DIVERSÃO

Fique ligado

O que estreia e o que sai de cartaz neste fim de semana. Aproveite as dicas

- Atualizado em

monica-barki.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

TEATRO

ESTREIA

MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS, de Rafael Gomes. Drama de estreia do cineasta Gomes ? diretor do curta Tapa na Pantera, com Maria Alice Vergueiro, e de clipes de cantores como Zélia Duncan e Arnaldo Antunes ?, a produção já cumpriu temporada em São Paulo, onde conquistou o Prêmio APCA 2010 de Melhor Espetáculo Jovem. O elenco formado por Fábio Lucindo, Mayara Constantino e Victor Mendes (além do substituto Guilherme Gorski), interpreta três personagens na faixa dos 20 anos: Felipe, Isabela e Ricardo. Dividida em dez cenas curtas, a montagem é encenada no formato de monólogos intercalados, em que cada um discorre sobre sentimentos referentes ao amor, como paixão, perda, desejo e desilusão. Direção do autor (70min). 14 anos. Espaço Sesc ? Mezanino (90 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até 12 de fevereiro. Estreia prometida para quinta (2).

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪✪ ATO DE COMUNHÃO, de Lautaro Vilo, com tradução de Amir Harif. O monólogo dramático rendeu a seu intérprete, Gilberto Gawronski, a indicação ao Prêmio Shell 2011 de melhor ator. O texto do dramaturgo argentino é baseado na história real de um crime bárbaro, cometido na Alemanha, em 2001, por Armin Meiwes. O assassino ficou conhecido como O Canibal de Rotemburgo após matar o engenheiro Bernd Jürgen Brandes. Amparado em recursos de internet e projeções de vídeo de Jorge Neto, o ator narra em primeira pessoa três momentos na vida de Meiwes: sua festa de aniversário de 8 anos, o funeral da mãe em sua juventude e, já adulto, o fatídico encontro marcado pela internet, com consequências bizarras. Recomenda-se prudência a pessoas impressionáveis, porque a narrativa contém situações de violência descritas detalhadamente. Direção de Gilberto Gawronski e Warley Goulart (55min). 18 anos. Estreou em 5/4/2011. Centro Cultural Parque das Ruínas (70 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2252-1039. Sábado e domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 18h (sáb. e dom.). Até domingo (5).

CAIXA DE PHOSPHORUS, de Renata Mizrahi. Na comédia romântica, os atores Ivan Mendes e Daniela Carvalho interpretam Pedro e Cris, um casal confuso, vítima do excesso de informação e dos novos padrões de comportamento do mundo contemporâneo. Eles tentaram viver juntos, sem sucesso. Ficaram separados, mas não suportaram a distância mútua. Decidiram, então, inventar situações inusitadas para manter o relacionamento, após constatar que definitivamente nasceram um para o outro. Direção de Susanna Kruger (70min). 12 anos. Estreou em 13/1/2012. Espaço Sesc ? Sala Multiuso (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (5).

A CRIPTA DE POE, adaptação de Lenerson Polonini para poemas e contos de Edgar Allan Poe (1809-1849). Inspirado no universo fantástico do escritor americano, o drama com pegada de terror é protagonizado pelo ator italiano Omero Affede, da Cia. Teatro Del Contagio, de Milão. Ele divide o palco com atores brasileiros da Companhia Nova de Teatro. Servem de base para a montagem multimídia ? com direito a projeções de vídeos fantasmagóricos nas paredes do Castelinho do Flamengo, construção com folclórica fama de endereço mal-assombrado ? as obras O Espectro, O Corvo, O Retrato Oval, Berenice, Ligeia e William Wilson. A produção conta com participação, em vídeo, do ator Paulo César Pereio, interpretando o ?Velho Poe?. Direção de Polonini (90min). 14 anos. Estreou em 13/1/2012. Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho ? Castelinho do Flamengo (50 lugares). Praia do Flamengo, 158, Flamengo, ☎ 2205-0655. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes. Até domingo (5).

A VARANDA DE GOLDA, de William Gibson. No monólogo dramático, Rosane Gofman interpreta a primeira-ministra de Israel Golda Meir (1898-1978). A trama se passa durante a Guerra do Yom Kippur, em 1973, quando a líder política lutava para conseguir a ajuda dos Estados Unidos ? na ocasião, o apoio americano era a única esperança de sobrevivência do estado de Israel. Direção de Ary Coslov (70min). 14 anos. Estreou em 11/8/2011. Teatro Fashion Mall ? Sala 2 (296 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Quarta e quinta, 20h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. e qui.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até quinta (2).

EXPOSIÇÕES

ESTREIAS

ALEXANDRE MAZZA. Artista visual curitibano radicado no Rio, Mazza já integrou coletivas como Nova Escultura Brasileira ? Heranças e Diversidades e a mostra que reuniu criadores ligados à marchande Luciana Caravello. Na primeira individual, Em Cada Gota Há um Arco-Íris, apresentará 25 trabalhos inéditos e em diferentes suportes. A instalação que dá nome à exposição ficará isolada em uma sala escura, com quatro espelhos em cada parede, cercando um aquário redondo: um feixe de luz projetado nesse objeto reflete a luminosidade por todo o espaço. No acervo também estarão quatro caixas de luz da série Metamorfose 2 e seis objetos esféricos do conjunto Metamorfose ? Série Borboletas, construídos com restos do inseto desidratados e com uso autorizado pelo Ibama. A partir de R$ 6?000,00. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 10 de março. A partir de sexta (3). www.lucianacaravello.com.br.

EDUARDO DIAS DA ROCHA. Fotógrafo carioca que possui quinze trabalhos na coleção do Museu Rodin, em Paris, e já expôs no Festival de Fotografia de Montecchio Emilia, na Itália, Eduardo passou as últimas duas décadas fazendo registros de foliões durante o Carnaval no Rio, em Recife e em Veneza. Na individual Retratos e Carnavais, com curadoria da também fotógrafa Cristina Veneu, o artista exibirá 37 ampliações em médios e grandes formatos, com flagrantes em preto e branco e em cores. No acervo, é possível notar semelhanças e contrastes entre mascarados e gaiatos fantasiados nas ruas cariocas, caboclinhos e brincantes do maracatu pernambucano e guerreiros, nobres renascentistas e figuras demoníacas da festa veneziana. Espaço Cultural Banco Central. Avenida Presidente Vargas, 730, subsolo, Centro, ☎ 2189-5327. ? Presidente Vargas. Segunda a sexta, 9h às 16h30. Grátis. Até 2 de março. A partir de quarta (1º).

ESCRITURAS NA LIBERDADE: POESIA EXPERIMENTAL ESPANHOLA E HISPANO-AMERICANA DO SÉCULO XX. Coletiva sobre poesia visual com 163 itens, entre livros, fotografias, serigrafias, objetos, poemas, filmes e fotografias. No acervo, estão produções de criadores espanhóis como J.M. Junoy, Ernesto Giménez Caballero e Ramón Gómez de la Serna, além de nomes latino-americanos, a exemplo de Juan José Tablada e Vicente Huidobro. Instituto Cervantes ? Sala de Exposições. Rua Visconde de Ouro Preto, 62, Botafogo, ☎ 3554-5910, ? Botafogo. → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 29 de março. A partir de sexta (3). www.riodejaneiro.cervantes.es.

MODIGLIANI: IMAGENS DE UMA VIDA. Leia em Veja Rio Recomenda. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. R$ 8,00. Grátis aos domingos. Até 15 de abril. A partir de quarta (1º). www.mnba.gov.br.

NELSON BRASIL RODRIGUES - 100 ANOS DO ANJO PORNOGRÁFICO. O mais polêmico dramaturgo brasileiro, Nelson Rodrigues (1912-1980) inspira a mostra que dá início às celebrações do seu centenário de nascimento. Com curadoria assinada a quatro mãos, pela neta Crica Rodrigues e por Nelson Rodrigues Filho, todo o material foi selecionado do acervo do Centro de Documentação da Funarte. Serão expostos fotografias, reportagens e textos das dezessete peças do autor pernambucano que fez carreira no Rio. O visitante poderá apreciar em painéis deslizantes materiais referentes ao texto de estreia, A Mulher sem Pecado, passando pelas peças psicológicas, as obras míticas, as tragédias cariocas e o último drama, A Serpente. Teatro Glauce Rocha ? Sala Aloísio Magalhães. Avenida Rio Branco, 179, Centro, ☎ 2220-0259. ? Carioca. Quarta a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 30 de dezembro. A partir de quarta (1º).

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ MONICA BARKI. Depois de prorrogada por uma semana, chega aos últimos dias a retrospectiva que reúne 127 obras da artista carioca. No sábado (4), às 15h, Monica e a curadora da exposição, Luiza Interlenghi, farão uma visita guiada pelo acervo que contempla todas as fases da multifacetada criadora. Em cada etapa da carreira ela explorou um suporte e uma técnica diferente ? usou de óleo sobre tela a assemblage, passando por videoarte e performances. Atualmente, trabalha com desenhos a lápis de cor e pastel seco e oleoso. A cultura popular, a condição feminina, o papel da mulher na sociedade e retratos psicológicos de personagens inventados por Monica Barki são temas recorrentes. Um dos destaques da mostra é a série de bobinas, rolos de 350 metros de papel, com desenhos que se repetem. As máquinas movimentadas por mecanismos de motor que exibem lonas com impressões em serigrafia representam o período da carreira que vai de 2007 a 2008. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. R$ 8,00. Grátis aos domingos. Até domingo (5). www.mnba.gov.br.

Fonte: VEJA RIO