DIVERSÃO

Férias radicais

Aproveite o verão para se aventurar nos esportes radicais que a cidade oferece

Por: Thaís Meinicke - Atualizado em

Quer fazer algo diferente neste verão? Quem optar por experimentar novas sensações e conhecer outras atividades além da pedalada e da corridinha na orla que já são marca registrada da cidade, pode se aventurar em uma das diversas opções de esportes radicais que o Rio oferece. Fizemos uma seleção de atividades para você curtir as férias com muita adrenalina.

Asa-delta e parapente

Os voos de asa delta e parapente no Rio de Janeiro acontecem na rampa da Pedra Bonita, um ponto privilegiado em São Conrado com vista para as praias da Zona Sul. Lá existem diversas escolas com atletas credenciados pela Associação Brasileira de Voo Livre (ABVL), que realizam voos de instrução com os estreantes no esporte. Dependendo das condições do vento, os voos podem durar de sete até 30 minutos.

É possível encontrar uma lista das escolas credenciadas no site do Clube São Conrado de Voo Livre (cscvl.com.br), responsável pelo esporte nesta rampa. Entre elas, está a Easy Fly Rio, que realiza voos de asa-delta e parapente a R$ 250 por pessoa.

Easy Fly: Praia do Pepino, São Conrado. Tel. 9966-9346 (instrutor Marcio Borges). easyflyrio.com.br

asa-delta.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Paraquedismo

No Rio, o melhor lugar para a prática de paraquedismo é a Barra da Tijuca, no Aeroporto de Jacarepaguá. Lá fica localizado o Barra Jumping, clube filiado à Federação Brasileira de Paraquedismo, fundado em 1996. Não é necessário ter nenhuma experiência prévia para realizar um salto duplo e conhecer as emoções do esporte. Com apenas 15 minutos de instrução no solo, um iniciante já está pronto. O salto duplo custa R$ 700, com vídeo o e foto incluídos, para registrar todos os momentos, e são realizados nos fins de semana com agendamento prévio. Se a pessoa pesar mais de 85kg, o salto sai R$ 100 mais caro.

Quem quiser embarcar de vez nas aventuras do paraquedismo também pode fazer o curso Curso AFF (Accelerated Free Fall) de formação de paraquedistas, que é dividido em aulas teóricas e práticas. Nas aulas teóricas, os alunos aprendem sobre as regras, equipamentos e procedimentos do esporte, enquanto as aulas práticas consistem em sete saltos de treinamento com acompanhamento de instrutores. Após a conclusão do curso, o aluno já pode saltar sozinho. O custo é de R$ 4 500.

Barra Jumping: Av. Ayrton Senna, 2541, prédio E0034, eixo principal. Aeroporto de Jacarepaguá. Barra da Tijuca. Tel. 3151-3602. barrajumping.com

paraquedas.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Arvorismo e tirolesa

Para quem procura aventura e ecoturismo para toda a família, o arvorismo pode ser uma ótima opção. Há circuitos variados, com atrações e níveis de dificuldade para adultos e crianças. No Parque da Catacumba, na Lagoa, empresa Lagoa Aventuras atua desde 2009 com a atividade. No arvorismo alto, o percurso fica a sete metros de altura, com 120 metros de comprimento e nove obstáculos diferentes. Para as crianças, a melhor opção é o arvorismo baixo, com um metro de altura e 65 metros de comprimento, com cinco obstáculos. A empresa oferece ainda tirolesa, muro de escalada e rapel. As atividades têm idades mínimas específicas para a prática de cada uma. Os preços também variam, a partir de R$ 13.

Lagoa Aventuras: Avenida Epitácio Pessoa, 3000, Parque da Catacumba, Lagoa. Tel. 4105-0079. lagoaaventuras.com.br

arvorismo.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Surfe, stand up paddle e kitesurfe

Quer arriscar um esporte de praia neste verão? Com uma orla privilegiada, o Rio oferece diversas opções de atividades para você aprender. Existem diversas escolinhas de surfe nas praias da cidade, com aulas particulares ou em grupos. Criada em 1982, a Rico Surf, do surfista veterano Rico de Souza, foi a primeira escolinha do esporte no país e tem aulas em dois locais: no posto 4 da Praia da Barra da Tijuca e na Praia da Macumba. Cada aula em grupo custa R$ 40 e tem duração de duas horas. O pacote com dez aulas sai a R$ 350, com R$ 70 de matrícula. Quem preferir, também pode optar por aulas particulares, que saem a R$ 80 a hora.

RicoSurf: Av. Lucio Costa, posto 4, Barra da Tijuca. Tel. 2438-4096. ricosurf.com

Alexandre Macieira|Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Se você prefere aprender kitesurf, o melhor ponto é na Barra da Tijuca, devido aos ventos favoráveis e às ondas perfeitas para a prática do esporte. É lá que fica o KitePoint Rio, onde batem ponto tanto atletas experientes quanto iniciantes. Para o suporte das aulas, a escola do Kitepoint, conta com dois botes infláveis que acompanham os alunos nas aulas de água, além de um jet-ski de resgate rápido. Os cursos são divididos em pacotes, que vão desde uma aula experimental (R$ 250) ao curso completo de 22 horas (R$ 3 500).

Tanto a escolinha de surfe RicoSurf quanto o KitePoint Rio também oferecem aulas de stand up paddle, o surfe com remo que virou moda no litoral carioca. No RicoSurf, as aulas devem ser agendadas previamente e custam R$ 100 a hora, enquanto no KitePoint, uma hora de instrução sai a R$ 70.

KitePoint Rio: Av. do Pepê, quiosque 7, Barra da Tijuca. Tel. 8859-2112. kitepointrio.com.br

3756145975_0f01012718_o.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Escalada e rapel

O Rio possui diversas rotas urbanas e belos cenários para a prática de escalada. Há opções tanto para iniciantes quanto para atletas com mais experiência. Se você tem vontade de estrear no esporte, é fundamental que procure uma escola especializada com instrutores credenciados à Associação de Guias, Instrutores e Profissionais de Escalada do Estado do Rio de Janeiro (AGUIPERJ) para evitar qualquer tipo de acidente.

Para começar, é possível fazer uma aula experimental com uma escola de escalada. Para isso, é necessário apenas que se tenha um bom condicionamento físico, já que a atividade exige esforço, principalmente das pernas. A Rocks in Rio é uma das escolas que oferece este serviço. As aulas custam R$ 190 e têm três horas de duração, nas quais são transmitidos os fundamentos básicos sobre a escalada, os equipamentos, técnicas de segurança e rapel, para que os alunos possam viver um pouco da experiência do esporte.

Para fazer a aula experimental da Rocks in Rio, os alunos devem escolher entre dois pontos ? o morro da Babilônia, na Urca, ou o do Cantagalo, na Lagoa ? por serem locais que oferecem mais oportunidades aos iniciantes, além de uma bela vista da cidade. Nas aulas experimentais, os alunos costumam subir cerca de 30 metros junto com os instrutores, o que já possibilita que vivenciem um pouco do ambiente vertical da escalada. Quem preferir se dedicar ao esporte, também pode optar por fazer o curso básico. Ele é ministrado em oito aulas, com conteúdo definido pela Federação de Montanhismo do Estado Rio de Janeiro (FEMERJ), e custa R$ 1 000.

Rocks in Rio: Tel. 7756-6576. rocksinrio.com.br

escalada.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Mergulho

Existem ótimos locais para o mergulho no Rio de Janeiro. Quem quiser experimentar as emoções deste esporte no litoral da cidade, pode fazer o batismo, como é chamado o mergulho guiado por um instrutor. Este mergulho não requer nenhuma experiência prévia e os iniciantes aprendem algumas habilidades e conceitos básicos da atividade.

A Mar do Rio, que atua na Marina da Glória, é uma das escolas que oferecem este serviço na cidade, ao custo de R$ 250. Este valor inclui todos os equipamentos de mergulho (máscara, nadadeiras, colete equilibrador, cilindros, regulador, roupa de neoprene) e a taxa de embarcação. Quem se animar com o batismo e quiser continuar no esporte, pode fazer o curso básico para iniciantes. Com atividades práticas em piscina, aulas de conhecimento teórico e duas saídas embarcadas com quatro mergulhos nas Ilhas Cagarras, o curso completo custa R$ 1 080.

Mar do Rio: Tel. 2225-7508. mardorio.com.br

mergulho.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Wakeboard

Com águas calmas e sem banhistas, a Lagoa Rodrigo de Freitas é o melhor ponto da cidade para o wakeboard. O esporte pode ser praticado por qualquer pessoa, mesmo quem não tem nenhuma experiência. Os iniciantes podem fazer aulas individuais na Rio Wake Center, com o professor Marquinhos Figueiredo. Para aprender o esporte na escolinha é preciso agendar um horário com antecedência. Cada aula com uma hora de duração custa R$ 220, com todos os equipamentos incluídos.

Rio Wake Center: Lagoa Rodrigo de Freitas, em frente à Rua Garcia D´Avila. Tel. 2239-6976 / 9976-7147. riowakecenter.com.br

wakeboard.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Canoa havaiana

O Rio de Janeiro tem uma costa privilegiada para a canoagem, com praias, mata atlântica e belas ilhas. Quem quiser aproveitar tudo isso de um outro ângulo, pode experimentar algumas aulas de canoa havaiana. O esporte chegou ao Brasil há cerca de 10 anos e tem como principal diferença em relação à canoagem normal a estrutura do barco, que possui uma haste externa para auxiliar no equilíbrio e enfrentar as ondas com maior estabilidade.

A Praia Vermelha, na Urca, possui alguns clubes dedicados ao esporte e é o principal ponto de partida para os passeios de canoa havaina (também conhecida como polinésia). O Carioca Va'a Clube, com bases de apoio na Praia da Urca e na Praia Vermelha, é um dos responsáveis por promover o esporte no local. Os interessados em conhecer a modalidade podem fazer uma aula experimental, na qual receberão instruções básicas de segurança e técnica de remada, além de iniciar na canoa havaiana ao lado de outros remadores, conhecendo um pouco das tradições polinésias e do espírito de equipe desta atividade. Para fazer a aula experimental, os interessados devem pagar R$ 30 e, caso desejem em se associar ao clube, não precisam pagar a taxa de inscrição. A mensalidade do clube é R$ 80, com a escolinha incluída. As aulas acontecem às quartas e sábados, às 6h da manhã.

Carioca Va'a Clube: Praia Vermelha, Urca. Tel. 8125-7697 (Marcelo) / 9563-7174 (Abaeté). canoahavaianarj.com.br

Marina Herriges | Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO