PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Guindastes do Cais do Porto são tombados pela Prefeitura

As máquinas, junto com os velhos armazéns, compõem a paisagem  da região, que será preservada com as obras de vitalização do bairro

Por: Redação VEJA RIO

Guindaste do Cais do Porto
(Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio)

Parte da paisagem da Zona Portuária, os guindastes do Cais do Porto formam tombados, na quinta (27), pela prefeitura do Rio, através Instituto Rio Patrimônio da Humanidade. Nos próximos 90 dias, o IRPH fará um inventário das máquinas para planejar possíveis intervenções físicas como manutenção. A decisão amplia a política de preservação da área, integrando o novo patrimônio histórico aos armazéns, que também são tombados.

+ Postos de Salvamento da orla vão passar por reforma

Um dos detalhes do decreto é que os guindastes não poderão deixar de estar nos trilhos existentes ao longo do cais. “Os guindastes são elementos característicos da região do Porto, um local que passa por uma grande reurbanização. Por isso, não queremos deixar que eles desapareçam da paisagem. Vamos fazer um levantamento destes bens e estudar a melhor forma de fazer com que eles permaneçam” destaca Washington Fajardo, presidente do IRPH.

+ Escadaria Selaron é tombada pela prefeitura do Rio

A maioria das máquinas data da década de 1970 e todos estão desativados. Ao todo a região tem 24 guindastes, mas no início do século a região chegou a ter 90 deles em funcionamento. Os galpões do porto do Rio hoje são palco de grandes eventos culturais da cidade. Entre os que já ocuparam os espaços estão o Fashion Rio, o Festival do Rio e o ArtRio.

Fonte: VEJA RIO