caso jaime gold

Justiça ouve menores envolvidos no caso da morte de médico na Lagoa

Segundo advogado, menores reafirmaram que o primeiro adolescente apreendido pela polícia é inocente

Por: Agência Brasil

Advogados caso Jaime Gold
Os advogados Djefferson Amadeus e Alberto Junior, que defendem o primeiro menor apreendido por ser suspeito de participar da morte a facadas do médico Jaime Gold, falam à imprensa (Foto: Fernando Frazão)

Os três menores envolvidos no caso da morte do médico Jaime Gold, dia 19 de maio, na Lagoa, zona sul do Rio, foram ouvidos hoje (8) pela juíza da Vara de Infância e Juventude do Fórum da Leopoldina, Michele Gouveia.

O advogado Alberto Júnior, que defende o primeiro menor, apreendido logo após o crime, sustenta que seu cliente é inocente. Segundo ele, isso foi confirmado na audiência de hoje pelo segundo menor, que reformulou sua versão, depois de, inicialmente, ter acusado o primeiro pela morte do médico.

+ Pezão admite possíveis erros na investigação do caso Jaime Gold

“As declarações corroboram o que afirmamos desde o início: o primeiro adolescente foi apreendido equivocadamente. Ele é inocente. Ele estava em Manguinhos [na hora do assalto] e nada tem a ver com o fato. As declarações do segundo menor são favoráveis ao nosso cliente”, disse o advogado, ressaltando que poderá ingressar com um pedido de habeas corpus em favor do menor apreendido.

+ Ataque a ciclista na Lagoa faz cariocas mudarem de hábitos

Separadamente, os menores foram ouvidos durante uma hora e meia. Uma nova audiência foi marcada para o próximo dia 17. O primeiro menor foi apreendido dois dias após o crime. O segundo se entregou no dia 27 de maio, apontando o primeiro pelas facadas.

Um terceiro menor se entregou no dia 2 de junho e inocentou o primeiro. A polícia ainda não localizou a bicicleta roubada de Jaime nem a faca usada no assassinato.

Fonte: Agência Brasil