DIVERSÃO

Fique ligado

Seis novos filmes chegam às telas, enquanto 11 peças e 3 exposições também estreiam no Rio. Aproveite para conferir a 4 peças e 11 exposições que se despedem da cidade no fim de semana. Programe-se!

- Atualizado em

deusdacarnificina.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

CINEMA

PRÉ-ESTREIA

O CORVO, de James McTeigue (The Raven, EUA/Hungria/Espanha, 2012). O

terror apresenta uma versão ficcional dos últimos dias do escritor Edgar Allan Poe (1809-1849), interpretado por John Cusack. Na trama, antes de sofrer um ataque de estresse e loucura, Poe é mostrado investigando um serial killer cujas mortes foram inspiradas em seus livros (111min). Cinemark Botafogo 1, Cinemark Downtown 2, Estação Vivo Gávea 5.

ESTREIAS

✪ BATTLESHIP -- A BATALHA DOS MARES, de Peter Berg (Battleship, EUA, 2012). Battleship é um jogo de batalha naval da Hasbro, que serviu de base para essa aventura de ficção científica. Escrito pelos irmãos Jon e Erich Hoeber (os mesmos do medonho Terror na Antártida), o roteiro ultrapassa o limite da fantasia e do bom-senso. Embora o grande prólogo aproxime-se de um drama romântico, o restante vem carregado de efeitos visuais megalomaníacos e barulheira sem fim. Na trama, Alex Hopper (o insosso Taylor Kitsch, de John Carter) só quer sombra e água fresca até o dia em que seu irmão, o comandante da Marinha Stone (Alexander Skarsgard), lhe dá um ultimato. Como está apaixonado pela fisioterapeuta Sam (Brooklyn Decker), filha de um almirante (Liam Neeson), Alex decide seguir a carreira do irmão. Em treinamento nos mares do Havaí, eles e a tripulação dos navios vão deparar com gigantescas naves vindas do fictício planeta G. A partir daí, o longa-metragem vira uma batalha ensurdecedora entre humanos e alienígenas. Para não ir muito longe, o enredo parece uma mistura esdrúxula de fitas como Predador, Alien e Transformers. O resultado vem revestido de um meloso ufanismo americano e fica aquém de qualquer expectativa. Estreante no cinema, a estrela da música Rihanna não canta nem encanta (131min). 10 anos. Estreou em 11/5/2012. Dublado: Bay Market 1, Box Cinemas São Gonçalo 3 e 4, Cinecarioca, Cine 10 Sulacap 3 e 5, Cinemark Carioca Shopping 4 e 8, Cinemark Downtown 5, Cinespaço Boulevard 5, Cinesystem Bangu 5 e 6, Cinesystem Via Brasil 1 e 3, Iguaçu Top 2, Iguatemi 4, Kinoplex Grande Rio 6, Kinoplex Nova América 6, Kinoplex West Shopping 1, UCI Kinoplex NorteShopping 6, Via Parque 4. Legendado: Cinemark Botafogo 2 e 4, Cinemark Downtown 6, Cinemark Plaza Shopping 3, Cinépolis Lagoon 6, Cinesystem Ilha Plaza 3, Cinesystem Recreio 3, Cinesystem Via Brasil 2, Kinoplex Fashion Mall 1, Kinoplex Tijuca 5, Leblon 1, Rio Sul 2, Roxy 1, São Luiz 2, UCI New York City Center 2, 4, 5 e 13, UCI Kinoplex NorteShopping 4.

✪✪✪ O EXÓTICO HOTEL MARIGOLD, de John Madden (The Best Exotic Marigold Hotel, Inglaterra, 2011). Do mesmo diretor do premiado Shakespeare Apaixonado (1998), a comédia dramática faz um registro bacana e alto-astral da terceira idade, além de contar com um excelente time de atores britânicos. A primeira hora do roteiro é dedicada a apresentar os personagens e mostrá-los em situações divertidas. Da metade em diante, os dramas e os romances invadem a história tornando-a previsível e sentimental detalhes que não prejudicam a narrativa fluente. Na Inglaterra, sete idosos decidem fazer algo extravagante: passar uma longa temporada na Índia. Eles se conhecem no aeroporto e ficam amigos. Enquanto a viúva Evelyn (Judi Dench) quer escrever um blog, o juiz aposentado Graham (Tom Wilkinson) vai atrás de um amor do passado. Há ainda um casal (Bill Nighy e Penelope Wilton) numa relação desgastada, um mulherengo (Ronald Pickup) e uma espevitada senhora (Celia Imrie), ambos à procura da cara-metade. Mais deslocada do grupo, a preconceituosa Muriel (Maggie Smith) atravessou o mundo para conseguir uma cirurgia no quadril mais barata. O hotel Marigold, em Jaipur, escolhido por eles via internet, será o refúgio. Chegando lá, o local parece uma hospedaria caindo aos pedaços, mas tocada com afinco por Sonny, papel de Dev Patel, o rapaz de Quem Quer Ser um Milionário? (124min). 12 anos. Estreou em 11/5/2012. Cinemark Downtown 9, Cinépolis Lagoon 3, Espaço Itaú de Cinema 6, Espaço Rio Design VIP, Estação Sesc Ipanema 2, Kinoplex Fashion Mall 3, Kinoplex Leblon 3, São Luiz 1, UCI New York City Center 8.

✪✪ UMA LONGA VIAGEM, de Lucia Murat (Brasil, 2011). Seja no cinema-verdade (Que Bom Te Ver Viva) ou na ficção (Quase Dois Irmãos), a diretora carioca gosta de abordagens políticas. Neste documentário autobiográfico, Lucia remexe no baú das memórias para trazer à tona a história dela e de seus dois irmãos. Por meio de fotos e imagens antigas, além de entrevistas, o roteiro relembra os anos de Lucia como prisioneira política e a viagem ao exterior feita pelo caçula, Heitor, na mesma época a turbulenta década de 70 do período militar. A trajetória de Miguel, o outro irmão, já morto, pouco aparece. Caio Blat surge para interpretar as cartas enviadas por Heitor à família, recurso dramatúrgico que não funciona. Embora corajosa por abrir sua vida íntima, Lucia se atropela na narrativa e deixa de contar sobre sua vida a partir do momento no qual virou cineasta. Depois deste ponto, o filme é só de Heitor. Diagnosticado com esquizofrenia (nunca revelada), ele não tem papas na língua nem vergonha de rememorar suas maluquices de Londres à Índia (95min). 14 anos. Estreou em 11/5/2012. Estação Sesc Rio 3, Instituto Moreira Salles.

✪✪ PARALELO 10, de Silvio Da-Rin (Brasil, 2011). Em dezembro de 2010, o diretor e sua equipe, mais o antropólogo Terri Aquino e o sertanista José Carlos Meirelles, encararam 500 quilômetros no Rio Envira a bordo de um barco. Saíram de Feijó, no Acre, em direção à fronteira com o Peru, numa jornada de três semanas. O objetivo era percorrer uma área onde vivem os índios das aldeias Majidá e Ashaninka. Na onda do longa-metragem Xingu, chega um documentário que faz um registro de uma região inóspita, habitada também por índios isolados, assim chamados porque recusam qualquer contato com a civilização. Estrela da fita, o articulado e enérgico Meirelles relembra casos curiosos, como o de um ataque no qual teve de matar um índio para se defender. Embora queira flagrar imagens poéticas, o realizador acaba privilegiando as palavras. Esquece, assim, o cinema para trazer à tona uma atração de molde mais jornalístico (87min). Livre. Estreou em 11/5/2012. Espaço Itaú de Cinema 5, Estação Vivo Gávea 1.

✪ ROMANCE DE FORMAÇÃO, de Julia De Simone (Brasil, 2011). O primeiro documentário em longa-metragem da diretora registra o cotidiano de quatro estudantes brasileiros. Nos Estados Unidos, Victoria Saramago faz doutorado em cultura ibérica e latino-americana enquanto, em Harvard, Caetano Altafin está se especializando em direito corporativo. O mineiro Willian Cortopassi deixou a família em Belo Horizonte a fim de se dedicar à Faculdade de Química no Instituto Militar de Engenharia (IME), no Rio de Janeiro. E, na Alemanha, o pianista Fábio Martino faz mestrado na Universidade de Karlsruhe. São histórias curiosas, sobretudo por mostrar a garra de jovens que, dispostos a crescer profissionalmente, precisam, muitas vezes, encarar a solidão. A melhor tradução disso é a cena do jantar virtual, em comemoração ao Dia dos Namorados, feito através do Skype pelo carioca Caetano. Apesar da realização certinha, o filme não se aprofunda nem mostra um contraponto para o tema educacional, além de tentar ganhar maior duração abusando de sequências tolas (74min). Espaço Itaú de Cinema 5.

TEATRO

ESTREIAS

APARECEU A MARGARIDA, de Roberto Athayde. Adaptada pela Companhia Teatrofídico, de Porto Alegre, a comédia é a atração do fim de semana do projeto Dulcina Abraça o Sul. Em cena, o ator Renato Del Campão representa a professora Dona Margarida, que expõe suas ideias nada ortodoxas aos alunos, neste caso, os espectadores. A educadora aborda de forma cruel, polêmica e irônica fatos da vida como sexo, educação, morte e autoritarismo, entre outros assuntos. Campão divide o palco com Jairo Klein. Direção coletiva da Companhia Teatrofídico (100min). 16 anos.

Teatro Dulcina (429 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879.? Cinelândia. → Sexta (11) a domingo (13), 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). A sessão de estreia, na sexta (11), será grátis.

ANTÍGONA, de Sófocles com tradução de Millôr Fernandes. A célebre tragédia grega, de 442 a.C., ganha montagem da Cia. Teatro de Roda e entra na programação do projeto Finep Encena. Maria Rita Rezende, Último de Carvalho, Karina Diniz, Roberta Mancuso, Felipe Caetano e Mariozinho Telles também responsável pela direção representam a história de Antígona, filha de Édipo, condenada à morte pelo rei Creonte. A protagonista foi punida por desobedecer a uma lei do tirano, que proibia enterros aos traidores de Tebas. Destemida, Antígona promoveu o funeral do irmão Polinice, condenado por juntar-se aos inimigos de seu reino (60min). 10 anos. Espaço Cultural Finep (180 lugares). Praia do Flamengo, 200, Flamengo, ☎ 2555-0717. Segunda, 19h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 18h30 (seg.). Até 25 de junho. Estreia prometida para segunda (7).

9 MENTIRAS SOBRE A VERDADE, de Diones Camargo. Produção da Companhia Teatro Líquido, de Porto Alegre, o monólogo integra o projeto de ocupação Dulcina Abraça o Sul. Vanise Carneiro interpreta uma mulher que faz sua primeira visita a um grupo de apoio a mentirosos compulsivos. Depois de se apresentar como Lara, de 36 anos, ela diz aos participantes da reunião que é atriz de cinema, é uma mulher preocupada com o destino das partículas subatômicas e é uma dona de casa que estoca congelados no freezer, entre outras coisas. Seu discurso, evidentemente, transita entre a ficção e a realidade. Direção de Gilson Vargas (60min). 14 anos. Teatro Dul-cina (429 lugares). Rua Alcindo Guana-bara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Quarta, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 14h (qua.). Até dia 30. Estreia prometida para quarta (9).

QUERIDA HELENA SERGUÊIEVNA, de Ludmila Razumovskaia. Drama. Escrito em 1980, o contundente texto estreou com sucesso em Moscou, mas logo foi censurado. Só voltou a ser montado seis anos mais tarde, durante a Perestroika processo de reestruturação política na Rússia. A atriz Helena Varvaki dá vida à protagonista, uma professora solitária que, no dia de seu aniversário, recebe a visita de quatro alunos, representados por João Pedro Zappa, Marina Provenzano, Fábio Enriquez e Gabriel Vaz. Impressionada com o gesto dos jovens, a educadora os convida para jantar em sua casa. Na ocasião, a mestra enfrenta uma surpresa que conduz os personagens por um processo de transformação, através de diálogos que abordam questões como o conflito de gerações, o alcoolismo e a falta de perspectiva da juventude. Direção de Isaac Bernat (90min). 16 anos. Teatro Poeirinha (50 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Até 1º de julho. Estreia prometida para quinta (10).

SEBASTIÃO, de Fábio Vidal. Baseado em um episódio real, o monólogo conta a história de perseguições e infelicidades vivida por um grupo de moradores de Maracangalha, na Bahia, que saqueou um avião carregado com 5,6 milhões de reais após sua queda. Integrante da Companhia Território Sirius Teatro, de Salvador, o autor interpreta o protagonista que dá nome ao espetáculo, um cearense viciado em jogo e totalmente endividado. Devoto de Padre Cícero, o matuto não demora a descobrir que o suposto presente dos céus lhe traz mais problemas do que soluções. Direção do autor (60min). 14 anos. Caixa Cultural -- Teatro de Arena (226 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Quinta (10) a domingo (13), 19h. R$ 10,00. Bilheteria: 10h/20h (qui. a dom.).

A VOLTA AO LAR, de Harold Pinter com tradução de Millôr Fernandes. Segunda produção da Cia. Teatro Esplendor, após a adaptação de Festa de Família, filme de Thomas Vinterberg (em 2009), o drama escrito em 1965 retoma o tema bíblico do filho pródigo cujo retorno não é comemorado pelos parentes. Ambientada numa casa ao norte de Londres, a peça narra a chegada de Teddy (Gustavo Damasceno), que volta dos Estados Unidos, onde foi estudar filosofia. Na residência moram seu pai, Max (Tonico Pereira), seus dois irmãos -- o suposto cafetão Lenny (Bruce Gomlevksy) e o boxeador pouco inteligente Joey (Sergio Guizé) e seu tio, o motorista de táxi Sam (Jaime Leibovitch). Como o rapaz leva junto sua mulher americana, Ruth (Arieta Correa), o tenso equilíbrio do lar é drasticamente afetado. Direção de Bruce Gomlevksy (120min). 14 anos. Estreou em 1º/3/2012. Centro Cultural Correios (200 lugares). Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Quinta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até 24 de junho. Estreia prometida para quinta (10).

REESTREIAS

✪✪✪ DE VERDADE A MULHER CERTA, de Sándor Márai, com adaptação de Isabel Muniz e Susana Schild. Há dois anos os atores Guilherme Piva e Kika Kalache vêm trabalhando na montagem do drama, transposto do livro De Verdade, obra-prima do escritor húngaro Sándor Márai (1900-1989). Acompanhados pelo músico Antonio Saraiva, ao piano e, em outros momentos, ao saxofone, Guilherme e Kika interpretam um casal sem nome. Na trama, as diferenças sociais afetam a relação, uma vez que ele é um aristocrata decadente e ela, uma mulher de classe média que muda seu estilo de vida para alcançar o status do marido. Eles se dirigem à plateia, um de cada vez, e relatam as razões que encontraram para o fim da união. Na direção, Marcio Abreu exibe boas ideias. Ele dá à distância entre os personagens uma dimensão física, ao acomodar os atores e o músico em pontos afastados do amplo cenário. Em outro acerto, valoriza o texto, levando a esposa a repetir palavras do marido, e vice-versa -- curiosamente, o sentido da fala varia, de acordo com quem a diz (60min). 12 anos. Estreou em 13/4/2012. Teatro Maria Clara Machado -- Planetário da Gávea (128 lugares). Rua Padre Leonel França, 240, Gávea, ☎ 2274-7722. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 3 de junho. Reestreia prometida para sexta (11).

✪✪✪ O FILHO ETERNO, de Cristóvão Tezza, com adaptação de Bruno Lara Resende. Volta ao circuito o monólogo dramático que rendeu os prêmios Shell e APTR 2011 ao ator Charles Fricks. No palco, ele apresenta os corajosos relatos de Tezza, tirados de seu livro homônimo, sobre a convivência com o filho mais velho, Felipe, portador da síndrome de Down. Apoiado em cena apenas por uma cadeira, Fricks preserva o enredo distante da pieguice. Seu personagem divide com o público inseguranças, descobertas e pequenas conquistas até o desfecho redentor. Direção de Daniel Herz (75min). 14 anos. Estreou em 3/6/2011. Centro Cultural do Poder Judiciário (antigo Palácio da Justiça) -- Sala Multiuso (60 lugares). Rua Dom Manuel, 29, Centro, ☎ 3133-3366. Segunda a quarta, 19h. Grátis. Bilheteria: a partir das 18h30 (seg. a qua.). Distribuição de senhas meia hora antes. Até dia 29. Reestreia prometida para segunda (7). www.portaltj.tjrj.jus.br.

MANIFESTO CIBORGUE/PAISAGEM NUA, de Joelson Gusson e Thereza Rocha. Integrantes da Trilogia da Matéria, do grupo Dragão Voador Teatro Contemporâneo, os dois espetáculos terão sessões consecutivas às quartas e quintas. O primeiro, às 20h, é um drama moderninho escrito para dois atores, inspirado em artigos da filósofa americana Donna Haraway. Em cena, Leonardo Corajo e Lucas Gouvêa discutem de forma bem-humorada as possibilidades criadas pelas novas tecnologias para que o homem contemporâneo possa transformar o seu próprio corpo. Na sequência, às 21h30, é a vez da comédia dramática inspirada no ensaio de moda chamado Landscapes with a Corpse, do fotógrafo japonês Izima Kaoru. No palco, Gusson e a atriz Carolina Ferman encenam a trama que aborda dois temas aparentemente distantes: moda e morte. Manifesto Ciborgue. Direção do autor (45min). 16 anos. Estreou em 27/2/2010. Paisagem Nua. Direção dos autores (50min). 14 anos. Estreou em 11/8/2011. Espaço Cultural Sérgio Porto (100 lugares). Rua Visconde Silva, s/nº, Humaitá, ☎ 2535-3846. Quarta e quinta, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 17h (qua. e qui.). Até 7 de junho. Reestreia prometida para quinta (10).

A NEGRA FELICIDADE, de Moacir Chaves, com base no Sermão de Santo Antonio aos Peixes, do padre Antonio Vieira e nos autos de um processo de 1870 que uma escrava, registrada com o nome de Felicidade, moveu na Justiça do Rio, pleiteando sua liberdade. Na segunda montagem da companhia Alfândega 88, após Labirinto (2011), o elenco Andy Gercker, Adriana Seiffert, Danielle Martins de Farias, Diego Molina, Edson Cardoso, Elisa Pinheiro, Fernando Lopes Lima, Leonardo Hinckel, Mariana Guimarães, Pâmela Côto, Peter Boos, Renata Guida e Rita Fisher encena o drama com situações contidas nas páginas da ação judicial mescladas aos textos do religioso escritor e orador português. Direção do autor (80min). 14 anos. Estreou em 9/4/2012. Teatro Serrador (350 lugares). Rua Senador Dantas, 13, Cinelândia, ☎ 2220-5033, ? Cinelândia. Segunda a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 11h/19h. Até dia 21. Reestreia prometida para quinta (10).

ZÉ KETI: EU SOU O SAMBA, de Maria Helena Kühner. Autor de sucessos como Máscara Negra, A Voz do Morro e Opinião, o compositor Zé Keti (1921-1999) tem sua rica trajetória celebrada no musical. Acompanhados de cinco músicos, os atores Sérgio Menezes, Rodrigo Candelot e Sanny Alves encenam episódios da vida do sambista, cujo repertório chamou a atenção de intelectuais e artistas de teatro, cinema e TV, principalmente nas décadas de 60 e 70. Direção cênica de Sérgio Fonta e direção musical de Luizinho Croset (90min). Livre. Estreou em 4/11/2011. Sala Baden Powell (508 lugares). Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, ☎ 2548-0421. Sexta e sábado, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: 15h/18h (ter. a qui.); a partir das 15h (sex. e sáb.). Até dia 26. Reestreia prometida para sexta (11).

ÚLTIMA SEMANA

AGREDIR FUNCIONÁRIO PÚBLICO NO EXERCÍCIO DA FUNÇÃO É CRIME, de Edvard Vasconcellos. Colegas de elenco em Trair e Coçar É Só Começar, há mais de uma década, Roberto Pirillo e Roberto Frota voltam a atuar juntos nesta comédia para celebrar os 45 anos de carreira de ambos. No espetáculo de pegada kafkiana, sobre um cidadão que se vê envolvido nas malhas de uma repartição e não consegue se livrar dela, Pirillo representa um homem chamado Roberto Nestor. Ele vai a uma instituição pública resolver um problema burocrático. Por ironia do destino, é atendido por um homônimo, representado por Frota, funcionário antigo à beira da aposentadoria, que leva a paciência do cliente ao extremo. Direção do autor (60min). 14 anos. Estreou em 6/4/2012. Teatro do Leblon -- Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sexta e sábado, 23h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 4,00 a cada meia hora). Até sábado (12).

DE REPENTE, de Carol Garcia e Fred Sommer. Neste drama, Carol divide o palco com o ator Frederico Demarca -- eles interpretam a repentista Silvana e o sanfoneiro Antônio. A montagem, sobre as diferentes realidades de quem vive no interior e nas capitais, conta a história do casal de artistas populares que vem do Nordeste para tentar a sorte no Rio. Toda a narrativa é pontuada por música, poesia e texto rimado. Direção de João Gioia (60min). Livre. Estreou em 10/3/2012. Reserva + (40 lugares). Rua Francisco Otaviano, 67 (Galeria River), Copacabana, ☎ 2227-1192. Sábado e domingo, 21h. Grátis. Bilheteria: a partir das 20h (sáb. e dom.). Distribuição de senhas uma hora antes. Até domingo (13).

✪✪✪✪ DEUS DA CARNIFICINA, UMA COMÉDIA SEM JUÍZO, de Yasmina Reza, com tradução de Eloisa Ribeiro. Comédia. encenam a versão brasileira deste bem-sucedido texto da dramaturga francesa. No palco é apresentada a história de dois casais maduros que se encontram para resolver um incidente envolvendo seus filhos pequenos: um deles quebrou dois dentes do outro numa briga. Em dado momento, rompe-se o verniz social que faz a blindagem dos adultos contra a selvageria, e a polidez dá lugar a reações nada civilizadas. Direção de Emílio de Mello (75min). 14 anos. Estreou em 2/9/2010. Teatro do Leblon -- Sala Marília Pêra (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui.), R$ 60,00 (sex. e dom.) e R$ 70,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 4,00 a cada meia hora). Até domingo (13).

25, de Ismar Tirelli Neto. Drama. Relações vividas em redes sociais são o ambiente deste espetáculo, cujo título remete à faixa etária dos personagens. O elenco formado por Bernardo Marinho, Davi de Carvalho, Larissa Sarmento, Luisa Friese e Tati Ramos encena a trama que se passa em um fórum de discussão na internet, voltado para a obra do autor americano fictício Gene Kramer. Recluso e excêntrico, o ficcionista e ensaísta por trás de títulos como Plâncton, Pão Mofado e Contra D.H. Lawrence volta a causar polêmica com o lançamento de Correio do Ódio, vasto ensaio autobiográfico baseado em cartas desaforadas recebidas ao longo de sua extensa carreira. Direção de Priscila Vidca (60min). 14 anos. Estreou em 20/4/2012. Espaço Sesc -- Sala Multiuso (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana. ☎ 2547-0156. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (13).

EXPOSIÇÕES

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

ESTREIAS

BETTINA VAZ GUIMARÃES. Nove telas de grandes dimensões, pintadas com tinta acrílica, e treze pequenos trabalhos que mesclam fotografia e pintura compõem a primeira individual da artista paulistana no Rio. As obras evocam naturezas mortas através de objetos de uso cotidiano. Progetti. Travessa do Comércio, 22, Centro, ☎ 2221-9893. Terça a sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 7 de julho. A partir de terça (8). www.progettirio.com.

GISELA MOTTA E LEANDRO LIMA. Dedicada à arte brasileira emergente, a Sala A Contemporânea, no CCBB, abriu o ano de 2012 com uma instalação do paraibano José Rufino. Agora recebe Sopro, reunião de três obras do mesmo gênero feitas pela dupla paulistana. Arco-Íris, de 2012, a única inédita, recria um arco-íris a partir do fenômeno conhecido como persistência da visão ilusão provocada quando um objeto segue na retina por uma fração de segundo após ser enxergado. Amoahiki, de 2008, e Yano-a, de 2005, com imagens captadas na Amazônia por Claudia Andujar, são apresentadas juntas pela primeira vez, formando um díptico. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 3 de junho. A partir de terça (8).

JOANA TRAUB CSEKÖ. Passagens -- Copacabana é o nome da individual. Pensada especificamente para a Galeria de Arte Ibeu, em Copacabana -- daí seu nome --, traz catorze trabalhos em que a artista carioca cria imagens sobrepondo fotografias antigas do bairro, compradas na feira da Praça XV, a fotos novas, também da região, feitas por ela. Galeria de Arte Ibeu. Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 690, 2º andar, Copacabana, ☎ 3816-9400, ? Siqueira Campos. → Segunda a sexta, 13h às 19h. Grátis. Até dia 25. A partir de quarta (9). www.ibeu.org.br.

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ ANA HOLCK. Oito esculturas de grandes dimensões compõem a individual Ensaios Não Destrutivos. Em cinco delas, losangos e hexágonos unidos por um dos lados parecem subir pelas paredes ou rastejar pelo chão. As obras fazem parte de uma recente pesquisa em que a artista carioca utiliza elementos de concreto pré-moldado e acrílico. A partir de R$ 5500,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até sábado (12). www.anitaschwartz.com.br.

FÁBIO BAROLI. Na individual Domingo, o artista apresenta cinco telas de grandes dimensões inspiradas pelo tradicional dia de descanso do trabalhador. Curadoria de Marcelo Campos. R$ 5000,00 a R$ 18000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até sábado (12). www.lauramarsiaj.com.br.

FERNANDA CHIECO. Três criações em desenho integram a mostra Anexo. Há cenas incômodas, como a de um elefante morto cercado por pessoas nuas e sangue. Três objetos completam o acervo. R$ 2000,00 a R$ 14000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até sábado (12). www.lauramarsiaj.com.br.

✪✪✪ FILE RIO 2012. Nesta edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, que mistura arte e tecnologia, foram reunidos cerca de 150 trabalhos de profissionais de onze nacionalidades. A novidade é a apresentação de uma série de aplicativos para tablets -- alguns muito divertidos, outros nem tanto. Os destaques são mesmo as obras interativas. Entre elas, chama atenção a escultura cinética ADA, da alemã Karina Smigla-Bobinski. Trata-se de um globo transparente que rola pela sala manipulado pelo visitante. Cravejada de pontas de carvão, a esfera vai deixando marcas nas paredes, no teto e no piso, fazendo um desenho aleatório. Em Body Paint, do inglês Memo Akten, uma tela virtual é pintada através de movimentos corporais. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até domingo (13). www.oifuturo.org.br.

GUSTAVO NÓBREGA. Imagens de arte sacra e o grafismo de bulas e caixas de remédio encontram-se nos cerca de trinta trabalhos apresentados. Ao misturar fé e medicação, o artista recompõe signos estabelecidos em pinturas, esculturas e objetos. R$ 2000,00 a R$ 20000,00. Graphos: Brasil. Rua Siqueira Campos, 143, 2º piso, Copacabana, ☎ 2256-3268, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 18h. Grátis. Até quinta (10).

✪ JAPÃO: UM ANO DEPOIS DO TERREMOTO. Ocorrido em 2011, o pior terremoto da história do Japão é relembrado em painéis fotográficos cedidos pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros daquele país. As 91 imagens mostram como ficaram as cidades devastadas, mas também detalhes da reconstrução. Arquitetura, culinária, artesanato e paisagens da região de Tohoku, diretamente atingida pelo cataclismo, são retratadas. A iniciativa de lembrar a tragédia é nobre, mas a exposição esbarra em alguns problemas triviais. O primeiro é quanto à escolha das fotografias, redundante frente à profusão de imagens do episódio já exibidas em veículos de comunicação. Como se não bastasse, o impacto dos registros se dilui nas reproduções, pequenas e de pouca qualidade. Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. → Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. R$ 6,00. Grátis aos domingos e para menores de 5 anos e maiores de 65. A bilheteria fecha meia hora antes. Até domingo (13). www.museuhistoriconacional.com.br.

✪✪ JOSÉ PAULO. Depois de anos trabalhando com esculturas, o artista pernambucano retoma contato com o desenho e a pintura na mostra Retratos e Autorretratos. Quarenta e quatro desenhos feitos com grafite compõem uma série que exibe copos recolhidos por amigos, parentes e anônimos. Há ainda doze desenhos semelhantes, só que de garrafas de plástico. Já o conjunto Espelhos para Autorretratos tem sete espelhos reconstruídos, com a lâmina de reflexão reduzida a uma pequena faixa. A partir de R$ 3500,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até sábado (12). www.anitaschwartz.com.br.

✪✪✪✪ NAZARENO. Indicado por três vezes -- em 2006, 2008 e 2011 -- ao prestigiado prêmio de artes plásticas CNI Sesi Marcantonio Vilaça, o artista paulistano de 44 anos buscou inspiração nas histórias que ouvia quando criança para criar as obras da individual Abre-se a Floresta. Aquela típica paisagem verde e repleta de mistérios, recorrente nos contos de fadas, é explorada em dez desenhos e cinco esculturas. Nos primeiros, delicadas criações feitas com nanquim exibem troncos, galhos e matas de modo quase abstrato, acompanhadas de frases insinuantes. Parte mais surpreendente da mostra, as esculturas de madeira abrigam cenários de fantasia compostos de móveis, árvores e animais em miniatura. No trabalho que dá nome à exposição, um ambiente de fábula, rico em detalhes, descortina-se do outro lado do olho mágico. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até sábado (12). www.lucianacaravello.com.br.

✪✪✪ PAÇO IMPERIAL. Seis individuais inauguraram a temporada 2012 do endereço histórico: Dois Reais, de Matheus Rocha Pitta; Cadência, de Gabriela Machado; Aurora, de Rosana Ricalde; A Origem Mística de Portugal Vista do Brasil, de Rafael Alonso; Ocupação Macia, de Maria Lynch; e Estranha Economia, de Felipe Barbosa. Próximas umas das outras, as mostras podem ser encaradas como uma atraente coletiva de arte contemporânea. No acervo exposto, Gabriela apresenta belas pinturas sobre linho. Outros dois artistas provocam agradável estranhamento: Rosana Ricalde se vale de linhas recortadas do livro As Mil e Uma Noites para fazer um novelo gigante batizado de Fio de Ariadne e Felipe Barbosa reproduz um quarto onde todos os objetos são forrados de notas de real picadas. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até domingo (13). www.pacoimperial.com.br.

PITÁGORAS. Em Quase Cinema, o artista goiano exibe vinte trabalhos realizados nos últimos três anos. São desenhos e pinturas selecionados por Marcus de Lontra Costa. R$ 600,00 a R$ 18000,00. Galeria Coleção de Arte. Praia do Flamengo, 278, térreo, Flamengo, ☎ 2551-0641. → Segunda a sábado, 10h às 18h. Grátis. Até sábado (12). www.colecaodearte.com.br.

ZÉ CARLOS GARCIA. Fragmentos de móveis antigos e materiais reciclados revestidos de penas artificiais e naturais formam dois objetos de grandes dimensões expostos pelo artista em PET. Embora não tenham uma forma definida, as obras evocam asas de anjos. Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto. Rua Humaitá, 163, Botafogo, ☎ 2266-0896. Quarta a domingo, 14h às 22h. Grátis. Até domingo (13).

Fonte: VEJA RIO