vida marinha

Golfinho morre na Baía de Guanabara

O animal foi encontrado próximo à Praia da Engenhoca, na Ilha do Governador. Total da espécie para 37

Por: Redação VEJA RIO

golfinho
Um dos golfinhos remanescentes na Baía de Guanabara: espécie ameaçada de extinção (Foto: Divulgação)

Na manhã de segunda-feira (29)  mais um filhote de golfinho foi encontrado morto na Baía de Guanabara, perto da Praia da Engenhoca, na Ilha do Governador. Com menos de 1 ano desde o nascimento, a carcaça do boto-cinza foi retirada para análise pela equipe do Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores (Maqua), da Faculdade de Oceanografia da Uerj. Com essa morte, a população de remanescentes passa a ser de 37, quase onze vezes menor do que em 1985.

+ Símbolos da cidade, a ponto de estamparem nossa bandeira, os golfinhos correm o risco de sumir da Baía de Guanabara

Em 2 de maio, o programa de monitoramento dos botos custeado pela Petrobras chegou ao fim, o que fez com que o número de expedições reduzisse de seis a oito para dias vezes ao mês, neste caso com verba da Faperj.

Há duas semanas, no entanto, o Maqua concluiu um projeto de monitoramento para os cetáceos de todo o estado, que incluiu os habitantes das baías de Sepetiba e Ilha Grande. Orçado em 7 milhões de reais, já foi aprovado pelo secretário do Ambiente André Corrêa, mas ainda não tem data para ser posto em prática.

 

 

 

Fonte: VEJA RIO