Cidade

Governo atualiza matriz olímpica e custo fica R$ 100 milhões mais caro

A Autoridade Pública Olímpica afirma que serão necessários ao menos R$ 6,6 bilhões,

Por: Redação Veja Rio - Atualizado em

2015
Obras no Parque Olímpico, em Jacarepaguá, no final de dezembro de 2014 (Foto: Rio Cidade Olímpica)

Entidade governamental responsável por acompanhar as obras para os Jogos de 2016, a Autoridade Pública Olímpica (APO) atualizou, nesta quarta (28), a Matriz de Responsabilidades da Olimpíada. O documento lista os projetos essenciais para as competições esportivas. De acordo com a nova versão, houve um aumento de R$ 100 milhões no custo dos empreendimentos. 

+ 2015, o ano decisivo para o Rio pré-Olimpíadas

A primeira atualização aconteceu em julho de 2014. Na data, o custo estava em R$ 6,5 bilhões. Agora, a APO diz que serão necessários ao menos R$ 6,6 bilhões, um incremento de 1,4%. A entidade afirma que o custo foi causado pela inclusão de novos projetos no documento.

Do montante, R$ 4,24 bilhões (64%) vêm do setor privado e R$ 2,37 bilhões (36%), do setor público. Seis dos 56 projetos já foram concluídos.

+ Os preparativos para 2016 entram na reta final

Em relação à primeira atualização da matriz, feita em julho de 2014, o número de projetos cresceu de 52 para 56. Os quatro projetos novos são referentes ao fornecimento de energia para as instalações da região de Copacabana, campo de golfe e Riocentro.

+ Veja como estão as obras do Parque Olímpico

O documento também revelou que um em cada quatro projetos dos Jogos ainda não foi licitado, faltando 555 dias para o evento. 

O projeto de urbanização do entorno do Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão) saiu da Matriz de Responsabilidades (com conteúdo Agência Brasil)

Fonte: VEJA RIO