EDIÇÃO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Dia e noite ao mesmo tempo

historias-cariocas-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)
historias-cariocas-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Que skyline é esse? Olhando rapidamente é difícil cravar a resposta, mas o topo dos prédios à direita entrega que se trata da Barra, com suas torres que parecem foguetes. O que também pode confundir é que a foto foi tirada com uma técnica toda especial, cuja proposta é revelar ao mesmo tempo o dia e a noite. Ela é inspirada no trabalho do americano Stephen Wikes, que fundiu num mesmo ensaio a claridade e a escuridão de Nova York. O jornalista carioca Guilherme Taboada e o designer paulista Eduardo Renatino são os autores do clique. Fizeram oito (como Lapa e Pepê) com a mesma proposta e partem agora para a segunda etapa do projeto: uma exposição dessas surpreendentes imagens.

A tocha é delas

historias-cariocas-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A Empresa Olímpica Municipal, montada com vista aos Jogos de 2016, e feminina desde o nome, tem como principal executiva uma mulher, a economista Maria Silvia Bastos Marques. Além disso, 60% dos colaboradores se alinham com o que era chamado antigamente de ?sexo frágil?. Mas lá funciona de modo inverso: as moças é que têm o poder. Com a recente nomeação da arquiteta Moema Pinel para a Gerência de Instalações do Parque Olímpico, percebeu-se que, unindo diretoria e altas gerências, elas também já aparecem em número maior do que eles. A tocha olímpica está em mãos cuidadosas.

Memória da cidade

historias-cariocas-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em foto dos anos 80, eis o belo relógio ? que ainda funciona normalmente ? da fábrica de chocolates Bhering, em Santo Cristo, desativada há doze anos. Desde então o prédio de 1934 tem sido usado como locação de filmes (como Olga) e serve de ateliê para artistas plásticos. Famosa pela bala Toffee e por achocolatados em pó, a empresa, hoje sediada em Minas Gerais, vem se preparando para criar no local o Instituto Bhering. A ideia é aproveitar seus 17?000 metros quadrados para fomentar a cultura. Mas a iniciativa depende da Justiça, que ainda neste ano pode ou não anular o processo de leilão do imóvel, que se arrasta desde 2011, após a execução da firma por dívidas tributárias.

Comida de batalhão

historias-cariocas-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Com quase 200 páginas, foi lançado em janeiro, pela Réptil, o Guia de Feijoadas das Escolas de Samba, com dados sobre esse tipo de evento, geralmente realizado aos sábados. Nos últimos anos, ele tem feito bombar as quadras. Um dos textos, de Nilcemar Nogueira, neta de Cartola, fala da força feminina das ?tias?, que costumam liderar a preparação da comilança. Uma delas, Nilda, da Mocidade, enumera (abaixo) os ingredientes necessários para satisfazer um batalhão de foliões.

historias-cariocas-06.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

The book is on the...

No fim deste mês será implantado, no Ciep Glauber Rocha, na Pavuna, e na Escola Afonso Várzea, no Alemão, um programa pioneiro de aulas bilíngues. Jovens das favelas daquelas áreas terão a grade normal (matemática, física, ciências) oferecida, de manhã, em português e, de tarde, em inglês ? sendo que o curso de história versará sobre países de língua inglesa. Inspetores e até merendeiras já estão tendo as primeiras noções do idioma. O projeto conta com a supervisão da Cultura e do British Council.

Fonte: VEJA RIO