MEMÓRIA DA CIDADE

Palmas para ele

Personagens e fatos que forjaram a alma do Arpoador são reunidos em livro de fotografias

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Fotos reprodução
(Foto: Redação Veja rio)

Não chega a 1 quilômetro de praia, mas carrega muita história e tem um sem-número de belezas para delas se gabar. No canto esquerdo de Ipanema (de quem está olhando para o mar) fica o Arpoador, que desde o século XVIII já aparecia identificado nas cartas geográficas da cidade. O último dono da chácara onde hoje se delimita esse trecho do bairro era proprietário de uma empresa de caça de baleias e, por isso, o que não faltava nas proximidades era arpão ? daí, claro, veio o nome, primeiro escrito com H (sim, Harpoador) e depois com A, como usamos atualmente. O local ganhou status de point, e para isso ajudaram, por exemplo, a lona do Circo Voador (ali armada em 1982, para bandas do rock nacional), a belíssima vista do alto de suas pedras e o ângulo na medida para contemplar o pôr do sol, com direito a salva de palmas. Em edição caprichada da Língua Geral, chegou nesta semana às livrarias Arpoador/Homenagem, de Julia Michaels e Maria Lago, com fotos entremeadas com textos de personalidades como Carlos Drummond de Andrade, Ruy Castro e Adriana Calcanhotto. Confira ao lado alguns momentos marcantes do lugar.

memoria-da-cidade-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO