EDIÇÃO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Ângulo privilegiado

historias-cariocas-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Cinquenta metros mar adentro ?? justo na arrebentação ?? e munido de pé de pato, assim Fábio Minduim passa as manhãs. Fotógrafo profissional, ele recentemente fez dezenas de cliques para mostrar como o Rio é visto das ondas de suas praias. O tubo à esquerda rolou no Posto 11 e o bairro ao fundo é o Leblon. Um dos maiores especialistas do país em fotos aquáticas, Minduim expõe a partir deste sábado (10) na loja de vestuário Wöllner, em Ipanema.

Do hot-dog à feijoada

historias-cariocas-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O diretor de cinema Sérgio Bloch hoje em dia é menos conhecido pelos filmes que realiza e mais famoso por ter se tornado, digamos assim, um ativista da comida underground. Em 2011 lançou o Guia Carioca de Gastronomia de Rua, e a segunda edição está quase pronta, revista e ampliada, com outras dezenas de ambulantes que fazem e vendem iguarias nas ruas da cidade. Paralelamente ao projeto principal, aos poucos o pesquisador toma conhecimento do que chama de comidinha de favela, e já pensa em escrever, em 2013, um livro sobre o assunto. Confira, abaixo, pratos e quitutes que seriam, segundo Sérgio, as especialidades em alguns dos mais conhecidos morros do Rio.

Memória da cidade

historias-cariocas-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Quem passa hoje pela Zona Portuária e se espanta com a quantidade de obras que ali se instalaram talvez não consiga imaginar a trabalheira que deu erguer os primeiros armazéns e avenidas na área. Foi uma saga que se estendeu de 1904 a 1910, tudo registrado em fotos oficiais do governo da época. Uma centena delas pela primeira vez está reunida, como num álbum, no livro Um Porto para o Rio, organizado pela urbanista Maria Inez Turazzi, recém-lançado pela Casa da Palavra. São belas imagens (de página inteira), como esta do Dique da Saúde, com data provável de 1905, pouco antes de seu desmonte.

Debates em bloco

O Carnaval de rua está se repensando, discutindo a relação com a cidade. Na tarde deste sábado (10) se realiza no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico, o painel Desenrolando a Serpentina, iniciativa da Sebastiana, associação que representa agremiações da Zona Sul e do Centro. Os debates têm nomes e temas curiosos. Em Muito Além do Xixi, por exemplo, será analisado o olhar da mídia sobre os blocos. Haverá espaço ainda para reflexões sobre ?a nova geografia do Carnaval? e uma mesa cujo título na verdade é um questionamento: Tudo é Carnaval?. Talvez acabe sobrando para grupos que homenageiam bandas estrangeiras ou que só tocam músicas bregas.

Fachada à moda antiga

historias-cariocas-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Saem os filmes, entram os livros. Ali onde funcionava, até a década de 90, o Cine Vitória, na Rua Senador Dantas, no Centro, está sendo erguida uma filial da Livraria Cultura, de origem paulistana, a segunda no Rio. A maquete à direita revela como ficará a fachada, que mantém, no térreo, o nome da antiga sala de cinema. O retrofit do prédio de 1939 preservou granitos e mármores, e a previsão é de que em dezembro três andares já estejam prontos ? o restante da construção será ocupado por escritórios a partir de fevereiro. Abaixo, alguns números do empreendimento, que deveria ter ficado pronto em abril passado.

REFORMA GERAL

ÁREA DO PRÉDIO 6?500 m²

ÁREA DA LIVRARIA 3?000 m²

CUSTO DA OBRA R$ 30 milhões

Fonte: VEJA RIO