Histórias cariocas

Grafiteiro paulistano espalha seus rabiscos pelo Rio

Por: Lula Branco Martins

Rocinha
(Foto: Divulgação)

Um grafiteiro paulistano especializado em becos sujos, lugares ermos e vãos de viadutos vem se tornando conhecido no Rio. Tanto é assim que acaba de fechar contrato com uma galeria carioca, a Athena Contemporânea, que agora o representa não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Desde o ano passado, seus círculos, arabescos e linhas onduladas multiplicam-se na cidade, tanto em lajes na Favela da Rocinha (local da foto ao lado, com o bairro de São Conrado e a Pedra da Gávea no horizonte) como nas calçadas da Zona Sul e mesmo embaixo das ruas, em canos, galerias pluviais e passagens subterrâneas. Zezão também foi destaque na última edição da Feira Internacional de Arte do Rio de Janeiro (ArtRio), no mês passado, no Píer Mauá, e seus flops já chegaram a metrópoles como Nova York, Los Angeles, Paris, Londres, Frankfurt e Praga. Por aqui, os mais recentes trabalhos desse ex-motoboy, hoje com 40 anos, estão na Lagoa, próximo da saída Túnel Rebouças, e numa das fachadas do Jardim Botânico.

 

Uma rua só de casinhas

Casas de passarinho
(Foto: Adriana Lorete)

No corredor de um prédio icônico (o Centro Comercial de Copacabana, na esquina da Rua Siqueira Campos com a Avenida Nossa Senhora de Copacabana), estão em exposição casas de passarinho customizadas, trazendo no acabamento imagens cariocas. É o resultado de uma iniciativa do site AlugueTemporada, que promove uma espécie de competição entre os funcionários para ver quem constrói a mais bonita a partir da madeira crua. Especializado em aluguel de residências por períodos curtos, o site foi lançado em 2006 e desde 2010 pertence ao grupo americano Homeway, líder global do segmento, que tem por símbolo justamente uma casinha de pássaros.

 

Botos em 3D

Boto UFRJ
(Foto: Parque Tecnológico da UFRJ/divulgação)

Sabe aquelas esculturas de vaquinha, em tamanho real, pintadas por artistas das mais variadas tendências e que volta e meia são colocadas em pontos diversos da cidade? Pois a Cow Parade inspirou uma exposição que a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) prepara, desde agora, para estrear no ano que vem, dentro das festas dos 450 anos do Rio. Só que serão botos em vez de vacas. Cada um terá 2 metros de altura, sendo 45 no total (trinta deles pintados por alunos da Escola de Belas Artes), a ser espalhadospelo câmpusdo Fundão.O Parque Tecnológico da UFRJ patrocina a ação e já apresenta o protótipo que estará no edital, igual a este aqui ao lado.

 

Doce artístico

Doce artístico
(Foto: Paula Kossatz)

Confeitos grudados em leite condensado espalhado no rosto, nos braços, na roupa. Foi o que a atriz Karine Teles aprontou, há três semanas, no pátio do MAM, no Aterro. A performance, chamada Pancake, homenageava obra  homônima realizada em 2001 por Márcia X, falecida em 2005.Virou filme, exibido a partir de segunda (13) dentro do projeto Carne, no CCBB, no Centro. Veja ao lado detalhes do “show”.

 

Agora mais colorido

Rio eu amo eu cuido
(Foto: Reprodução)

Acabou a confusão. Ninguém mais achará que um carro com o adesivo Rio Eu Amo Eu Cuido é um veículo oficial da prefeitura. A instituição bolou uma nova marca, a ser lançada neste domingo (12) numa festa na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão. O movimento quer se aproximar ainda mais do carioca adotando um símbolo que evoca dinamismo e irreverência, em versões bem coloridas. Substituír  branco. O extreme makeover foi obra da agência ipanemense Quiero.

Fonte: VEJA RIO