DIVERSÃO

Fique ligado

Oito estreias agitam os cinemas, oito espetáculos teatrais entram em cartaz e duas novas mostras chegam às salas cariocas. Aproveite os últimos dias para conferir seis peças e seis exposições. Programe-se!

- Atualizado em

CINEMA

para-sempre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

PRÉ-ESTREIAS

✪✪ AMOR IMPOSSÍVEL, de Lasse Hallström (Salmon Fishing in the Yemen, Inglaterra, 2011). Sem deixar de lado o gosto pelo dramalhão, extravasado no medonho Querido John, o diretor de Minha Vida de Cachorro volta a decepcionar nesta tentativa curiosa, porém desajeitada, de unir comédia romântica, drama e sátira política. Na adaptação escrita por Simon Beaufoy (Quem Quer Ser um Milionário?) para o livro A Pesca do Salmão no Iêmen (Editora Record), de Paul Torday, uma apagada Emily Blunt interpreta a representante de um excêntrico xeque iemenita, com um desejo aparentemente inviável: implantar a cultura do salmão em plena península arábica. Para concretizar o plano, ela procura um pesquisador metódico, vivido por Ewan McGregor. Quase ninguém leva a ideia a sério. No entanto, uma assessora oportunista do alto escalão britânico (papel de Kristin Scott Thomas) resolve apoiá-la. Quando o projeto finalmente decola, os personagens de Emily e McGregor, ambos casados, encantam-se um pelo outro (107min). Cinemark Downtown 1, Rio Sul 4, UCI New York City Center 15.

✪✪✪ APENAS UMA NOITE, de Massy Tadjedin (Last Night, EUA/França, 2010). Nascida no Irã e criada na Califórnia, a diretora Massy Tadjedin faz uma bela estreia como diretora. Há muito com que se surpreender neste drama romântico, enxuto na forma, mas rico como registro da realidade. O executivo Michael (Sam Worthington, de Avatar) é casado com a aspirante a escritora Joanna (Keira Knightley). Em um envolvente e tenso jogo de sedução, a fidelidade de ambos será posta à prova. Michael parte numa rápida viagem de negócios e passa a ser assediado pela colega de trabalho Laura (Eva Mendes). Em Nova York, sua esposa reencontra Alex (Guillaume Canet), o ex-namorado por quem ainda se sente atraída. Também roteirista, a realizadora mostra-se sagaz na arguta observação do comportamento feminino e masculino. Além do charmoso casal de protagonistas, os dois coadjuvantes representam bem o ideal (ou o sonho) de alguns homens e mulheres: a tentação carnal nas formas roliças de Eva Mendes e a elegância intelectual do francês Guillaume Canet (93min). Cinemark Botafogo 1, Cinemark Downtown 1, Estação Sesc Rio 3.

PROMETHEUS, de Ridley Scott (Prometheus, EUA, 2012). No fim do século XXI, uma equipe de cientistas embarca na nave Prometheus para investigar a existência de vida em outros planetas. A arqueóloga Elizabeth Shaw (papel de Noomi Rapace) e o androide David (Michael Fassbender, de Shame) fazem parte da tripulação, que vai encontrar uma civilização tão antiga quanto ameaçadora. O enredo não esconde as semelhanças com Alien, o Oitavo Passageiro (1979), também dirigido pelo inglês Ridley Scott, embora sua nova ficção científica siga rumo independente. Com Guy Pearce e Charlize Theron (124min). Dublado, 3D: Cinemark Downtown 3, Cinemark Plaza Shopping 3, Cinesystem Bangu 1, Cinesystem Via Brasil 5, Kinoplex Grande Rio 2, Kinoplex Nova América 5, Kinoplex Tijuca 5, São Luiz 4, UCI New York City Center 4 e 14, UCI Kinoplex NorteShopping 3.

ESTREIAS

✪✪ KABOOM, de Gregg Araki (Kaboom, EUA, 2010). Depois do lirismo de Mistérios da Carne (2004) e do besteirol Smiley Face Louca de Dar Nó (lançado no Brasil diretamente em DVD), o diretor de 52 anos muda novamente o tom nesta comédia de ficção científica. Desta vez, a guinada mostra-se radical e para poucos. Não espere bons modos nem muito nexo de uma trama juvenil, despudorada e, por isso, sob medida para os fãs da fase mais transgressora do realizador. O herói da história, Smith (Thomas Dekker), escapa dos padrões hollywoodianos: estudante de cinema, o rapaz de 18 anos se apaixona pelo colega de quarto (um afobado surfista hétero), vai para a cama com uma amiga inglesa e não perde as escapadelas com desconhecidos. A farra pode acabar quando ele começa a ter uma série de pesadelos e a receber bilhetes anônimos, que indicam a existência de uma conspiração em pleno câmpus. Seriam sinais do fim do mundo? O mistério é resolvido de forma apressada. Antes disso, Araki tenta uma homenagem irreverente a ídolos do surrealismo (há acenos para Luis Buñuel e Salvador Dali) ao ignorar os limites entre realidade e alucinação (86min). 16 anos. Estreou em 7/6/2012. Espaço Itaú de Cinema 3.

✪✪✪ MADAGASCAR 3, de Eric Darnell, Tom McGrath e Conrad Vernon (Madagascar 3: Europe?s Most Wanted, EUA, 2012). No terceiro (e mais empolgante) episódio da cinessérie, a Dreamworks (o mesmo estúdio de Shrek e Kung Fu Panda) faz uma aposta acertada na ação: o colorido frenético do filme, ainda mais impressionante na exibição em 3D, não deixa o desenho animado perder o pique. Boa notícia: o charme estabanado de personagens como o leão Alex e a zebra Marty sobrevive ao corre-corre. Acompanhados da girafa Melman e da hipopótama Gloria, eles criam um plano para deixar a África, onde levam uma vida muito pacata. Querem voltar ao zoológico onde moravam, no Central Park, Nova York. Na aventura, com escalas em Monte Carlo, Roma e Londres, a bicharada vai enfrentar a fúria de uma policial especializada em capturar animais e, no trecho mais gracioso da história, embarcar em um circo itinerante formado por tipos fracassados e adoráveis. Noah Baumbach, diretor de A Lula e a Baleia (2005), colabora em um roteiro bem-humorado e enérgico, eficiente tanto para crianças quanto para adultos (85min). Livre. Estreou em 7/6/2012. Dublado: Bay Market 2, Box Cinemas São Gonçalo 6 e 8, Cine 10 Sulacap 2, Cinemark Botafogo 5, Cinemark Carioca Shopping 4, 5 e 8, Cinemark Downtown 3, 6 e 7, Cinemark Plaza Shopping 7, Cinespaço Boulevard 1 e 4, Cinesystem Bangu 4, Cinesystem Ilha Plaza 1, Cinesystem Recreio 2, Cinesystem Via Brasil 2, Estação Vivo Gávea 5, Iguatemi 5 e 6, Kinoplex Leblon 3, Kinoplex Grande Rio 1, Kinoplex Nova América 1 e 3, Kinoplex Tijuca 2, Kinoplex West Shopping 3, Rio Sul 2, UCI New York City Center 5, 15, 17 e 18, UCI Kinoplex NorteShopping 7, Via Parque 4. Dublado, 3D: Bay Market 3, Box Cinemas São Gonçalo 1, Cine 10 Sulacap 1, Cinemark Botafogo 6, Cinemark Carioca Shopping 3, Cinemark Downtown 8, Cinemark Plaza Shopping 3 e 4, Cinespaço Boulevard 3, Cinesystem Bangu 2, Cinesystem Ilha Plaza 4, Cinesystem Via Brasil 4, Espaço Itaú de Cinema 4, Espaço Rio Design 1, Estação Vivo Gávea 5, Iguaçu Top 2, Iguaçu Top 2, Iguatemi 1, Kinoplex Fashion Mall 2, Kinoplex Grande Rio 5, Kinoplex Leblon 1, Kinoplex Nova América 7, Kinoplex Tijuca 1 e 5, Kinoplex West Shopping 5, Leblon 2, Rio Sul 3, Roxy 3, UCI New York City Center 12, UCI Kinoplex NorteShopping 1 e 10, Via Parque 5. Legendado, 3D: Cinemark Botafogo 6, Cinemark Downtown 4, Espaço Itaú de Cinema 4, Estação Vivo Gávea 5, Kinoplex Fashion Mall 2, Kinoplex Leblon 2, Leblon 2, UCI New York City Center 12, UCI Kinoplex NorteShopping 10. Legendado: Cine Bauhaus 2, Cinemark Downtown 3, Cinemark Plaza Shopping 4.

✪ PARA SEMPRE, de Michael Sucsy (The Vow, EUA, 2012). Embora a premissa seja instigante, o desenrolar do drama romântico não parece plausível. Paige (Rachel McAdams) e Leo (Channing Tatum) são casados e feitos um para o outro. Contudo, um acidente de carro vai pôr o relacionamento deles de escanteio. Ao sair do coma, Paige perdeu parte da memória. Lembra, por exemplo, dos pais (papéis de Jessica Lange e Sam Neill), mas não tem a mínima ideia de quem seja seu marido. Leo entra em desespero, leva a mulher para casa e tenta fazê-la retomar o cotidiano conjugal e profissional. Pressionada pela família rica, a moça decide recomeçar a vida perto dos parentes e longe do amado. Extraída do livro homônimo, escrito por Kim Carpenter e lançado pela Novo Conceito, a história transborda açúcar, mas nem assim consegue convencer no quesito romantismo (104min). 12 anos. Estreou em 7/6/2012. Box Cinemas São Gonçalo 2, Cinemark Botafogo 2, Cinemark Downtown 2, Cinesystem Recreio 1, Cinesystem Via Brasil 6, Espaço Rio Design 2, Iguatemi 3, Kinoplex Fashion Mall 1, Kinoplex Leblon 2, Roxy 2, UCI New York City Center 6, Via Parque 3.

✪✪✪✪ A PRIMEIRA COISA BELA, de Paolo Virzi (La Prima Cosa Bella, Itália, 2010). Uma das fitas mais belas e sensíveis dos últimos anos chega às telas daqui com certo atraso -- o drama foi indicado pela Itália para concorrer a uma vaga no Oscar de filme estrangeiro em 2011. Da recriação de época ao roteiro cativante, nada escapa ao olhar sincero com que o diretor Paolo Virzi retrata as reviravoltas na vida de uma família. A trama se passa em duas épocas distintas. Na Roma dos dias atuais, o professor Bruno (Valerio Mastandrea) é procurado por sua irmã, Valeria (Claudia Pandolfi). Ela quer que ele retorne a Livorno para visitar sua mãe: Anna (Stefania Sandrelli) está muito doente e à beira da morte. Meio a contragosto, Bruno vai até lá. Alternando passado e presente, a história retorna a 1971 para flagrar os motivos que levaram Bruno a se afastar de Anna (agora vivida por Micaela Ramazzotti). Abandonada pelo marido por sua extrema simpatia, ela fez de tudo para criar sozinha as duas crianças, papéis de Giacomo Bibbiani e Aurora Frasca (122min). 12 anos. Estreou em 7/6/2012. Estação Sesc Barra Point 2, Estação Sesc Ipanema 2, Estação Sesc Rio 2.

✪✪✪ WEEKEND, de Andrew Haigh (Weekend, Inglaterra, 2011). Os personagens principais deste romance dramático inglês passam a maior parte do tempo dentro de um apartamento minúsculo em Nottingham, onde se encontram durante um período de dois dias. Em vez de entediar o público, contudo, essas limitações de tempo e espaço ajudam o diretor Andrew Haigh, em seu segundo longa-metragem, a contar de forma calorosa uma breve história de amor entre dois homens. O trunfo são os diálogos, escritos com a franqueza de uma conversa íntima. Sem esbarrar em clichês de fitas gay, o espectador é convidado a se identificar com as incertezas dos personagens, o discreto Russell (Tom Cullen) e o extrovertido Glen (Chris New). Depois de se conhecerem em um inferninho, eles se apaixonam de imediato. O relacionamento só ganha ares previsíveis de tragédia na segunda metade, quando Glen abre o jogo sobre a intenção de mudar para os Estados Unidos (97min). 16 anos. Estreou em 7/6/2012. Espaço Itaú de Cinema 3.

TEATRO

perfil-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

ESTREIAS

O BEIJO NO ASFALTO, de Nelson Rodrigues. Escrita sob encomenda de Fernanda Montenegro, a tragédia causou polêmica quando estreou em julho de 1961, no Teatro Ginástico. Inspirado no episódio real de um repórter do jornal O Globo atropelado na Praça da Bandeira, que pediu o beijo de uma jovem, minutos antes de morrer, Rodrigues (1912-1980) reconta a história com uma boa pitada de pimenta. Na trama, a vítima do acidente pede um beijo ao jovem e ingênuo Arandir, casado com Selminha. Mas o jornalista da ficção, Amado Ribeiro, que presencia o atropelamento, escreve uma matéria sensacionalista com direito a manchete de primeira página, mostrando Arandir como um homossexual criminoso, que empurrou seu amante para a morte e, com remorso, o beijou. No elenco estão Augusto Garcia, Caetano O?Maihlan, Fernanda Boechat, Giordano Becheleni, Letícia Cannavale, Mariah Rocha, Roberto Bomtempo, Thiago Mendonça, Van Loppes e Xando Graça. Direção de César Rodrigues (70min). 16 anos. Espaço Sesc - Mezanino (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até 1º de julho. Estreia prometida para sexta (8).

CIDADE DOS LÁZAROS, de Thiago Valente, livremente inspirado na obra do poeta Augusto dos Anjos (1884-1914). Drama. As angústias e ansiedades geradas pela possibilidade da morte servem de base para o espetáculo que conta a história do poeta Ângelo. Atores da companhia carioca Caratapa, Genilson Vieira, José Júnior, Luci Ponte, Aline Silva e Thais Sena encenam a trama sobre o rapaz melancólico que vive em uma cidade fantástica, onde todos os que chegam aos 30 anos de idade têm de duelar com a morte. Para fugir à sina, ele inicia uma viagem sem rumo, em cujo percurso depara com seus medos e a sombra do passado. A trilha sonora original é executada ao vivo por Douglas Medeiros (violão e guitarra) e Marcel Maia (percussão). Direção do autor (90min). 18 anos. Solar de Botafogo -- Espaço II (30 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2543-5411. → Quarta e quinta, 20h30. R$ 30,00. Bilheteria: 15h/21h (ter. e sex.); a partir das 15h (qua. e qui.). IC. Até 6 de julho. Estreia prometida para quarta (6).

DIA DESMANCHADO, criação coletiva da Companhia Teatro Torto, de Porto Alegre. Interpretado por Marcelo Bulgarelli, o monólogo cômico sobre um exterminador de insetos que espera encontrar a amada integra a programação do projeto Dulcina Abraça o Sul. Surpreendido por uma carta de uma mulher, que anuncia a sua chegada, ele ensaia variadas maneiras de conquistá-la e sofre com a ansiedade pelo dia do encontro, que parece nunca chegar. Direção de Tatiana Cardoso (55min). Livre. Teatro Dul-cina (429 lugares). Rua Alcindo Guana-bara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Quarta, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (qua.). Até dia 27. Estreia prometida para quarta (6).

O FANTÁSTICO CIRCO TEATRO DE UM HOMEM SÓ, de Heinz Limaverde e Patricia Fagundes. Produção da Companhia Rústica, de Porto Alegre, o monólogo cômico está na agenda do projeto de ocupação Dulcina Abraça o Sul. Em cena, Limaverde cearense do Crato radicado na capital gaúcha há mais de duas décadas interpreta vários personagens circenses, a exemplo da mulher barbada, do mágico, da vedete e do palhaço, além de apresentar situações de sua experiência pessoal como ator. A montagem venceu as categorias melhor direção e melhor figurino no Prêmio Açorianos 2011. Direção de Patricia Fagundes (65min). 14 anos. Teatro Dul-cina (429 lugares). Rua Alcindo Guana-bara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Sexta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Grátis às sextas. Até dia 17. Estreia prometida para sexta (8).

GARDÊNIA, de Ana Roxo. Livremente inspirado no romance O Amor nos Tempos do Cólera, do colombiano Gabriel García Márquez, o drama ganha montagem inusitada da trupe paulistana El Otro Núcleo de Teatro. Com a ajuda de dez retroprojetores e uma vitrola, os atores Cybele Jácome e Luís Mármora encenam a história romântica de Fermina Daza e Florentino Ariza. Acomodados em um corredor formado por cortinas, os espectadores acompanham a narrativa sobre os jovens apaixonados na juventude, que são separados por circunstâncias da vida, e seu reencontro na velhice. Direção de Marat Descartes (85min). 12 anos. Caixa Cultural Teatro de Arena (80 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Quinta (7), 16h; sexta (8) a domingo (10), 19h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 10h (qui. a dom.). A sessão de quinta (7) será grátis para espectadores acima de 65 anos.

O MÁGICO DE OZ, de L. Frank Baum, com tradução e versões de Claudio Botelho. Levado ao palco pela Royal Shakespeare Company, de Londres, nos anos 80, o musical adaptado do longa-metragem de Victor Fleming, de 1939, estrelado por Judy Garland, ganha versão brasileira. Em seu sexto espetáculo do gênero, Malu Rodrigues interpreta a protagonista, liderando um elenco de 35 atores e dezessete músicos. A produção caprichada, orçada em 9 milhões de reais, conta com projeções, efeitos especiais de luz e som surround, além de figurinos do estilista Fause Haten. Ambientada em uma fazenda no estado americano do Kansas, a trama conta a história de Dorothy Gale (Malu), que vive com o cachorro Totó (papel revezado por três cães da raça cairn terrier, Sage, Donatella e Totó) na casa dos tios Henry (André Falcão) e Em (Bruna Guerin). Após um tornado, ela e o cão vão parar no mundo fantástico de Oz. Lá, a menina conhece o Espantalho (Pierre Baitelli), o Homem de Lata (Nicola Lama) e o Leão Covarde (Lucio Mauro Filho). Juntos, eles seguem a Estrada de Tijolos Amarelos em busca do Mágico de Oz (Luiz Carlos Miele) para realizar seus pedidos, mas têm de enfrentar as vilanias da Bruxa Má do Oeste (Maria Clara Gueiros). Direção de Charles Möeller e Claudio Botelho (150min, com intervalo). Livre. Teatro João Caetano (1143 lugares). Praça Tiradentes, s/nº, Centro, ☎ 2332-9257. Sexta, 20h; sábado, 16h e 20h; domingo, 15h. R$ 50,00 a R$ 90,00 (sex.); R$ 70,00 a R$ 110,00 (sáb. e dom). Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). IC. Até 7 de outubro. Estreia prometida para sexta (8).

REESTREIAS

CHAVE DE CADEIA, de Ana Baird. Acompanhada pelos instrumentistas Cacau Ferrari (baixo), Guilherme Borges (piano) e Tiago Calderano (percussão), Ana Baird encarna uma crooner decadente nesse musical de bolso com pegada cômica sobre o romantismo exacerbado. No repertório, por ela classificado como "o fino da fossa", estão pérolas do cancioneiro sentimental, a exemplo de Balada da Arrasada, de Angela Ro Ro, Alguém me Disse, de Lupicínio Rodrigues, e uma inacreditável versão assinada por Paulo Coelho: Eu Sobrevivo, gravada por Vanusa a partir do hit I Will Survive, de Dino Fekaris e Freddie Perren. Para contrabalançar, também entram standards como Cry me a River e The Lady Is a Tramp. Direção da autora (70min). 14 anos. Estreou em 21/9/2010. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Terça, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 31 de julho. Reestreia prometida para terça (5).

✪✪✪ A PEÇA DO CASAMENTO, de Edward Albee, com tradução de Marcos Ribas de Faria. Primeira montagem brasileira desse texto do célebre autor americano, a comédia dramática retrata um casamento como uma zona de guerra, em que não há vencedores, mas combatentes mutuamente esgotados. Os atores Guida Vianna e Dudu Sandroni representam Gillian e Jack. Após trinta anos de casados, o marido comunica à mulher que vai deixá-la. Como a reação dela não é a esperada finge não ouvir, enquanto lê seu diário contendo as peripécias sexuais do casal , começa um embate recheado de ironias e diálogos sofisticados. Direção de Pedro Bricio (80min). 12 anos. Estreou em 5/4/2012. Galpão Gamboa (80 lugares). Rua da Gamboa, 279, Gamboa, ☎ 2516-5929. → Sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 5,00 (moradores da região) e R$ 10,00. Bilheteria: 14h/19h (qua. a sex.); a partir das 14h (sáb. a ter.). Bilheteria na produtora Pequena Central (Rua Conde de Irajá, 98, Botafogo): 10h/16h (ter. a qui.). Até dia 17. Reestreia prometida para sábado (9).

ÚLTIMA SEMANA

AMERIKA!, criação coletiva do grupo Dragão Voador Teatro Contemporâneo. Integrante da Trilogia da Matéria da qual também fazem parte Manifesto Ciborgue e Paisagem Nua --, a comédia dramática aborda com ironia, humor e uma pitada de absurdo temas como consumo, desperdício, necessidade, lixo, luxo e alienação. Encenado por Cris Larin, Raquel Rocha, Leonardo Corajo e Lucas Gouvêa, o espetáculo é baseado no artigo Profanações, do filósofo italiano Giorgio Agamben, que trata da sociedade de consumo e do descarte da matéria. Direção de Joelson Gusson (70min). Livre. Estreou em 4/5/2012. Espaço Cultural Sérgio Porto (100 lugares). Rua Visconde Silva, s/nº, Humaitá, ☎ 2535-3846. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 17h (sex. a dom.). Até domingo (10).

✪✪✪ CABARET, de Joe Masteroff (texto), John Kander (música) e Fred Ebb (letras), com adaptação de Miguel Falabella. O musical dramático tornou-se conhecido após a versão cinematográfica dirigida por Bob Fosse, em 1972, com Liza Minelli no papel principal. Nesta produção é Claudia Raia quem representa a protagonista, a prostituta e cantora Sally Bowles, à frente de 21 atores, acompanhados por catorze músicos. A trama é ambientada na decadente casa noturna Kit Kat Club, que funcionava na capital alemã em 1931. Esse ambiente é dominado pelo Mestre de Cerimônias, representado por Jarbas Homem de Mello, que oferece a melhor atuação do elenco. No decorrer da história principal, a inglesa Sally se apaixona pelo escritor americano gay Cliff Brad-shaw (Guilherme Magon), de quem engravida. Em paralelo, é abordado o romance entre a tolerante alemã Fräulein Schneider (Liane Maya) e o judeu Herr Schultz (Marcos Tumura). Direção de José Possi Neto (150min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 30/3/2012. Teatro Oi Casa Grande (926 lugares). Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon, ☎ 2511-0800. Quarta a sexta, 21h; sábado, 18h e 21h30. R$ 40,00 a R$ 180,00. Bilheteria: 15h/20h (ter. e qua.); 15h/21h30 (qui. e sex.); 12h/22h (sáb.); 15h/ 19h30 (dom.). Cc: todos. Cd: todos. IC. Estac. no Shopping Leblon (R$ 8,00 por duas horas). Até sábado (9).

✪✪✪✪ EM NOME DO JOGO, de Anthony Shaffer, com tradução de Marcos Daud. Drama policial do autor inglês, estreou em 1970, com o título original de Sleuth. Dois anos depois, ganhou a primeira montagem brasileira, batizada O Jogo do Crime, traduzida por João Bethencourt e encanada no Teatro Glória por Paulo Gracindo e Gracindo Jr. Na produção atual, com ótima tradução de Marcos Daud, Marcos Caruso e Emilio de Mello divertem-se em cena. Ao descobrir que o cabeleireiro italiano Milo Tindolini (Mello) tem um caso com sua mulher, o escritor de romances policiais Andrew Wyke (Caruso) oferece ao rival uma proposta com cheiro de armadilha. Essa é a deixa para uma série de reviravoltas na narrativa, em que a cada momento um dos personagens parece estar no comando da situação. No cenário apropriado para a trama, com alçapões e paredes falsas, um assassinato, a entrada em cena de um detetive e outros acontecimentos guiam a sessão eletrizante até o final imprevisível. Direção de Gustavo Paso e Fernando Philbert (90min). 14 anos. Estreou em 23/3/2012. Teatro Maison de France (352 lugares). Avenida Presidente Antônio Carlos, 58, Centro, ☎ 2544-2533. Sexta, 21h30; sábado, 21h; domingo, 18h. R$ 60,00 (sex.) e R$ 80,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Estac. c/manobr. (R$ 10,00). Até domingo (10).

UMA HISTÓRIA À MARGEM, de Ricardo Chacal. Poeta, escritor, dramaturgo, compositor, performer e produtor cultural, o autor já atuou nos espetáculos Café Satie e A Vida É Curta pra Ser Pequena. Sua terceira incursão no palco acontece no monólogo cômico adaptado de sua autobiografia homônima, lançada em 2010 pela Editora 7 Letras. Em cena, ele incorpora o cidadão Ricardo de Carvalho Duarte seu nome de batismo. Fala sobre a infância e a adolescência passadas em Copacabana, conta como eram a juventude transviada e as turmas de rua e lembra do psicodelismo dos anos 60, ao som de Caetano Veloso e dos Rolling Stones. Direção de Alex Cassal (90min). 16 anos. Estreou em 18/5/2012. Espaço Sesc -- Sala Multiuso (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-0156. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (10).

✪✪✪ JULIA, de August Strindberg. A diretora Christiane Jatahy adapta o clássico Senhorita Julia, escrito pelo dramaturgo sueco no século XIX. Como toque contemporâneo, projeta imagens e amplia o olhar do espectador sobre a narrativa. Julia Bernat e Rodrigo dos Santos interpretam os jovens Julia e Jean no drama sobre um amor impossível. Ela é uma moça de 17 anos, filha de um rico empresário, que se apaixona perdidamente pelo chofer da família. O drama retrata uma única noite em que os dois personagens se espelham um no outro, provocando sentimentos de admiração e ódio. Direção da adaptadora (70min). 18 anos. Estreou em 21/10/2011. Caixa Cultural -- Teatro Nelson Rodrigues (388 lugares). Avenida República do Chile, 230, Centro. ☎ 2262-8152. ? Carioca. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: 13h/20h (ter. a sex.); a partir das 15h (sáb., dom. e feriados). Até domingo (10).

MANIFESTO CIBORGUE/PAISAGEM NUA, de Joelson Gusson e Thereza Rocha. Integrantes da Trilogia da Matéria, do grupo Dragão Voador Teatro Contemporâneo, os dois espetáculos terão sessões consecutivas às quartas e quintas. O primeiro, às 20h, é um drama moderninho escrito para dois atores, inspirado em artigos da filósofa americana Donna Haraway. Em cena, Leonardo Corajo e Lucas Gouvêa discutem de forma bem-humorada as possibilidades criadas pelas novas tecnologias para que o homem contemporâneo possa transformar o seu próprio corpo. Na sequência, às 21h30, é a vez da comédia dramática inspirada no ensaio de moda chamado Landscapes with a Corpse, do fotógrafo japonês Izima Kaoru. No palco, Gusson e a atriz Carolina Ferman encenam a trama que aborda dois temas aparentemente distantes: moda e morte. Manifesto Ciborgue. Direção do autor (45min). 16 anos. Estreou em 27/2/2010. Paisagem Nua. Direção dos autores (50min). 14 anos. Estreou em 11/8/2011. Espaço Cultural Sérgio Porto (100 lugares). Rua Visconde Silva, s/nº, Humaitá, ☎ 2535-3846. Quarta e quinta, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 17h (qua. e qui.). Até quinta (7).

EXPOSIÇÕES

ESTREIAS

CHICO FORTUNATO. O artista carioca exibe onze trabalhos em acrílica sobre madeira. São obras abstratas e, em sua maioria, de cores vívidas que evocam a arte construtivista, com linhas angulosas e formas geométricas. R$ 7 000,00 a R$ 30 000,00. Gustavo Rebello Arte. Avenida Atlântica, 1702, loja 8, Copacabana, ☎ 2548-6163. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 14h às 18h. Grátis. Até dia 30. A partir de quarta (6). www.gustavorebelloarte.com.br.

RODRIGO TORRES. Questões ligadas à memória coletiva permeiam a exposição Sensor, na qual o artista apresenta nove pinturas sobre suportes variados, como tela, fotografia e papel, e uma instalação. Nesta última, batizada com o nome da mostra, Torres se vale de uma foto fragmentada. R$ 2 000,00 a R$ 20 000,00. A Gentil Carioca. Rua Gonçalves Ledo, 17, Centro, ☎ 2222-1651. Terça a sexta, 12h às 19h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 14 de julho. A partir de terça (5). www.agentilcarioca.com.br.

ÚLTIMA SEMANA

DANIEL MATTAR. A terceira viagem do fotógrafo ao Japão, em março de 2011, inspira a mostra Simulacro. Conhecido por seu trabalho no ramo da moda, aqui ele exibe quinze fotografias que mostram bonecas, personagens de mangás, robôs e embalagens de produtos. Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto. Rua Humaitá, 163, Botafogo, ☎ 2266-0896. Quarta a domingo, 14h às 22h. Grátis. Até domingo (10).

✪✪✪ EDUARDO SUED. Vinte e duas ilustrações do artista são reunidas na exposição Desenhos. A maioria dos trabalhos é da década de 60, com influências do cubismo. As demais criações são todas dos anos 2000 e exibem formas abstratas ? por vezes recorrem a colagens que dão mais densidade às obras. R$ 8 000,00 a R$ 10 000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até sábado (9). www.mercedesviegas.com.br.

✪✪✪ INSTÂNCIAS DO DESENHO. Apesar do que o nome sugere, a exposição apresenta 29 obras nas mais diversas técnicas, como fotografias, vídeos, aquarelas e pinturas. Todos os trabalhos são de artistas do coletivo gaúcho Atelier Subterrânea. O grupo é formado por Adauany Zimovski, Gabriel Netto, Guilherme Dable, James Zortéa, Lilian Maus e Túlio Pinto. Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 9h às 22h; sexta a domingo e feriados, 9h às 17h. Grátis. Até domingo (10).

www.eavparquelage.rj.gov.br.

✪✪✪ JAQUELINE VOJTA. Ba¬tizada como Pinturas, a mostra reúne seis obras em grandes formatos. Filha do dono de uma extinta fábrica de tecidos, a artista carioca recorre à memória familiar na concepção de sua técnica: pedaços de pano que sobraram da antiga tecelagem são encharcados de tinta acrílica, postos para secar e costurados com arame sobre uma tela. O resultado é interessante: apesar de suas grandes dimensões, o que geralmente faz com que o visitante tome distância para contemplá-las, as obras instigam o público a observá-las detalhadamente. R$ 12 000,00 a R$ 20 000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até sábado (9). www.mercedesviegas.com.br.

PAULO LAPORT. Depois de dez anos, o artista carioca volta a expor em sua cidade natal. Na mostra batizada com seu nome, ele exibe oito óleos inéditos, todos pintados em variações de cinza. Galeria Marcia Barrozo do Amaral. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), subsolo, sala 129, Copacabana, ☎?2267-3747. Segunda a sábado, 11h às 18h. Grátis. Até sábado (9). marciabarrozodoamaral.com.br.

ROBINSON OLIVEIRA. A partir de imagens publicadas em livros, jornais e revistas, o artista fez dez pinturas de 2009 a 2011. Esses trabalhos são reunidos em Barroco Urbano. Entre o kitsch da pop art e a riqueza do barroco, Oliveira introduz em suas telas figuras como Arthur Bispo do Rosário, Frida Kahlo e Madonna. R$ 5 000,00 a R$ 13 000,00. Galeria Anna Maria Niemeyer (filial Baixo Gávea). Praça Santos Dumont, 140-A, Gávea, ☎ 2540-8155. Terça a sexta, 12h às 21h; sábado e domingo, 14h às 18h. Grátis. Até domingo (10). www.annamarianiemeyer.com.br.

Fonte: VEJA RIO