EDIÇÃO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

TURISMO DE EXPERIÊNCIA

historias-cariocas-01-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Gringos com chapéu, protetor solar e camisa colorida passeando de sapatos pela orla e subindo os morros da cidade, de jipe, para apreciar a vista. Pois bem, esqueça essas cenas. O tour da obviedade vai ficando para trás, com o surgimento de agências cuja proposta é dar mais vida, informação e cultura à experiência turística no Rio. Aberto há dois meses, o escritório +Asas propõe pacotes no mínimo curiosos. A foto mostra um grupo curtindo a mansão de Elis Regina, em São Conrado. Ali, os guias, além de acompanhar e servir os visitantes, aproveitam para contar um pouco da história da cantora. Segredos da Urca, com escalada até o Pão de Açúcar, e degustação de cafés em Santa Teresa são outros circuitos que saem da caixinha, na medida para exploradores modernos.

Bons velhinhos e noeletes

historias-cariocas-03-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Estão abertas as inscrições para mais um curso de Papai Noel, ministrado desde 1993 pelo diretor Limachem Cherem. Em pauta, como lidar com crianças levadas e perguntonas, o que fazer quando o shopping estiver vazio e o jeito mais engraçado de dizer ?ho-ho-ho?. Neste ano também há vagas para assistentes, as noeletes (entre 18 e 25 anos). O curso começa em outubro, no Rio?s Presidente Hotel, na Praça Tiradentes, no Centro.

? Idade mínima: 50 anos

? Atributos físicos necessários: Cabelo branco e barba branca

? Pré-requisitos: Não fumar, não consumir bebida alcoólica e gostar de criança

? Carga horária do curso: 16 horas

? Data da formatura: 12 de novembro

? Cachê médio no mercado (por quarenta dias de trabalho): 8 000 reais

Homem de ferro

historias-cariocas-04-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Este robozão de 10 metros, feito de material reciclado, não existe mais. Obra do artista plástico Wilson Alexandre, do Vidigal, ele estava exposto na favela até 2012, mas foi desmontado. Poderá ser visto no documentário Paisagem Carioca, estreia como diretor de cinema do produtor cultural Marco Antônio Pereira (Cabaré Kalesa, Casa Rosa). O filme acaba de ser rodado e aborda a integração de jovens estrangeiros às comunidades pacificadas. O novato cineasta já tem o foco do próximo projeto, também com pegada carioca: um longa sobre nossas calçadas de pedras portuguesas.

ENTRE O BALÉ E A MALHAÇÃO

historias-cariocas-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Repare na concentração da modelo Daniela Sarahyba. Tem de ser assim mesmo na turma de balé fitness da professora Mariana Cavalcanti, criada há três meses na Escola Dalal Achcar, na Gávea. No duro, no duro, é uma aula de ginástica com sapatilhas, em muitos momentos realizada na ponta dos pés. Sua-se à beça, ao som de música erudita. Por enquanto são dezesseis mulheres, de 30 a 45 anos, gente que quer manter a forma, mas não gosta do ambiente de academia e malhação.

O RIO ESTÁ PARA PEIXE

historias-cariocas-02-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Falou-se muito na Rio+20, depois veio a final da Copa das Confederações, teremos em 2016 os Jogos Olímpicos, mas, em meio a tantos eventos importantes, eis que o Rio sedia, a partir de segunda-feira 16, a Conferência Mundial da Tilápia. O encontro, que reúne autoridades de pesca dos cinco continentes, será na Escola de Guerra Naval, na Urca. Trata-se de uma das três espécies de peixe mais cultivadas do planeta, rica em proteína, com alta fertilidade e rápido crescimento. De origem africana, conhecida desde o antigo Egito, foi introduzida no Brasil há apenas cinco décadas, e hoje bate recordes de produção. Entre os assuntos a ser debatidos, estão aspectos sanitários do comércio e novas tecnologias para a criação. A última vez que a tilápia estrelou uma conferência desse naipe foi em 2010, em Kuala Lumpur, na Malásia.

Fonte: VEJA RIO