DIVERSÃO

A rua é nossa

Dez eventos culturais gratuitos que acontecem regularmente nos espaços públicos do Rio

Por: Thaís Meinicke - Atualizado em

Com a fama internacional de Cidade Maravilhosa, os eventos ao ar livre são sempre uma boa pedida para aproveitar as paisagens e o clima descontraído do Rio - se for de graça, então, melhor ainda. Com o propósito de ocupar os espaços públicos e tornar a cultura mais acessível aos cariocas, grupos de artistas colocam a ideia em prática e realizam regularmente eventos em diferentes pontos do Rio. Entre feiras, festas e apresentações musicais, as opções são variadas e dão um ar mais alegre à vida cultural carioca. Seja em já tradicionais encontros ou em novas festas que animam o público jovem, veja dez diferentes opções para curtir a cidade ao ar livre e sem gastar dinheiro.

Feira Rio Antigo

feira-lavradio.JPG
(Foto: Redação Veja rio)

Como já é tradição, no primeiro sábado de cada mês o Polo Novo Rio Antigo promove a Feira Rio Antigo. Entre as atrações, produtos de antiquários e sebos, além de artesanato e gastronomia, oferecidos por 400 expositores. Para completar a programação, um grupo musical convidado anima os visitantes com apresentação gratuita a partir das 16h30, no palco em frente à Praça Emilinha Borba. Presente há dezesseis anos no calendário do bairro, a feira recebe cerca de 20 mil visitantes a cada edição.

Quando: Primeiro sábado do mês, das 10h às 19h.

Onde: Rua do Lavradio, entre as Avenidas Mem de Sá e Visconde de Rio Branco, Lapa.

Feira das Yabás

yabas.JPG
(Foto: Redação Veja rio)

O evento que acontece em Oswaldo Cruz, Zona Norte do Rio, reúne comidas de origem africana e muito samba. A cada edição, uma roda de samba comandada pelo cantor Marquinhos de Oswaldo Cruz recebe convidados especiais. Bambas como Paulinho da Viola e Dudu Nobre são alguns dos que já marcaram presença.

Além de samba, a feira, instalada na Praça Paulo Portela, conta com dezesseis barracas, em que moradoras do bairro oferecem suas delícias. Na tenda de Tia Surica - baluarte da Velha Guarda da Portela -, por exemplo, é oferecido mocotó e aipim com carne-seca. Os preços das refeições ficam em torno de R$ 15.

Quando: Segundo domingo do mês, às 13h.

Onde: Praça Paulo Portela, Oswaldo Cruz.

Choro na General Glicério

general-glicerio.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Desde o ano 2000, a feira livre na praça da Rua General Glicério, em Laranjeiras, recebe o encontro de um grupo de músicos que se reúne para tocar choro. A animação ficava a cargo do grupo Choro na Feira, que deu início à tradição. Desde dezembro de 2010, no entanto, as apresentações são realizadas pelos músicos do Pixin Bodega, que tocam choro e samba.

Quando: Sábados, das 12h30 às 14h30.

Onde: Rua General Glicério, Laranjeiras.

Disritmia

disritmia-drone.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A festa anima as tardes na Pedra do Leme em temporadas de verão, que contam com festas gratuitas que acontecem uma vez por mês. Comandado pela DJ Lili Prohmann, o evento une o melhor da música brasileira ao pôr do sol com vista para a Praia de Copacabana, com repertório que vai desde clássicos da MPB a novas descobertas no cenário da música regional brasileira. O VJ AnimaFoto compõe o cenário com projeções. A próxima edição acontece neste sábado e contará com a participação do DJ Mam e show da banda Coquetel Acapulco. Veja quando serão as outras na página da festa no Facebook.

Quando: Mensalmente, nos sábados de verão, das 16h às 22h.

Onde: Avenida Atlântica, Praça Almirante Júlio de Noronha.

Samba da Pedra do Sal

divulgacao.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A roda de samba da Pedra do Sal acontece toda segunda e tem frequentadores fiéis. Localizado em um ponto histórico da cidade, aos pés do Morro da Conceição, o samba é democrático e músicos novos têm espaço para tocar na roda e cantar músicas próprias. Mesmo sendo em lugar aberto, o samba rola mesmo com chuva, pois há um toldo para proteger o público. Às sextas também tem música, com o Samba de Lei.

Quando: Segundas e sextas, das 19h às 23h.

Onde: Próximo ao Largo de São Francisco da Prainha, Praça Mauá, Gamboa.

Mostra Jazz, Arte e Gastronomia

jazz-arte-gastronomia.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O quarteirão cultural da Rua do Lavradio recebe um evento mensal dedicado ao jazz. A mostra reúne objetos de arte, antiguidades, música e gastronomia num mesmo lugar. A cada edição, um grupo convidado anima o público com o típico som de Nova Orleans, sempre a partir das 14h30, em frente à Praça Emilinha Borba.

Quando: Terceiro sábado do mês, das 10h às 18h.

Onde: Quarteirão Cultural da Rua do Lavradio - trecho que vai da Rua Visconde do Rio Branco a Rua do Senado

Samba da Ouvidor

ouvidor.JPG
(Foto: Redação Veja rio)

Programa perfeito para uma tarde de sábado, o samba que acontece quinzenalmente na esquina das ruas do Mercado e Ouvidor é ponto certo para quem gosta de boa música. O repertório é escolhido a dedo e tem desde sambas tradicionais a músicas menos conhecidas de grandes compositores, como Walter Rosa, Monarco e Candeia.

Quando: Quinzenalmente aos sábados, às 16h30.

Onde: Rua Ouvidor, esquina com a Rua do Mercado, Praça XV, Centro.

Bailão do Castelo

Bailao_do_Castelo-divulga.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Comandada pelos DJ?s Doni, Magoo e Sapucaia , a festa de black music ocupa a região do Castelo, no Centro da cidade, reunindo um público variado que dança ao som de hip hop, funk, soul e música brasileira. Fique por dentro das próximas edições na página da festa no Facebook.

Quando: Bimestralmente, aos sábados, das 18h à meia-noite.

Onde: Av. Erasmo Braga, s/n, Centro.

Breakz

brakz.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A festa dedica à música eletrônica alterna suas edições em locais abertos, como a Pedra do Leme e o Aterro do Flamengo, embalando o público em diferentes pontos da cidade. Os DJ?s residentes - Skull B, Pachu e Pedro Piu - recebem convidados especiais. Saiba quando serão as próximas edições na página da festa no Facebook.

Quando: Mensalmente, aos sábados, às 17h.

Onde: Leme, Aterro do Flamengo ou outros espaços.

Choro da São Salvador

sao-salva-1.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O evento musical começou com um grupo de alunos, em sua maioria da Escola Portátil de Música, que passou a se reunir para uma roda de choro informal na Praça São Salvador aos domingos, das 11h às 13h. O conjunto foi batizado de Arruma o Coreto, em uma brincadeira com o bloco carnavalesco Bagunça meu Coreto, que acontece no mesmo lugar.

Quando: Domingos, das 11h às 13h30.

Onde: Rua São Salvador, Flamengo.

Fonte: VEJA RIO