EXPOSIÇÕES

Antropologia da arte

O texto de Claude Lévi-Strauss inspira a seleção de doze obras reunidas a partir de quarta (29) na Exposição de Verão da Galeria Silvia Cintra

Por: Carolina Barbosa - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Em uma passagem do ensaio Tristes Trópicos, uma de suas obras mais importantes, o antropólogo Claude Lévi-Strauss descreve o processo de ocupação do interior paulista na virada do século XIX para o XX. Segundo o autor francês, localidades mais distantes dos grandes centros ou não tão prósperas costumavam ganhar alcunhas relacionadas justamente a essa situação de desamparo. Citado por Lévi-Strauss, um desses nomes, Arroz sem Sal, foi escolhido para batizar a 11ª edição da Exposição de Verão, coletiva que, anualmente, marca o início da temporada da Galeria Silvia Cintra + Box 4. Com abertura programada para quarta (29), a mostra reúne doze trabalhos de artistas consagrados e também de nomes em ascensão na cena contemporânea. De acordo com a curadora Kiki Mazzucchelli, a seleção tem como fio condutor o desgaste dos valores humanistas no mundo. Um dos destaques do acervo é a serigrafia e acrílica sobre compensado de madeira Rio de Janeiro Noturno com Filtro, de Laercio Redondo. A partir de duas paisagens pintadas por Jean-Baptiste Debret no século XIX, o artista criou um trabalho único, em tons vermelhos ? um paralelo entre a situação atual de violência no Rio contra as classes mais pobres e as agressões dos tempos coloniais a esse mesmo grupo. Cildo Meireles, Ivens Machado, Alexandre da Cunha, Manuela Ribadeneira, Mayana Redin, Pia Camil e Samara Scott completam o time de artistas. R$ 3?000,00 a R$ 60?000,00.

Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 19h. Grátis. Até 28 de fevereiro. A partir de quarta (29).

Fonte: VEJA RIO