros casos, como o ícone usado pela prefeitura durante a gestão de César Maia, penei e ainda não consegui descobrir quem fez", diz Beto Lima.

Nestes quase dois anos de busca, Lima se deparou com uma gama surpreendente de trabalhos, vindos até mesmo de fora do país. "Há desde logos de bares - só um amigo meu enviou 17, todas de botecos da Lapa - até criações marcantes, como o logotipo original do Rock in Rio, criado pelo Cid Castro", adianta. Entre os casos curiosos está o da Empada Carioca, cujo logo Lima ainda tenta conseguir. "A fábrica, na verdade, fica em Minas Gerais!", diverte-se.

Veja 9 logotipos que estarão no livro Logos Cariocas da Gema

O livro também irá registrar a evolução dos brasões e logos utilizados pelo governo e pela prefeitura do Rio de Janeiro, desde a sua fundação. "Não será um simples catálogo. Queremos também mostrar um pouco da história desses trabalhos", explica Lima.

A data de lançamento do Logos Cariocas da Gema ainda não foi definida. "Aguardamos a liberação de uma das logos de maior importância para o Rio nos últimos anos: a dos jogos Rio 2016, que ainda não foi liberada sequer para a prefeitura", revela. Enquanto isso, a prospecção de logos cariocas da gema continua. Quem quiser sugerir ou enviar material para o projeto, é só acessar o hotsite criado pela 2ab, editora do livro, e seguir as instruções. O endereço é www.marcas.2ab.com.br.

Fonte: VEJA RIO