Histórias Cariocas

FotoRio 2015 reúne exposições com imagens do cotidiano carioca

Histórias e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Beijo/Os Amantes
(Foto: Divulgação/Reprodução)

Evento internacional em homenagem aos 450 anos da cidade, que aos poucos ocupará vários museus cariocas, o FotoRio 2015 já entrou em cartaz no Centro Cultural Correios, no Centro. Ali podem ser vistas exposições que tentam fugir dos cenários de cartão-postal, investindo em imagens do cotidiano ou que revelam algo de inusitado, como este beijo de black blocs num, digamos assim, rápido intervalo nas manifestações de rua. O clique, de 2013, na Cinelândia, realizado pela fotógrafa Ana Carolina Fernandes, vem sendo comparado ao quadro Os Amantes (abaixo), obra de 1928, do belga René Magritte. Rolarão ainda debates sobre fotojornalismo e exibições de vídeos. Outros destaques: as 365 fotos feitas, diariamente, durante um ano inteiro, a partir de uma mesma janela carioca (por Ana Rodrigues, do Humaitá); e os trabalhos em  celular, que nasceram digitais e agora, impressos, ganham “realidade tangível”, como frisam os organizadores.

RECREIO NATUREBA

Embalado numa sacola de papel reciclado, um lanchinho que desde 2014 é entregue em escolas na Zona Sul, sempre na hora do recreio, agora chega à Barra da Tijuca. Já aprovados em colégios como o Teresiano e a Escola Parque, os kits da Oficina da Merenda alcançaram a Zona Oeste em abril, em instituições de ensino como o MapleBear e a Escola Suíça. Vêm com o nome do aluno e trazem sucos caseiros e chips de mandioca, além de iogurtes, frutas, pães e — ninguém é de ferro — um bolinho.

Sacolas recicladas
(Foto: Divulgação)

SEGUNDA CHANCE

O filme não fez a cabeça dos críticos, e o público também não lotou as salas, mas o livro Rio, Eu Te Amo, sobre os bastidores do longa-metragem homônimo, exibido em 2014, pode virar esse jogo. Organizada pelo jornalista Pedro Butcher, a obra (que está saindo pela Gryphus Editora) conta, em 200 páginas, como foi aquela investida de onze diretores — em sua maioria, estrangeiros — na cidade, passando para a tela grande histórias de amor em cenários cariocas. Traz entrevistas com os realizadores, além de breves históricos sobre as locações das filmagens, como o Pão de Açúcar e a Ilha de Paquetá. No livro, o australiano Stephen Elliott, que dirigiu, em 1994, Priscilla, a Rainha do Deserto, e que já conhecia o Rio desde aquela época, quando veio para a promoção do musical, diz que o humor carioca é semelhante ao de Sydney: “Fiz muitas piadas aqui, e sempre devolveram no mesmo tom”. Rio, Eu Te Amo integra a franquia de filmes Cities of Love, que antes já focou Paris e Nova York.

Rio Eu Te Amo
(Foto: Reprodução)

60 DIAS

Esse é o prazo para realizar uma boa ação, segundo um acordo a ser assinado por quem participar do Troca Amor, evento que acontece no domingo (17), na orla de Ipanema, e que tem por base um trailer, como um escritório itinerante, entre as ruas Maria Quitéria e Joana Angélica. Trata-se da campanha de uma grife carioca em parceria com uma agência de publicidade. O objetivo é incentivar o voluntariado. Funciona assim: a pessoa se compromete a integrar alguma ação social dentro de dois meses e, depois, poderá trocar o feito por uma peça de roupa da marca, ou ainda por itens como patins e vitrolas. “Não podemos esquecer a solidariedade, mesmo com os compromissos do dia a dia, pois ajudar os outros faz bem para a alma”, diz Danielle Vargas, uma das coordenadoras do projeto.

POR UMA BARBA MAIS LIMPINHA

Recente viral na internet, uma reportagem da TV americana mostrou que a barba costuma ser a parte mais suja e fedorenta do corpo de um homem. Nas imagens apresentadas, a comparação é com um vaso sanitário. De olho nesse mercado capilar, muita gente, inclusive do Rio, vem tentando capitalizar em cima da notícia bombástica. O pessoal do Sobrebarba (página de sucesso no Facebook) está lançando uma série de óleos e xampus especialmente preparados para os pelos do rosto. Este balm de barba, por exemplo, promete mantê-la macia e sem coceiras, e há uma cera de bigode para domar os fios abaixo do nariz, con­fe­rin­do-lhes um contorno natural.

Balm de Barba
(Foto: Divulgação)

Fonte: VEJA RIO