MEMÓRIA DA CIDADE

Saúde é o que interessa

Livro da Fiocruz revela um Rio ainda cheio de fazendas, mas devastado por doenças hoje sob controle da medicina

Por: Lula Branco Martins

Acervo Casa de Oswaldo Cruz (fiocruz), foto principal de 1927
(Foto: Redação Veja rio)

Vinculada ao Ministério da Saúde, a Fundação Oswaldo Cruz, em Manguinhos, chama a atenção de quem trafega pela Avenida Brasil ? seu prédio principal, erguido no início do século XX, lembra um castelo, e muitos o enxergam como uma edificação de arquitetura russa. Bem antes da abertura daquela via expressa, existia ao seu redor um mangue, habitado por garças, socós e caranguejos, e dali rapidamente se chegava ao mar. O passo a passo da transformação do bairro está registrado no livro Vida, Engenho e Arte, recém-lançado pela Editora Fiocruz, organizado por Fábio Iglesias, Paulo Roberto Elian dos Santos e Ruth Barbosa Martins. Com 300 páginas, em formato grande, é ricamente ilustrado com fotos e documentos que revelam uma cidade em formação, ainda com imensas fazendas, mas, por outro lado, devastada por males que, em sua maioria, hoje não assustam tanto. Parte das comemorações dos 25 anos da Casa de Oswaldo Cruz, a obra também traz fotografias atuais, de autoria de Bruno Veiga, que fazem um contraste com as imagens do passado.

Fotos acervo Casa de Oswaldo Cruz (fiocruz), foto principal de 1927
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO