EDIÇÃO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio de Janeiro

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Submarino hospitalar

historias-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Parece até brinquedo de parquinho ? e a intenção foi exatamente essa. Trata-se, na verdade, de um sofisticado tomógrafo, e foi instalado nesta semana no Hospital Municipal Jesus, em Vila Isabel. Pintado de submarino amarelo, o aparelho de radiação ionizante vai auxiliar no diagnóstico de doenças infecciosas, congênitas e traumáticas, tentando não assustar nem deixar temerosas as crianças, pacientes primordiais daquela instituição hospitalar. A sala de exames, de 30 metros quadrados, também mereceu decoração temática, a cargo do cenógrafo Gringo Cardia.

Auxílio baiano

historias-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A paisagem carioca, naturalmente esculpida pela natureza ou modificada pelas mãos do homem, conquistou no domingo passado (1º), em São Petersburgo, na Rússia, o título de Patrimônio Mundial, concedido pela Unesco. Foram fundamentais para a vitória obras como o calçadão de Copacabana e pontos turísticos como o Pão de Açúcar e o Cristo. Decisiva também, e pouco se fala sobre isso, foi a campanha detonada em 2008 por um baiano que é carioca de coração: o publicitário Nizan Guanaes. Ele, que no ano passado recebeu o título de embaixador da Boa Vontade na Unesco, tem muitos amigos na entidade, distribuiu-lhes vídeos ?vendendo? a cidade e chegou a pedir emprestado o barco rosa de Eike Batista para dar um passeio na Baía de Guanabara com a comissão julgadora.

Memória da Cidade

historias-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em 1991, Nelson Mandela, líder da luta contra o apartheid, ainda não era presidente da África do Sul nem Nobel da Paz. Em agosto daquele ano, tinha vindo ao Rio para participar de discussões sobre o racismo e curtiu, ao lado da então mulher, Winnie, o samba de Martinho da Vila. Em 2010, ele virou nome de dia, criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) na data de seu aniversário, 18 de julho ? nascido em 1918, está com 93 anos. No próximo Mandela Day, daqui a quase duas semanas, uma fábrica de remédios sul-africana vai proporcionar a 300 crianças da Cidade de Deus uma tarde especial, com brincadeiras, palestras sobre nutrição e noções acerca dos direitos humanos.

Nosso jeitinho tão especial

historias-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Bomba no YouTube um vídeo com jovens atores revelando características dos moradores da cidade. Alguns exemplos: 1) amigos que combinam uma fondue só porque os termômetros registram 20 graus; 2) gente que se esbarra na rua e fala: ?Vamos marcar uma parada?, depois vai embora sem nada combinar; e 3) a frase ?Imagina isso na Copa?, dita em filas e no trânsito. Nossas manias, aliás, agora são matéria de cursinho ? de olho na legião estrangeira que vem por aí, a rede Plan Idiomas incluiu no programa, além das aulas de português, a chamada ?aculturação?. Os gringos aprendem, por exemplo, que o carioca dá dois beijinhos e que, na praia, sempre pede a alguém que tome conta dos pertences enquanto mergulha.

Alta segurança

Foi erguida na semana passada, na saída 1 da Linha Amarela, a última unidade do primeiro lote de torres da PM encomendado pelo governo do estado à empresa paulista de engenharia e blindagem Vault. Com vidros que resistem a tiros de fuzil AR-15, elas foram ocupando a cidade timidamente, a partir do fim de 2010. Agora são dezoito, espalhadas em bairros das zonas Norte e Oeste e no Centro. Ainda não chegaram à Zona Sul e, se um dia começarem a brotar nas ruas dos bairros mais valorizados da cidade, aposta-se que vai rolar uma certa grita. É que são muito altas (6 metros) e atrapalhariam a vista de quem mora nos andares mais baixos dos prédios. Confira ao lado as vias que já têm mais de uma torre.

Fonte: VEJA RIO