EXPOSIÇÕES

O papel do artista

Pinturas, desenhos e gravuras de Lasar Segall, muitos deles inéditos, ocupam a Pinakotheke Cultural

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

roteiro-exposicoes-abre-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O lituano Lasar Segall (1891-1957), radicado no Brasil desde 1923, tornou-se um dos nomes mais importantes do modernismo no país, juntando-se a colegas do naipe de Tarsila do Amaral (1886-1973), Victor Brecheret (1894-1955), Anita Malfatti (1889-1964) e Ismael Nery (1900-1934). Artista completo, ganhou notoriedade como pintor, mas, ao longo da carreira, dedicou-se a técnicas variadas, presentes em Lasar Segall ? Obras sobre Papel: Pinturas, Desenhos e Gravuras. A exposição entra em cartaz na sexta (24) na Pinakotheke Cultural, em Botafogo. Max Perlingeiro, o curador, selecionou 71 trabalhos que têm em comum o papel como suporte. Boa parte das criações, pertencentes ao acervo da família do artista, nunca foi exibida.

Os temas são diversos, com predominância de figuras humanas, seja em autorretratos, seja em desenhos de conhecidos de Segall, como a pintora Lucy Citti Ferreira, o escritor Oswald de Andrade e a cantora Berta Singerman, ou de pessoas não identificadas, a exemplo daquelas em Casal na Floresta (1945). Há ainda naturezas-mortas e paisagens. Destacam-se na coleção gravuras de duas importantes séries. Emigrantes traz criações feitas entre 1926 e 1930 que serviriam de base para a sua monumental tela Navio de Emigrantes (1939-1941). Mangue, realizada entre 1926 e 1929, é um desfile de tipos e cenários da antiga zona de prostituição no centro do Rio.

Lasar Segall. Pinakotheke Cultural. Rua São Clemente, 300, Botafogo, ☎ 2537-7566. Segunda a sexta, 10h às 18h; sábado, 10h às 16h. Grátis. Até 20 de outubro. A partir de sexta (24).

Fonte: VEJA RIO