EDIÇÃO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Fatos e curiosidade sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Briga no subterrâneo

historias-cariocas-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Setembro se encerra e ainda não foi fechada ? como inicialmente estava previsto ? a praça de alimentação da feira de antiguidades do Shopping Cassino Atlântico, em Copacabana, o que acarretaria perda de público. Foi uma vitória, pelo menos momentânea, de expositores e lojistas, que fizeram um abaixo-assinado com clientes, adiando a resolução do problema para novembro. Uma nova luta vem pela frente, pois a administração do prédio quer transferir os estandes do subsolo para o pouco habitado 3º andar. Pior mesmo é a descaracterização do conceito: pelas prateleiras há cada vez menos peças antigas e mais bijuterias e "semijoias", no jargão local.

A leveza do aço

historias-cariocas-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Concorrentes e complementares, as mostras de decoração Casa Cor e Morar Mais por Menos estarão em cartaz em outubro, respectivamente no Flamengo e na Lagoa. Arquiteto que expõe em uma não costuma expor na outra, mas há vários profissionais, trabalhando por trás dos grandes nomes, que brilham em ambas. É o caso de Renato Martins, 70 anos, morador de Laranjeiras com ateliê em Itaipava, especialista na arte de dar formas leves ao aço corten ? a mesinha de vidro Bossa Carioca é só um exemplo. Craques do design como Evelyn e Elise Drummond, Pao­la Ribeiro, Rogério Antunes e Bernardo Schor sempre recorrem ao experiente artesão quando o assunto é retorcer metais.

Enquanto o bonde não vem

historias-cariocas-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Luz, câmera, ação, e tem de ser tudo muito rápido, ou o bondinho surge e estraga a cena. Foi nesse clima a filmagem, na Praia Vermelha, de Gonzaga, de Pai para Filho, longa de Breno Silveira, atração do Festival do Rio na semana passada, com estreia prevista para o próximo dia 26. Como a ação se passa no início da década de 40, os vagões atuais, modernos e em forma de bolha, tiveram de ser evitados. Também foi retocada, no processo de finalização do filme, a estação no alto do Pão de Açúcar. Trata-se da história do sanfoneiro pernambucano Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, com foco em sua vida carioca ? ele chegou por aqui em 1939, instalando-se no Morro de São Carlos. Nesta tomada, rodada há seis meses, Gonzagão (vivido por Chambinho do Acordeon) passeia com Odaléia (Nanda Costa), que viria a ser a mãe do compositor Gonzaguinha.

Memória da Cidade

historias-cariocas-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O simpático mestre rodeado por alunas do Instituto de Educação, na Tijuca dos anos 50, chamava-se Júlio César de Melo. Nascido em 1895, morreu em 1974, reconhecido como um dos mais importantes divulgadores da matemática no país. Ficou célebre por um pseudônimo: Malba Tahan. Autor do clássico O Homem que Calculava, livro repleto de criativas charadas numéricas, ele ganhou alentado perfil na edição que está nas bancas da Revista de História da Biblioteca Nacional. Sua família luta há dezessete anos para que a data de nascimento do escritor ? 6 de maio ? se torne o Dia Nacional da Matemática. Mais detalhes no site www.malbatahan.com.br.

Números em duas rodas

historias-cariocas-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Faz um ano que as bicicletas cor de laranja chegaram. Parceria da prefeitura com o banco Itaú e a empresa de engenharia Serttel, o projeto Bike Rio comemorou na semana passada o primeiro milhão de aluguéis, divulgando esse e outros números curiosos (veja abaixo). Uma pesquisa recente com os usuários mostrou ainda que as estações das praças XV e General Osório e da Rua Santa Clara são as mais movimentadas, muito provavelmente por causa do sistema de integração, nesses locais, com outros meios de transporte.

Fonte: VEJA RIO