COTIDIANO

Garotinho chega a 28% das intenções de voto em nova pesquisa Ibope

Atual governador, Pezão aparece em segundo com 18% e Crivella em terceiro com 16%

- Atualizado em

Em pesquisa divulgada pelo Ibope na noite desta terça-feira o ex-governador Anthony Garotinho (PR) aparece com 28% das intenções de voto para governador do Estado do Rio, 7 pontos percentuais a mais que na última pesquisa, no dia 30 de julho.

O atual governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), candidato à reeleição, aparece com 18% enquanto o senador Marcelo Crivella (PRB) tem 16%. Lindberg Farias (PT) soma 12% das intenções de voto. 15% afirmaram que votariam em branco ou nulo; 6% dos entrevistados não souberam ou não responderam.

Marina encosta em Dilma e venceria segundo turno

O Ibope ouviu 1.204 eleitores entre os dias 23 e 25 de agosto de 2014. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Veja os números da pesquisa:

Anthony Garotinho (PR) - 28%

Luiz Fernando Pezão (PMDB) - 18%

Marcelo Crivella (PRB) - 16%

Lindberg Farias (PT) - 12%

Tarcísio Motta (PSOL) - 3%

Dayse Oliveira (PSTU) - 1%

Ney Nunes (PCB) - 1%

Brancos e nulos - 15%

Não sabem ou não responderam - 6%

Segundo turno

Em uma simulação de segundo turno Crivella e Garotinho, há um empate técnico já que o ex-governador tem 34% das intenções de voto, e Crivella, 33%. Votariam em branco ou anulariam o voto 27% e 5% não souberam ou não responderam.

Em uma disputa com Pezão, Garotinho aparece com 38% das intenções de voto contra 31% do atual governador. 25% votariam em branco ou nulo e 5% não souberam ou não responderam.

Em um eventual segundo turno contra Lindberg, Garotinho também lidera com 37%, enquanto o candidato do PT tem 29%. Brancos ou nulos somam 27%, e não souberam ou não responderam 6%.

Rejeição

A pesquisa também apontou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Garotinho é que o aparece com a maior rejeição, com 35%, seguido por Pezão com 20% e Crivella e Lindeberg com 19%. Eleitores que não souberam responder ou não responderam somaram 17%.

Fonte: VEJA RIO