COTIDIANO

Babás de celebridades

Com espírito de anjo da guarda e porte de leão de chácara, eles são a sombra dos astros internacionais que desembarcam em larga escala na cidade para fazer show ou lançar filme

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

seguranca-2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em sua última visita ao Rio, no ano passado, Paul McCartney cismou de pedalar pelas ruas da Zona Sul. Como não se nega pedido a um astro, foi montada uma meticulosa operação envolvendo dezenas de pessoas e seis veículos, uns luxuosos e outros mais simples, para transportar o ex-beatle e sua bicicleta. Depois de despistar a multidão à frente do Copacabana Palace, ele pôde passear a salvo pelo Bairro Peixoto, escolhido estrategicamente por ser o trecho mais reservado de Copacabana. Por trás desse engenhoso plano estava o segurança carioca Tulio Costa, um brutamontes de 1,90 metro, mais de 100 quilos e uma tonelada de tatuagens, que sobressai em uma área em franca expansão. Ele se tornou uma requisitada babá de celebridades internacionais em visita à cidade, uma legião que não para de crescer. Só neste ano, atuou como guardião do ator Will Smith, do ?Sherlock Holmes? Robert Downey Jr. e da cantora Fergie, entre outros. Destaque nesse nicho, seu segredo é estar o tempo todo preparado para satisfazer os caprichos da clientela. ?Ando sempre com chiclete, isqueiro e dinheiro no bolso para qualquer eventualidade?, diz.

Trata-se de uma atividade em que convém conjugar o espírito de anjo da guarda com a disposição de leão de chácara para, caso necessário, abrir caminho à força e manter afastados os fãs mais atrevidos. Porém, apenas músculos não bastam: é preciso, fundamentalmente, usar a cabeça. Contratado por grandes produtoras de cinema ou espetáculos, esse tipo de profissional adquire uma série de incumbências. Cabe a ele organizar toda a logística em torno da estrela internacional e acompanhá-la passo a passo desde o desembarque até o voo de volta. Um serviço, sem dúvida, desgastante, mas recompensado pelo glamour de estar próximo às personalidades. Com pouco mais de duas décadas no ramo, Tulio protagoniza diversas histórias ao lado de seus protegidos. Ele conta que, em 2010, mergulhou de roupa e tudo para socorrer o filho do ator Hugh Jackman, que passava por maus bocados na Praia de Copacabana. Ao levá-lo de volta ao hotel, testemunhou uma bronca dada no adolescente pelo pai, que ainda franqueou o banheiro de sua suíte para que o herói do dia tomasse uma chuveirada.

clique na imagem abaixo para ampliá-la

[---FI---]

Por mais simpático que pareça, o pop star dificilmente aceita ser contrariado. Assim, seu desejo vira sempre uma ordem. Na escala carioca de sua turnê realizada três anos atrás, o cantor americano Ben Harper quis fazer uma caridade um tanto inusitada e imprudente. Pegou 50?000 reais e se mandou para distribuir toda a dinheirama no Morro da Formiga, na Tijuca, que, para piorar, ainda não estava contemplado com a presença da polícia pacificadora. O gesto de Robin Hood respingou em seu guardião, Renato da Silva, um dos precursores nesse setor de segurança de personalidades. Sem demonstrar nervosismo, ele não desgrudou do artista um instante sequer. No fim, deu tudo certo.

Tulio e seu colega Renato são os expoentes de um ramo no qual há trabalho de sobra. Com uma boa gama de profissionais competentes na área técnica, uma paisagem deslumbrante que se presta a qualquer cenário e consumidores ávidos por atrações de porte, o Rio se inseriu definitivamente na rota das megaturnês e lançamentos internacionais. O ano passado foi particularmente prolífero na programação. Nossa cidade acolheu as estreias mundiais de obras com enorme apelo, caso da animação Rio e do filme Velozes e Furiosos 5, e, de quebra, ainda promoveu o Rock in Rio. O resultado foi um intenso afluxo de estrelas ? as cantoras Rihanna e Kate Perry e os atores Anne Hathaway, Jim Carrey, Vin Diesel, Antonio Banderas, Salma Hayek e Tom Cruise, para citar alguns ?, que ajudaram a aquecer o setor. ?Os lançamentos feitos no Rio dão excelente retorno às distribuidoras?, atesta Paulo Sérgio Almeida, diretor do site Filme B, especializado no mercado cinematográfico. Ele cita três títulos que tiveram estreia aqui e figuram entre as maiores bilheterias de 2011: Gato de Botas, Missão: Impossível ? 4 e o próprio desenho Rio.

Embora possam ser vistos como concorrentes, tanto Tulio quanto Renato têm sua fatia específica no mercado. O primeiro trabalha quase exclusivamente com artistas de cinema, e o outro dedica-se a nomes do showbiz. No entanto, eles possuem algo em comum: o começo como guarda-costas vip ocorreu por acaso. Diplomado em engenharia mecânica, Renato teve sua iniciação no ofício como intérprete do cantor americano Bruce Springsteen, em 1988. Curiosamente, foi ele quem ofereceu o primeiro trabalho ao rival, dois anos depois, durante a primeira passagem de Paul McCartney por aqui. Na ocasião, Tulio atuou como segurança no hotel em que o astro se hospedara. Foi então que a sorte o ajudou. Como era o único do staff que falava inglês, acabou escalado para escoltar Stella McCartney, filha do músico e hoje uma aclamada estilista, em um passeio pela Praia de Copacabana. Foi o ponto de partida para deslanchar na atividade, e, de lá para cá, ele só fez adicionar nomes a sua galeria estelar. No início, ganhava 30 reais por doze horas de trabalho. Agora, cobra 500 dólares por dia.

Com tanta demanda de serviço, cada um deles optou por abrir sua firma. Para ser contratado, o candidato precisa exibir ao menos duas virtudes: conhecimento de inglês e expertise em alguma arte marcial. Apesar de contar com apenas quarenta pessoas contratadas em sua empresa, Tulio costuma reforçar o contingente nos megaeventos. No último show de Paul McCartney, há quase um ano, no Engenhão, ele teve sob seu comando mais de 1?000 subordinados. Quanto à formação da dupla, Renato fez em Londres cursos de segurança, gerenciamento de multidões e evacuação de emergência. ?No Brasil não existe nenhum programa de especialização para a área de celebridades?, lamenta. Seu colega, por sua vez, fez apenas um curso expresso na Academia de Polícia do Rio sobre segurança de autoridades, ministrado por um especialista da U.S. PIT, organização americana que treina agentes pelo mundo. Sua experiência vem mesmo do dia a dia. Apesar do sucesso no setor, ele não abandonou a profissão que tem em paralelo. Tulio formou-se em direito e ingressou na Polícia Civil aos 18 anos. Passou mais de uma década nas fileiras da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), a tropa de elite da corporação. Agora, aos 43, está lotado no núcleo de controle de presos. Dispõe de porte de arma, mas jura abrir mão da prerrogativa quando exerce sua outra atividade.

Lidar com artistas do primeiro escalão mundial exige energia redobrada e uma dose maior de paciência. É um trabalho penoso, em que há até uma tabela para graduar os clientes, divididos em três níveis. O ?major? se refere a artistas que são superestrelas e se comportam como tal. É a categoria que dá mais dor de cabeça, na qual estão a americana Jennifer Lopez e o astro canadense Justin Bieber. O ?low profile? envolve celebridades mais acessíveis ao público, como os atores Antonio Banderas e Vin Diesel. Por fim, uma terceira faixa, não denominada, abrange artistas de baixo potencial de frisson, caso de Emma Stone, protagonista do novo Homem-Aranha, e de Tom Felton, vilão da série Harry Potter.

Tirar uma casquinha dessas figuras famosas faz parte do jogo de quem vive em suas imediações. Para retribuírem o amparo que recebem, elas presenteiam seus guardiões com certos mimos que os enchem de orgulho e rendem histórias para contar. Tulio começa as frases com a expressão ?modéstia à parte? e, em seguida, desfia as conquistas. Sua página no site de relacionamentos Facebook reúne mais de 1?700 amigos, incluindo o perfil disfarçado do cantor porto-riquenho Ricky Martin, seu cliente há doze anos. Mas nada comparável à homenagem feita pelo diretor Carlos Saldanha. Um dos personagens centrais de Rio é o atrapalhado cientista Tulio, que no roteiro original se chamava Julio. ?Eu queria um nome em português. O problema foi resolvido quando a equipe decidiu homenagear nosso chefe de segurança?, conta Saldanha. Em agradecimento, Tulio tatuou as araras-azuis do filme em seu corpo, já todo coberto de estampas e no qual chama atenção a expressão The Protector, cunhada em seu braço esquerdo. Scarlett Johansson e Halle Berry, que devem vir ao Rio em breve, vão entender por quê.

Fonte: VEJA RIO