EDIÇÃO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Um novo olhar

Quem já parava por minutos para contemplar a imensa pintura do paraibano Pedro Américo sobre a Guerra do Paraguai (1864-1870), exposta na Galeria do Século XIX do Museu Nacional de Belas Artes, na Cinelândia, agora será estimulado a ficar pelo menos meia hora observando o quadro. Foi lançado, pela Sextante, A Batalha do Avaí: Beleza da Barbárie, livro de Lilia Moritz Schwarcz, que analisa cada centímetro da obra ? que tem 50 metros quadrados. Abaixo, alguns detalhes.

historias-cariocas-01-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

1, 2 e 3 ? O quadro mostra, como define Lilia, "o exato segundo antes do caos". Um arpão vai furar o inimigo , um facão lhe dará o golpe fatal e, à direita, um tiro acertará, na mesma hora, outro oficial brasileiro

4 ? Em meio a muitos civis, alguns até sem camisa, os soldados paraguaios em sua maioria aparecem maltrapilhos e descalços

5 ? Montado no cavalo branco está o duque de Caxias. O livro conta que ele não gostou de ter sido retratado dessa forma. Preferia estar lutando

6 ? Este sujeito assustado, bem no meio da cena, carrega as feições

do próprio Pedro Américo. O pintor, dessa forma, incluiu-se na batalha

7 ? A moça com seios de fora remete às chamadas "prostitutas de guerra" 12 horas de mimos

Um dia de mordomias e luxos. Assim é o Summer Day, programa criado há duas semanas pelo Hotel Praia Ipanema, e que segue verão adentro. Começa às 9 da manhã, termina doze horas depois. Há vários mimos (veja abaixo), como a vista do Espaço 7zero6 (no 16º andar) e um serviço avançado na faixa de areia logo em frente, com espreguiçadeiras exclusivas. É claro que tudo tem um preço. No caso, 350 reais. Às 9 da noite o sonho acaba.

historias-cariocas-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Bela homenagem

Tradicional casa de samba da Barrinha, o Bom Sujeito permaneceu fechado para reformas quase o ano todo, reabrindo há algumas semanas. Agora, perto do palco onde já cantaram Monarco, Beth Carvalho e Almir Guineto, brilham degraus que fazem referência à Escadaria Selarón, de azulejos, na Lapa, obra de Jorge Selarón. Ele chegou a ser convidado a participar do projeto, mas morreu em janeiro. A responsável por ele foi, então, a mosaicista Glória Marques. E ficou a homenagem ao artista chileno.

historias-cariocas-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Apoteose no céu

A onda do fotógrafo Pedro Garcia de Moura é incorporar uma personalidade francesa. Deu-se o pseudônimo Cartiê Bressão (em homenagem a Cartier Bresson) e saiu clicando a cidade. Reuniu os trabalhos no recém-lançado Liberté, Egalité et Brasilité, da Editora Versal, com legendas na língua da boca com biquinho. Este céu da Urca, por exemplo, é assim definido no livro: "Les gaivotes qui ressemblent aux arches du Sambòdrome". E não é que parece mesmo?

historias-cariocas-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Tempero "franco-carrioca"

historias-cariocas-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A cena será exibida no sábado que vem (21) no GNT. Aconteceu numa favela em Belford Roxo, na Baixada, quando o chef Claude Troisgros (do programa Que Marravilha!) se encontrou com jovens bons de fogão. Deu liga, e todos se refestelaram com os pratos. O programa, na grade de fim de ano do canal por assinatura, mostrará também a rearrumação de uma creche da comunidade, feita pela decoradora Micaela Góes, da série Santa Ajuda.

Fonte: VEJA RIO