Meu Rio

Com Loco Abreu

O jogador Loco Abreu completa 35 anos e elege seus lugares preferidos da cidade. Para ele, o melhor do Rio são ... os cariocas

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

loco1.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Atacante do Botafogo, o uruguaio Loco Abreu completou 35 anos nesta segunda (17 de outubro). O ídolo alvinegro foi fundamental na vitória de 2 a 0 sobre o Atlético-PR e marcou um gol. Com 52 pontos, o time pode chegar à ponta da tabela e ser campeão do brasileiro esse ano, muito em parte devido ao desempenho do jogador. Famoso por suas frases ácidas, Loco contou à VEJA Rio que gosta de fazer programas tranquilos no Rio, na maioria das vezes acompanhado pela família. Entre as preferências do atleta estão restaurantes japoneses e o visual para o Pão de Açúcar do campo onde treina.

Primeiro, qual a diferença de morar no Rio e em Montevideu? O clima. O inverno uruguaio é muito rigoroso. Aqui, o ano todo tem tempo bom, nunca tem inverno, você pode andar de camiseta em qualquer época, é um benefício, sem dúvida.

E o que o carioca tem de melhor? A amabilidade. Eu e minha família nos adaptarmos facilmente ao Rio.

Onde você gosta de ir com os amigos? Gostamos de ir a restaurantes, principalmente churrascarias. E para matar a saudade de casa, vamos ao Don Pascual, um restaurante de comida uruguaia que fica em Vargem Grande.

Falando em comer bem, tem mais dicas de restaurantes? Tem um sushi muito bom no shopping Rio Design, o Kotobuki. Uma coisa que eu gosto no Rio é a variedade de comidas, tem possibilidades de todo tipo, estou descobrindo ainda.

Para ir com os filhos, o que você indica? Minha mulher é quem sai mais com nosso filhos para passear. Aqui no Brasil, a gente fica muito tempo na concentração e deixa de fazer coisas com a família. Ainda nem conheci o Cristo, para você ter noção.

Uma paisagem que adora na cidade ... Quando a gente treina na General Severiano tem aquela vista para o Pão de Açúcar. Com esse cenário fica até mais fácil ...

Um refúgio na cidade ... Minha casa. Eu mantenho o costume uruguaio de fazer churrasco, chamar a família e os amigos, ficamos o dia todo batendo um papo legal.

Onde reabastecer as energias depois de um jogo? A gente teve dois dias de folga recentemente e aproveitei para ir a Búzios. Tanto que escutei quando era criança, que fui lá conhecer. Estava muito cheio, mas foi muito legal.

A propósito, quando você está fora do Rio, do que sente falta? O carioca sempre está com um sorriso. Na Europa, quando vamos pra lá jogar, vejo que o povo é mais fechado, mais sério, todo mundo dentro da sua casa. O carioca tem outro estilo de vida, que eu gosto muito.

E as cariocas? O corpo delas é mais forte, tem outro biótipo da mulher do Uruguai. Parece que toda mulher aqui fica o dia inteiro na academia, mas é o normal dela. São bonitas, estão sempre alegres, disponíveis para ajudar, são amáveis.

Por fim, alguma supertição que ajude nos gols ... Não tenho. Como não acredito na sorte, faço tudo ao contrário do que as superstições mandam. Entro em campo com o pé esquerdo, passo embaixo da escada... A gente tem um Deus que decide o vai acontecer. Se você tem dedicação e trabalha, com certeza vai dar tudo certo.

Fonte: VEJA RIO