Histórias Cariocas

Festival na Barra celebra noite de lua cheia

Histórias e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins

Artes
Artes (Foto: Gabriel Mello Franco, Kammal João e Gustavo Barbosa)

Holofote Natural

Repare que, nas três ilustrações acima, um astro celeste, de forma simbólica ou retratado de modo mais realista, ocupa boa parte da cena. Não é para menos: são cartazes bolados especialmente para o projeto Festival da Lua Cheia, com shows realizados no aprazível deque do VillageMall, na Barra da Tijuca, que oferece uma senhora vista do bairro. O evento acontece, obviamente, uma vez por mês. Neste fim de semana, o nosso satélite natural ainda se encontra em modo crescente, mas a partir de quarta-feira (1º) a lua ficará cheia, redondinha no céu carioca, e por isso será esse o dia da apresentação do cantor Tiago Iorc. Já cantaram e tocaram no evento artistas como Evandro Mesquita, Geraldo Azevedo e Isabella Taviani. Os desenhos à direita são criações de Gabriel Mello Franco (o maior), Gustavo Barbosa e Kammal João.

450 minutos

É o período diário, estendido desde terça (23), de funcionamento das bibliotecas-parque. Por isso, não existe mais desculpa para não ter acesso a bons livros. A partir de agora, todas as quatro unidades do programa da Secretaria Estadual de Cultura (Manguinhos, Centro, Rocinha e Niterói) passam a atender das 11h às 18h30. Desde o início do projeto, em 2010, elas vinham abrindo apenas ao meio-dia, o que dava uma jornada, entre a tarde e o começo da noite, de 390 minutos disponíveis para amantes da literatura (aos domingos, os locais fecham). Pelas contas oficiais, de lá para cá meio milhão de pessoas já visitaram a rede.

Um estímulo para arrumar o armário

Olhe que graça ficou a peça institucional da campanha Armário Não É Museu, implementada recentemente (com duração até julho) por uma tradicional rede de farmácias. Trata-se de um programa de arrecadação de agasalhos, cobertores e meias (pela Cruz Vermelha), destinados à população carente — uma ajuda providencial para este início de inverno. É a quarta edição da campanha, que também acontece nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Paraná, entre outros. Desde 2012, já foram arrecadados cerca de 7 500 sacos, de 100 quilos cada um, com peças de vestuário e de roupa de cama doadas pelos clientes. Mais detalhes em www.drogariaspacheco.com.br.

Arrecadação de agasalhos
Arrecadação de agasalhos (Foto: Divulgação)

Arte-denúncia

Em tempos de violência na cidade, com facadas, tiros e o consequente medo de sair às ruas, nada mais adequado do que o nome da mostra do filósofo Matheus Rocha Pitta, que entra em cartaz na quinta (2) na galeria Athena Contemporânea, no Shopping Cassino Atlântico, em Copacabana: Assalto. A exposição reúne onze lajes de concreto, nas quais são introduzidas imagens do noticiário impresso, como a foto da presidente Dilma Rousseff (ao lado), e também de anúncios de publicidade, exibindo especialmente gestos manuais. “O clima é de mãos ao alto”, diz Rocha Pitta.

Arte de Matheus Rocha Pitta
Matheus Rocha Pitta (Foto: Divulgação)

Samba na pauta

Há o jornalismo esportivo, existem áreas da comunicação dedicadas ao marketing e também salpicam no mercado colunistas especializados em cobrir assuntos de economia, política e tecnologia. Com a profissionalização dos blocos de rua e das escolas de samba, começam a surgir cursos técnicos cujo objetivo é formar profissionais para atuar em outro ramo: o Carnaval. A Universidade Veiga de Almeida abriu na semana passada as inscrições (no câmpus da Tijuca) para a sua primeira turma de jornalismo carnavalesco, extensão pilotada por Anderson Baltar, profissional de rádio, TV e internet. Pandeiros, tamborins, alegorias, baianase porta-bandeirasestão no currículo.

Pandeiro
Pandeiro (Foto: istockphoto)

Fonte: VEJA RIO