DIVERSÃO

Fique ligado

Vinte e três espetáculos teatrais e cinco exposições desembarcam no Rio neste fim de semana, entre estreias e reestreias. Nos cinemas, três pré-estreias e quatro lançamentos agitam as salas da cidade. Aproveite também para conferir outras quatro peças e nove mostras que encerram suas temporadas. Programe-se!

- Atualizado em

fique-ligado.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

CINEMA

PRÉ-ESTREIAS

✪ BEL AMI, O SEDUTOR, de Declan Donnellan e Nick Ormerod (Bel Ami, Inglaterra/França/Itália, 2012). Talvez Robert Pattinson seja uma das promessas de astro mais furadas das últimas décadas. Revelado como herói romântico da saga Crepúsculo, o ator prova, a cada novo filme, que é ruim nos quesitos interpretação, sensualidade e carisma. Por isso, fica impossível acreditar na insossa atuação de Pattinson na pele de um sedutor capaz de arrasar o coração de três madames da sociedade parisiense do fim do século XIX. No drama, extraído do livro de Guy de Maupassant (1850-1893), Pattinson faz o ex-soldado Georges Duroy, que, num cabaré de Paris, reencontra um ex-colega de batalhas. Endinheirado, Charles Forestier (Philip Glenister) virou editor de um jornal e oferece a Georges um cargo de cronista. Semianalfabeto, ele consegue a ajuda de Madeleine (Uma Thurman), esposa de Forestier, para escrever seus artigos. Já no high society, o protagonista vira amante de uma jovem casada (Christina Ricci) e, mais tarde, vai se engraçar com a mulher do dono do jornal (papel de Kristin Scott Thomas). A história tem boa recriação de época, mas nem o visual consegue segurar uma condução para lá de morna de dois diretores estreantes (102min). 14 anos. Cinemark Botafogo 1, Cinemark Downtown 1, Kinoplex Fashion Mall 2, Kinoplex Leblon 3.

JUNTOS PARA SEMPRE, de Pablo Solarz (Juntos para Siempre, Argentina, 2010). Uma comédia romântica, é o longa de estreia do diretor argentino Solarz. Mergulhado na produção do roteiro para um novo filme, o escritor Javier Gross (Peto Menahem) não consegue se relacionar com as pessoas à sua volta e acaba abandonado pela mulher Lucia (Malena Solda), grande amor de sua vida. Agora ele tem de inventar uma nova história de amor para si mesmo (101min). 12 anos. Estação Vivo Gávea 1.

31 MINUTOS ? O FILME, de Álvaro Díaz e Pedro Peirano (Brasil/Chile/Espanha, 2008). Produtor do programa 31 Minutos, Juanín (dublado por Daniel de Oliveira) é um bicho de pelúcia de uma raça em extinção. Por isso, vira alvo de cobiça da colecionadora de animais raros Cachirula (Mariana Ximenes). Juanín é raptado por ela, e seus amigos dão início às buscas. A aventura infantil feita com fantoches foi rodada em 2008 por dois diretores chilenos. Extraída de uma atração do canal Nickelodeon, chega aos cinemas depois de ganhar dublagem e trilha sonora em português (84min). Livre. Box Cinemas Gonçalo 5, Cinemark Botafogo 5, Cinemark Carioca Shopping 8, Cinemark Downtown 5, Cinesystem Bangu 4, Estação Vivo Gávea 4, Iguatemi 7, Kinoplex Fashion Mall 3, Kinoplex Grande Rio 3, Kinoplex Nova América 2, UCI New York City Center 7, UCI Kinoplex NorteShopping 4, Via Parque 6.

ESTREIAS

✪✪ AQUI É O MEU LUGAR, de Paolo Sorrentino (This Must Be the Place, Itália/França/Irlanda, 2011). No Festival de Cannes do ano passado, Sean Penn integrou a comitiva do vencedor da Palma de Ouro, A Árvore da Vida. Mas o ator americano produziu mais burburinho graças à atuação neste drama do diretor italiano de Il Divo (2008). Pudera. No papel de Cheyenne, um roqueiro gótico dos anos 80, ele adotou um visual desgrenhado e extravagante, com maquiagem tão carregada quanto a de Robert Smith, vocalista da banda inglesa The Cure. Essa transformação visual responde pelo aspecto mais inusitado de uma narrativa tão acidentada quanto a trajetória do protagonista. Em decadência, o sobrevivente do show business decide abandonar uma rotina monótona e sai em uma jornada para encontrar o principal inimigo de seu pai, um nazista refugiado nos Estados Unidos. A trilha sonora de David Byrne (Talking Heads) e as boas referências aos road movies de Wim Wenders (Paris, Texas) e de Jim Jarmusch (Flores Partidas) criam uma atmosfera de lenta melancolia. Nada disso sustenta uma guinada abrupta na trama, que a torna mais trágica e menos verossímil (118min). 12 anos. Estreou em 27/7/2012. Cinemark Downtown 11, Estação Sesc Botafogo 1, Estação Vivo Gávea 5, Kinoplex Fashion Mall 3.

✪✪✪ ATÉ A ETERNIDADE, de Guillaume Canet (Les Petits Mouchoirs, França, 2010). Ator do recente Apenas Uma Noite (2011), Canet revela-se também um competente diretor neste drama ao conduzir com segurança um elenco numeroso de astros franceses ? entre eles os premiados com o Oscar Jean Dujardin (O Artista) e Marion Cotillard (Piaf). A trama começa quando o agitado Ludo (Dujardin) sofre um acidente de moto na saída de uma casa noturna, após intensa balada na madrugada. Preso a uma cama de hospital, ele deixa seus fiéis camaradas num dilema: curtir a praia por algumas semanas durante o verão ou abandonar os planos para cuidar do bon vivant? Os amigos escolhem a primeira opção, partem para o litoral e se hospedam na casa de Max (François Cluzet), o mais bem-sucedido do grupo. Assim como alguns de seus colegas, o anfitrião enfrenta um impasse delicado: embora casado, ele recebeu uma inesperada declaração de amor de Vincent (Benoît Magimel), amigo de longa data, também casado. A partir daí, o roteiro, escrito pelo próprio realizador, disseca segredos, incertezas amorosas e separações, que podem ameaçar a estabilidade da turma. Folhetinesco, o longa-metragem ultrapassa duas horas de duração sem cansar a plateia. O argumento vem acrescido de boas doses de humor e acerta na profundidade do perfil psicológico dos personagens. Embalado por uma trilha sonora com um pé no rock dos anos 70 e outro no indie atual, o filme evita o excesso de sentimentalismo e prepara o terreno para uma conclusão tocante (154min). Estreou em 27/7/2012. Estação Sesc Laura Alvim 1.

✪✪✪ BATMAN ? O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE, de Christopher Nolan (The Dark Knight Rises, EUA/Inglaterra, 2012). Ação dramática. Parece que a chacina, ocorrida durante a exibição do filme num cinema dos Estados Unidos, não arranhou sua imagem. Em três dias de exibição por lá, faturou mais de 160 milhões de dólares e ocupou a terceira posição entre as maiores bilheterias de um fim de semana de estreia ? perdeu apenas para Os Vingadores (2012) e para o último episódio de Harry Potter (2011). O diretor Christopher Nolan deixa, portanto, a franquia com um saldo satisfatório em termos de qualidade e arrecadação. Puxada para o drama e com poucos (porém vigorosos) momentos de ação, a trama se passa oito anos depois do longa-metragem de 2008. Por ter baixado a criminalidade em Gotham City, Harvey Dent virou ídolo. Batman (ainda interpretado por Christian Bale), responsável por sua morte, caiu em desgraça na opinião pública e, desde então, preferiu ficar recluso em sua mansão. Com o surgimento do brucutu Bane (Tom Hardy), um mercenário disposto a mandar a cidade pelos ares, chega a hora de Bruce Wayne vestir novamente a fantasia do homem-morcego. Embora o vilão jamais se iguale à insanidade do Coringa na magistral atuação de Heath Ledger no filme anterior, este capítulo segue no registro do realismo e oferece à plateia quarenta minutos finais arrebatadores ? uma sequência embalada pela grandiloquente trilha sonora de Hans Zimmer (A Origem) que chega a um clímax surpreendente. No elenco numeroso, sobressaem as performances de Anne Hathaway, vivendo uma ladra sensual, e de Joseph Gordon-Levitt, um policial criado num orfanato e, assim como o comissário Gordon (Gary Oldman), um defensor de Batman. Com Michael Caine, Marion Cottilard e Morgan Freeman (164min). 14 anos. Estreou em 27/7/2012. Dublado: Bay Market 1, Box Cinemas Gonçalo 7 e 8, Cine Bauhaus 1, Cine 10 Sulacap 3 e 4, Cinemark Botafogo 5 e 6, Cinemark Carioca Shopping 1, 4, 5 e 6, Cinemark Downtown 9, Cinemark Plaza Shopping 4, Cinespaço Boulevard 1, Cinesystem Bangu 2 e 5, Cinesystem Ilha Plaza 1, Cinesystem Recreio 1, Cinesystem Via Brasil 2, Estação Vivo Gávea 2, Iguaçu Top 3, Iguatemi 4 e 5, Kinoplex Grande Rio 1 e 6, Kinoplex Nova América 6 e 7, Kinoplex West Shopping 1 e 3, Rio Sul 3, UCI New York City Center 3, 4 e 17, UCI Kinoplex NorteShopping 6 e 10, Via Parque 2. Legendado: Box Cinemas Gonçalo 3, Cinespaço Boulevard 2, Cinemark Downtown 4, 8 e 12, Cinemark Plaza Shopping 3, Cinesystem Ilha Plaza 4, Cinesystem Recreio 1 e 3, Cinesystem Via Brasil 3, Espaço Itaú de Cinema 6, Espaço Rio Design 2, Leblon 1, Iguatemi 3, Kinoplex Fashion Mall 1, Kinoplex Leblon 2, Kinoplex Nova América 1, Kinoplex Tijuca 1, 2 e 6, Rio Sul 1, Roxy 2, São Luiz 2, UCI New York City Center 4, 8, 13 e 18, UCI Kinoplex NorteShopping 5 e 10, Via Parque 4.

✪✪✪ O MOINHO E A CRUZ, de Lech Majewski (The Mill and the Cross, Polônia/Suécia, 2012). Na tela A Procissão para o Calvário, de 1564, o pintor flamengo Pieter Bruegel (1525-1569) imaginou um paralelo entre a via crúcis de Jesus Cristo e o sofrimento vivido pelo povo belga durante a invasão espanhola, no século XVI. A sobreposição de referências históricas e religiosas inspirou o cineasta polonês a criar um drama também multifacetado, que convida o público a refletir sobre as relações entre as artes plásticas, a realidade e o cinema. Com um arsenal impactante de efeitos digitais, Majewski insere os atores na cena composta por Bruegel. Simultaneamente, descreve o processo criativo do artista (papel de Rutger Hauer, de Blade Runner), testemunha da barbárie em Flandres. O visual, rico em detalhes e surpresas, é de encher os olhos. Tão logo o espectador se acostuma a essas nuances técnicas, no entanto, fica evidente a falta de traquejo do diretor para desenvolver personagens e diálogos, soterrados pela pompa do projeto. Ainda assim, trata-se de uma experiência singular, mesmo quando abusa da paciência da plateia (91min). 16 anos. Estreou em 27/7/2012. Estação Sesc Barra Point 2, Estação Sesc Rio 2, Estação Vivo Gávea 4.

EXPOSIÇÕES

ESTREIAS

ANDRÉ ANDRADE. Dez trabalhos do artista carioca serão reunidos em Por que Você Não me Contou sobre Você?. Todos exibem imagens de televisão com interferências ou falhas de transmissão, fotografadas por ele diretamente do aparelho e trabalhadas com tinta sobre uma placa de alumínio. Curadoria de Vanda Klabin. R$ 2?200,00 a R$ 8?800,00. Galeria Athena Contemporânea. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), lojas 210 e 211, Copacabana, ☎ 2513-0239. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 1º de setembro. A partir de sexta (3).

GUEL SILVEIRA. O baiano Silveira, que já ilustrou uma edição do livro Tieta do Agreste, de Jorge Amado, faz sua primeira individual no Rio. Nela, exibe doze trabalhos em acrílica sobre cartão. R$ 5?000,00 a R$ 8?000,00. Tramas Galeria de Arte. Avenida Atlântica, 4240 (Shopping Cassino Atlântico), loja 219, ☎ 2287-2036. Segunda a sábado, 11h às 18h. Grátis. Até 18 de agosto. A partir de sexta (3).

MARCELO SOLÁ. Na individual Casa das Prima + Hidrolands Grafisch Atelier Chanterclayson/Dusted Souls, o criador goiano apresenta 31 trabalhos, entre desenhos, serigrafias e pinturas de tamanhos diversos. A partir de R$ 3?500,00. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 25 de agosto. A partir de sexta (3). www.lucianacaravello.com.br.

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL - 90 ANOS DE HISTÓRIAS. O museu celebra nove décadas de existência com uma exposição especial de peças de seu acervo. Foram reunidos do primeiro item incorporado à coleção, uma farda do século XIX, ao mais recente, um uniforme de gari da companhia de limpeza urbana, de 2012. Entre os objetos mais curiosos figura um baralho com imagens de vários pontos do Rio, criado como suvenir para o centenário da Independência do Brasil. Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro, ☎ 2550-9220. Terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 14h às 18h. R$ 8,00. Grátis para menores de 5 anos, maiores de 65 e aos domingos. A bilheteria fecha meia hora antes. Até 15 de outubro. A partir de sexta (3). www.museuhistoriconacional.com.br.

FOTÓGRAFOS DA NATUREZA. Promovido pelo Museu de História Natural de Londres e pela revista BBC Wildlife, o concurso Wild Life Photographer of the Year existe há 49 anos e premia fotos que têm a natureza como tema. Há dezesseis anos os vencedores passaram a ser reunidos em uma mostra, que agora é montada pela primeira vez no Brasil. Compõem a seleção 79 imagens de profissionais de 24 países. Centro de Visitantes do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, ☎ 3874-1808. Segunda a domingo, 8h às 17h. Grátis. Até 30 de agosto. A partir de sexta (3).

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ A ARQUITETURA PORTUGUESA PELO TRAÇO DE LUCIO COSTA. Protagonista da arquitetura e do urbanismo brasileiros, Lucio Costa (1902-1998) fez, em 1952, uma viagem a Portugal, durante a qual preencheu cinco blocos de papel com desenhos e anotações sobre o país e sua paisagem urbana. Considerados perdidos por cinquenta anos, esses registros são exibidos pela primeira vez, reunidos sob a curadoria de Maria Elisa Costa, filha do arquiteto, e José Pessôa. Recentemente, a dupla refez aquela viagem, procurando recuperar em fotografias o que ainda restava da arquitetura desenhada por Costa. Essas imagens também são expostas, em um interessante confronto com as 74 páginas de esboços. Caixa Cultural ? Galeria 1. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até domingo (5). www.caixacultural.com.br.

✪✪✪ ARTISTAS BRASILEIROS NA ITÁLIA. Fundada por dom João VI em 1826, a Academia Imperial de Belas Artes travou, desde o seu surgimento, um profícuo diálogo com a produção artística da Itália. Herdeiro do acervo da instituição, o Museu Nacional de Belas Artes joga luz sobre essa parceria abrigando a mostra com 95 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras, de 38 criadores que incorporaram elementos da cultura italiana a seus trabalhos. Sobressaem no acervo alguns dos artistas da Academia Imperial que estiveram na Itália na segunda metade do século XIX, como os irmãos Félix (1866-1905), Rodolfo (1852-1931) e Henrique Bernardelli (1857-1936) ? é deste último o belo óleo Maternidade ?, além de Victor Meirelles (1832-1903). Entre as criações desse grupo, no entanto, a atração mais importante é o imponente óleo Turbínio, de Antônio Parreiras (1860-1937). Alvo de uma meticulosa restauração feita por técnicos do MNBA, a tela volta a ser exibida após mais de cinquenta anos. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, Cinelândia. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até domingo (5). www.mnba.gov.br.

✪✪✪ COLEÇÃO ITAÚ DE FOTOGRAFIA BRASILEIRA. No alentado painel com 115 trabalhos de 56 autores, que abrange dos anos 40 aos dias de hoje, a opção do curador Eder Chiodetto foi pelas imagens de caráter mais experimental. Em Homenagem a Mondrian (1960), do paulistano German Lorca, uma janela evoca as linhas da obra do pintor holandês. Há ainda uma sequência de belíssimas fotos de Claudia Andujar, da série Sonhos Yanomami. Nomes como Geraldo de Barros, José Oiticica Filho, Thomaz Farkas, Rosângela Rennó, Miguel Rio Branco e Vik Muniz integram a seleção. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até domingo (5). www.pacoimperial.com.br.

✪✪✪ FERNANDA CHIECO. Na mostra Trono de Pescador, a artista paulistana apresenta dez belos desenhos feitos com lápis de cor sobre hanji, um tipo de papel coreano. Produzidos desde 2011, os trabalhos foram todos iniciados durante uma residência artística que Fernanda realizou na cidade de Incheon, na Coreia do Sul. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até domingo (5). www.pacoimperial.com.br.

✪✪✪ JOSÉ PAULO. Em Para Nunca Mais Me Esquecer, o artista pernambucano evoca questões ligadas a memória, rotulação e permanência. São quinze obras, entre objetos, esculturas, acrílicas e desenhos, além de um grande painel de cerâmica. A peça que dá nome à exposição, feita em 2010, reúne 25 enormes esculturas de ferro e madeira que lembram marcadores de gado. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até domingo (5). www.pacoimperial.com.br.

MULHERES. Reunião de quarenta obras apenas de artistas do sexo feminino: são vinte ao todo. Nomes importantes como os de Beatriz Milhazes, Leda Catunda, Anna Bella Geiger, Tomie Ohtake e Lygia Clark integram a mostra. Há pinturas, colagens, serigrafias, esculturas, objetos e vídeos. Museu de Arte Contemporânea. Mirante da Boa Viagem, s/nº, Boa Viagem, Niterói, ☎ 2620-2400/2481. Terça a domingo, 10h às 18h. R$ 6,00. A bilheteria fecha 15 minutos antes. Crianças com menos de 7 anos não pagam. Pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Grátis às quartas-feiras. Até domingo (5). www.macniteroi.com.br.

RIO CIDADE-PAISAGEM. O acervo iconográfico da Biblioteca Nacional abastece a exposição sobre o Rio de Janeiro. Dividida em módulos que contemplam diversos pontos da cidade, como a Baía de Guanabara, a Floresta da Tijuca e Copacabana, a mostra reúne 120 itens, entre mapas, gravuras, desenhos, manuscritos, revistas, jornais e partituras. Biblioteca Nacional ? Espaço Cultural Eliseu Visconti. Rua México, s/nº, Centro, ☎ 3095-3879, Cinelândia. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. Até domingo (5).

✪✪✪ TEIMOSIA DA IMAGINAÇÃO. Dez artistas populares brasileiros integram a mostra. São eles o alagoano Antonio de Dedé, os baianos Nilson Pimenta e Aurelino, o cearense Francisco Graciano, os mineiros Getúlio Damado, Izabel Mendes e Jadir João Egídio, os pernambucanos José Bezerra e Manoel Galdino e o sergipano Véio. Boa parte dos 77 trabalhos é de esculturas de madeira, mas a variedade de estilos não deixa a exposição cair na monotonia. Há ainda pinturas, cerâmicas e obras em técnica mista. Curadoria de Germana Monte-Mór. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até domingo (5). www.pacoimperial.com.br.

TRANSBORDANTES ESTRANHAMENTOS CONTRASTANTES. Na coletiva que inaugura a galeria foram reunidas quinze pinturas de três artistas: Benjamin Rothstein, Luciana Gaspar e Pedro Mandarino. Curadoria de Bob N, João Magalhães e Orlando Mollica. Preços sob consulta. Galeria Everest. Rua Prudente de Morais, 1117 (Hotel Everest), Ipanema, ☎ 2525-2200. 9h às 19h. Grátis. Até terça (31).

TEATRO

ESTREIAS

ARTAUD - A REALIDADE É DOIDA VARRIDA, textos de Antonin Artaud (1896-1948) compilados por Rubens Corrêa (1931-1996) e Ivan de Albuquerque (1932-1991). No fim de 1980, Corrêa, em cena, e Albuquerque, na direção, estrearam no Teatro Ipanema o espetáculo Artaud, coletânea de textos do autor francês. Bem-sucedida, a peça ficou em cartaz três anos naquele palco e outros quatro viajando pelo país. Acrescido de um subtítulo, mas com o texto inteiramente preservado, o monólogo dramático ganha nova montagem estrelada por Marcos Fayad, que comemora 25 anos de sua Cia. Teatral Martim Cererê. O próprio Fayad responde também por direção, cenário, figurinos e músicas (60min). 16 anos. Galpão das Artes do Espaço Tom Jobim (100 lugares). Rua Jardim Botânico, 1008 (Jardim Botânico do Rio de Janeiro), Jardim Botânico, ☎ 2274-7012. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 40,00. Bilheteria: 14h/18h (ter. a qui.); a partir das 14h (sex. a dom.). Até 23 de setembro. Estreia prometida para sexta (3).

DONKA - UMA CARTA A TCHEKHOV, de Daniele Finzi Pasca. O espetáculo do autor e diretor ítalo-suíço estreou em 2010 em Moscou e já passou por países como Itália, França, Canadá, Austrália, México, Alemanha, Irlanda, Inglaterra, Espanha, Panamá e Uruguai. Em cena, palhaços, músicos e acrobatas usam a linguagem do circo para homenagear o escritor russo Anton Tchekhov. Duas brasileiras estão no elenco de oito atores: Helena Bittencourt e Beatriz Sayad (120min). Livre. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, 19, Centro, ☎ 2232-8701. Quinta (2) a sábado (4), 19h30; domingo (5), 18h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h (ter. a dom.); 14h/19h30 (seg.). Até 6 de agosto.

O FILHO DA MÃE, de Regiana Antonini. Autora do recente sucesso Doidas e Santas, com Cissa Guimarães, Regiana também estrelou a primeira montagem carioca desta comédia, em 2009. Na nova encenação, o papel da mãe fica a cargo de um ator, Eduardo Martini, que contracena com Bruno Lopes. O texto apresenta situações engraçadas vividas por mães e filhos. Na semana da estreia, excepcionalmente, a peça fica em cartaz de sexta a domingo. Depois, passa para as quartas e quintas. Direção de Eduardo Martini (90min). 12 anos. Teatro Vannucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea, 3º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2239-8545. Sexta (3) e sábado (4), 21h30; domingo (5), 20h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 14h30 (sex. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 29 de setembro. Estreia prometida para sexta (3).

GOZADOS, de Luís Salem. Amigos e companheiros de palco no bem-sucedido espetáculo Subversões (no qual contracenavam com Aloisio de Abreu), Salem e Stella Miranda estrelam a comédia. O texto segue a dinâmica do sucesso anterior, com esquetes bem-humorados em que a dupla encarna personagens reais, como a cantora Amy Winehouse, e figuras fictícias, como um comediante blasé. Versões debochadas de clássicos da música brasileira estão no repertório. De quarta (1º) a sábado (4), a peça é encenada em esquema de ensaio aberto, com ingressos mais baratos. A estreia para valer acontece no dia 8 de agosto. Direção de Stella Miranda (80min). 14 anos. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Quarta e quinta, 21h; sexta e sábado, 23h. R$ 50,00; R$ 40,00 nos ensaios abertos. Bilheteria: a partir das 15h (qua. a sáb.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 29 de setembro.

MEDEA EN PROMENADE, de Clara de Góes. Ana Bugarim, Francisco Taunay, Sura Berditchevsky e Vanessa Pasquale integram o elenco do drama. A atriz Guta Stresser, que já acumulava experiências de diretora em clipes da banda do marido, Nervoso e os Calmantes, e de uma montagem de Sonho de uma Noite de Verão em uma oficina do grupo Os F... Privilegiados, aqui faz sua estreia profissional no comando de uma peça. O texto é inspirado no tragédia grega Medeia, de Eurípedes, sobre a mulher que comete as maiores barbaridades para se vingar do marido (60min). 12 anos. Centro Cultural Justiça Federal (144 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Quarta e quinta, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. e qui.). Até 30 de agosto. Estreia prometida para quarta (1º).

MOSTRA HÍFEN DE PESQUISA-CENA. A convite de Daniela Amorim e Joelson Gusson, diretores artísticos da ocupação Projeto Entre do Espaço Sérgio Porto, Diogo Liberano, diretor artístico da companhia carioca Teatro Inominável, faz a curadoria da mostra. A seleção é formada por espetáculos curtos, todos encenados em um local inusitado: a Galeria Marcantonio Vilaça, espaço expositivo de artes plásticas no próprio Sérgio Porto. Na primeira semana, Analu Chaves, Clarice Lissovsky e Paula Durso encenam Ucrânia 3, drama de Cacá Ottoni, com direção de Bernardo Lorga (60min). 14 anos. Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto ? Galeria Marcantonio Vilaça (50 lugares). Rua Humaitá, 163, 2º andar, Humaitá, ☎ 2266-0896. → Sexta (3) e sábado (4), 19h; domingo (5), 18h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.).

NELSON RODRIGUES - 100 ANOS DO ANJO PORNOGRÁFICO. O centenário do autor é comemorado com uma série de dezessete montagens de seus textos, encenados por companhias de todo o Brasil. Na primeira semana, o Teatro Glauce Rocha recebe o drama A Mulher sem Pecado, com os mineiros do Instituto João Aires e direção de Kalluh Araújo, e a comédia Anti-Nelson Rodrigues, encenada pelo Grupo Teatral Experiência Subterrânea, de Santa Catarina, tendo André Carreira como diretor. Já no Teatro Dulcina serão montados o drama Vestido de Noiva, com Os Satyros, de São Paulo, dirigido por Rodolfo García Vázquez, e a farsa Viúva, Porém Honesta, com Pedro Vilela dirigindo o Grupo Magiluth, de Pernambuco. Teatro Dulcina (350 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879, ? Cinelândia. Vestido de Noiva. 90min. 16 anos. Quarta (1º) e quinta (2), 19h. Viúva, Porém Honesta. 90min. 18 anos. Sábado (4) e domingo (5), 19h. Teatro Glauce Rocha (278 lugares). Avenida Rio Branco, 179, Centro, ☎ 2220-0259, ? Carioca. A Mulher sem Pecado. 110min. 16 anos. Quarta (1º) e quinta (2), 19h. Anti-Nelson Rodrigues. 85min. 15 anos. Sábado (4) e domingo (5), 19h. R$ 5,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. a dom.).

OH, NELSON RODRIGUES, QUE ADORÁVEIS CRIATURAS!, de Neila Tavares. Baseada na vida e na obra de Nelson Rodrigues, a autora escreveu um texto montado em forma de concerto cênico. O próprio dramaturgo, vivido por Gilson Gomes, é o personagem principal e uma espécie de narrador do espetáculo. Ao longo da montagem, seus personagens vão aparecendo e contracenam com o autor. Um grupo de músicos escolta o elenco. Direção cênica de Wagner Brandi e direção musical de Rafael Bezerra (80min). Livre. Sala Baden Powell (500 lugares). Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, ☎ 2255-1067, ? Cardeal Arcoverde. Sexta e sábado, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Até 31 de agosto. Estreia prometida para sexta (3).

PARALELAMENTE, de Lisa E. Fávero e João Rodrigo Ostrower. Com encenação e texto inspirados na dinâmica da internet, cheia de recortes como se fossem hiperlinks, o drama mostra os desdobramentos de um encontro entre cinco amigos que não se veem há anos ? vividos por Cirillo Luna, Cynhtia Reis, Elio de Oliveira, Mariana Nunes e Monique Vaillé. A proposta é abordar como as novas tecnologias e a massificação da internet podem transformar as relações humanas. Direção dos autores (60min). 12 anos. Sede da Cia. dos Atores (60 lugares). Rua Manoel Carneiro, 12, Lapa, ☎ 2242-4176. Sábado a segunda, 20h. Grátis. Até 27 de agosto. Estreia prometida para sábado (4).

A PARTILHA, de Miguel Falabella. Um dos maiores êxitos teatrais da década de 90, a comédia dramática reuniu Susana Vieira, Arlete Salles, Thereza Piffer e Natália do Vale como quatro irmãs que se encontram no velório da mãe. A partir de uma discussão em torno da herança, elas passam suas vidas a limpo. O espetáculo tornou-se um fenômeno que permaneceu em cartaz por seis anos, foi visto por mais de 1?milhão de pessoas, ganhou continuação (A Vida Passa, com o mesmo elenco), foi montado em doze países e deu origem a um filme. Três quartos do elenco estão na nova montagem, que tem direção de Falabella ? escalada para a próxima novela de Glória Perez, Natália deu lugar a Patricya Travassos, que já a havia substituído por um curto período na temporada original (90min). 12 anos. Teatro Oi Casa Grande (926 lugares). Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon, ☎ 2511-0800. Quinta, 21h; sexta e sábado, 21h30; domingo, 19h. R$ 40,00 a R$ 120,00. Bilheteria: 15h/20h (ter. e qua.); a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: todos. Cd: todos. IC. Estac. no Shopping Leblon (R$ 4,00 por duas horas). Até 30 de setembro. Estreia prometida para sexta (3).

ZUMBI, de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri. Musical pioneiro, o espetáculo foi montado pela primeira vez em 1965 pelo Teatro de Arena ? daí o nome dado pela companhia na época, Arena Conta Zumbi. Com músicas de Edu Lobo, a montagem conta a história dos quilombolas de Palmares, liderados por Zumbi em sua revolta contra a dominação portuguesa. Direção de João das Neves e direção musical de Titane (90min). Livre. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro II (158 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 10h (qui. a dom.). Até 2 de setembro. Estreia prometida para quinta (2).

REESTREIAS

O BEIJO NO ASFALTO, de Nelson Rodrigues. Escrita sob encomenda de Fernanda Montenegro, a tragédia causou polêmica quando estreou, em julho de 1961, no Teatro Ginástico. Inspirado no episódio real de um repórter do jornal O Globo atropelado na Praça da Bandeira, que pediu o beijo de uma jovem minutos antes de morrer, Rodrigues reconta a história com uma boa pitada de pimenta. Na trama, a tal vítima do acidente pede um beijo ao jovem e ingênuo Arandir, casado com Selminha. Mas o jornalista da ficção, Amado Ribeiro, que presencia o atropelamento, escreve uma matéria sensacionalista com direito a manchete de primeira página, mostrando Arandir como um homossexual criminoso, que empurrou seu amante para a morte e, com remorso, o beijou. No elenco estão Augusto Garcia, Caetano O?maihlan, Fernanda Boechat, Giordano Becheleni, Letícia Cannavale, Mariah Rocha, Roberto Bomtempo, Thiago Mendonça, Van Loppes e Xando Graça. Direção de César Rodrigues (70min). 16 anos. Teatro Gláucio Gill (104 lugares). Praça Cardeal Arcoverde, s/nº, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sábado a segunda, 21h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 16h (sáb. a seg.). Até 27 de agosto. Reestreia prometida para sábado (4).

O CARA, de Miguel Thiré. Ator e ex-apresentador do programa TV Globinho, Paulo Mathias Jr. interpreta este monólogo cômico sobre a vida de um profissional de marketing viciado em trabalho. Ambicioso, o personagem Getúlio Batista encara o batente compulsivamente para se tornar o homem mais rico e poderoso do mundo antes dos 30 anos. Direção do autor (90min). Livre. Theatro Net Rio ? Sala Paulo Pontes (100 lugares). Rua Siqueira Campos, 143, 2º piso, Copacabana (Shopping dos Antiquários), ☎ 2147-8060, ? Siqueira Campos. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 60,00. Bilheteria: 10h/22h. Cc: D, M e V. Cd: todos. IR. Estac. (no shopping, Rua Figueiredo Magalhães, 598. R$ 10,00 a primeira hora, mais R$ 5,00 a fração). Até 2 de setembro. Reestreia prometida para quinta (2).

DECOTE, da Companhia Atores de Laura. Sucesso na recente mostra em homenagem aos vinte anos da trupe, a comédia de 1996 continua no mesmo teatro. Criação coletiva do grupo, o texto é inspirado no universo de Nelson Rodrigues. A trama se passa toda em um só dia, com cenas independentes, mas interligadas por uma grande final de campeonato entre Flamengo e Fluminense. Direção de Daniel Herz e Susanna Kruger (80min). 14 anos. Teatro Laura Alvim (245 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2015, ? General Osório. Quinta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 40,00. Bilheteria: 16h/21h (ter. a dom.). IC. Até 26 de agosto. Reestreia prometida para sábado (4).

DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS, de Jorge Amado, com adaptação de Pedro Vasconcelos e Marcelo Faria. Comédia. Em cartaz desde outubro de 2007, a peça já foi vista por mais de 600?000 pessoas em cerca de 150 cidades do Brasil. Fernanda Vasconcelos (no papel que já foi de Carol Castro e Fernanda Paes Leme em temporadas anteriores) encarna a jovem viúva que se casa com o sisudo médico Teodoro (Duda Ribeiro) e passa, então, a se dividir entre o amor comportado do atual marido e a paixão fogosa do falecido Vadinho (Marcelo Faria), um boêmio de mão-cheia que se recusa a deixar este mundo. Direção de Pedro Vasconcelos (110min). 16 anos. Imperator ? Centro Cultural João Nogueira (1?500 lugares). Rua Dias da Cruz, 170, Méier, ☎ 3259-1998. Quinta (2) a sábado (4), 21h; domingo (5), 19h30. R$ 40,00. Bilheteria: 14h/20h (ter. e qua.); a partir das 14h (qui. a dom.). Cc: M e V. Cd: R e V.

FORA DO NORMAL, de Fábio Porchat. Um dos integrantes do grupo Comédia em Pé, o ator, diretor e roteirista apresenta o espetáculo de humor focado em situações cotidianas e crítica política. Direção do autor (60min). 14 anos. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Azul (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 23h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até 22 de dezembro. Reestreia prometida para sexta (3).

INTERMEZZO, criação coletiva do Teatro de Anônimo. Esquetes de diversos espetáculos dos 25 anos da companhia são reunidos nesta comédia circense, estrelada por João Carlos Artigos, Maria Angélica Gomes, Regina Oliveira e Shirley Britto. Mágica, dança, equilibrismo e acrobacia ajudam a provocar risadas. Atenção: como a encenação é ao ar livre, em caso de chuva a sessão é cancelada. Direção coletiva do Teatro de Anônimo (60min). Livre. Largo do Machado, ? Largo do Machado. Sexta (3), 18h. Grátis.

OS MAMUTES, de Jô Bilac. Segunda montagem da Companhia Omondé, após a premiada Conchambranças de Quaderna, de Ariano Suassuna, esta comédia dramática contém um paralelo com o espelho de Alice (da obra de Lewis Carroll) e aborda a deformação do ser humano diante de uma sociedade consumista e deficiente. Com humor cáustico, a trama é narrada por Isadora (Débora Lamm), uma garota perversa e inteligente que inventa a história de Leon (Diogo Camargos). Ele é um rapaz honesto, que tenta conseguir trabalho na rede multinacional de lanchonetes Mamute?s Food, conhecida por fabricar hambúrgueres de carne humana. Porém, para ser contratado, Leon precisa abater um ?mamute?, isto é, uma pessoa sem caráter. Eis o dilema: ele desiste da vaga, por questões morais, ou se torna um caçador de gente? Completam o elenco Inez Viana, Carolina Pismel, Ricardo Souzedo, Luiz Antonio Fortes, Jefferson Schroeder, Iano Salomão, Zé Wendell, Junior Dantas e Juliane Bodini. Direção de Inez Viana (90min). 18 anos. Teatro Café Pequeno (100 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, ☎ 2294-4480. Sexta a domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a dom.). TT. Até 26 de agosto. Reestreia prometida para sexta (3).

MÃO NA LUVA, de Oduvaldo Vianna Filho. A montagem da peça de 1966 é a segunda de um projeto da atriz Marta Paret, que propõe levar textos brasileiros a espaços não convencionais. O local escolhido foi o porão da Casa de Cultura Laura Alvim, onde também está em cartaz outro espetáculo da mesma série, Navalha na Carne, de Plínio Marcos. O terceiro, Grito Parado no Ar, de Gianfrancesco Guarnieri, ainda não tem data de reestreia. Neste drama, Marta vive a artista plástica Silvia e Isaac Bernat interpreta o jornalista Lúcio Paulo. Para encerrar uma união que já dura nove anos, o casal tem uma última conversa. Direção de Rubens Camelo (68min). 14 anos. Casa de Cultura Laura Alvim ? Porão (70 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2016. Quarta e quinta, 21h30. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 16h (qua. e qui.). Até 30 de agosto. Reestreia prometida para quarta (1º).

UMA NOITE NA LUA, de João Falcão. Um dos mais bem-sucedidos trabalhos do dramaturgo e diretor pernambucano, o monólogo cômico foi montado somente uma vez em 1998, com Marco Nanini. O autor foi premiado com estatuetas do Shell e da APCA e o ator levou os troféus Mambembe e Sharp. Na remontagem, Gregório Duvivier interpreta o papel do escritor que tenta concluir uma peça sobre um homem solitário. No palco, o protagonista elabora a trajetória de seu personagem que vive atormentado pelas recordações de sua ex-mulher, Berenice. Direção do autor (70min). Livre. Teatro do Jockey (150 lugares). Rua Mario Ribeiro, 410, Gávea, ☎ 3114-1286. → Quinta a domingo, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. e sex.); a partir das 14h (sáb. e dom.). Estac. (R$ 4,00 por uma hora, mais R$ 3,00 a fração). Até 9 de setembro. Reestreia prometida para sexta (3).

OBSESSÃO, de Carla Faour. Comédia dramática que explora as sutilezas do universo feminino e tem como tema central a rivalidade entre duas mulheres. No palco, Carla e Ana Baird representam os papéis de Marina e Lívia, respectivamente. Íntimas na adolescência, elas rompem a amizade quando a primeira rouba o namorado da segunda, Marcelo (Antonio Fragoso). A história rocambolesca e sem cronologia linear é cheia de reviravoltas. Completam o elenco Daniel Belmonte, como o adolescente Leo ? filho de Marina e Marcelo ?, e Celso Tadde, que representa Arthur, o namorado de Lívia, viciado em jogo. Direção de Henrique Tavares (80min). 14 anos. Teatro Fashion Mall ? Sala 2 (296 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (sex. e dom.) e R$ 70,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até 30 de setembro. Reestreia prometida para sexta (3).

SOBRE MENTIRAS E SEGREDOS, de Ribamar Ribeiro, baseado na obra de Nelson Rodrigues. Um dos maiores sucessos da Ciclomáticos Companhia de Teatro, este drama de 2006 é o primeiro espetáculo montado pela trupe para a chamada Trilogia dos Indesejáveis. Na história, Alice, 14 anos, vai ao ginecologista por ordem do pai, Dr. Ismael. Sabe-se, então, que Alice vai ser mãe, e o caos se instaura na família. Como se não bastasse, o patriarca acha que o culpado pela gravidez é um dos seus genros. Direção do autor (65min). 14 anos. Teatro Ziembinski (132 lugares). Rua Heitor Beltrão, s/nº, Tijuca, ☎ 2254-5399, ? São Francisco Xavier. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 26 de agosto. Reestreia prometida para sábado (4).

TODA NUDEZ SERÁ CASTIGADA, de Nelson Rodrigues. Sucesso do repertório da Armazém Companhia de Teatro, a tragédia conquistou o Prêmio Shell de 2005 nas categorias direção, para Paulo de Moraes, e iluminação, para Maneco Quinderé. Patrícia Selonk vive Geni, a prostituta suicida cuja história com o viúvo Herculano (Ricardo Martins) é contada em flashback. Teatro Sesc Ginástico (513 lugares). Avenida Graça Aranha, 187, Centro, ☎ 2279-4027. → Quinta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 13h (qui. a dom.). Até 19 de agosto. Reestreia prometida para quinta (2).

ÚLTIMA SEMANA

BANDEIRA DE RETALHOS, de Sérgio Ricardo. Dez anos após montar o espetáculo Noites do Vidigal, o Grupo Nós do Morro volta a retratar o lugar onde está sediado neste musical. Um elenco de 21 atores, formados nas oficinas da trupe, encena a peça escrita em 1979 pelo compositor Sérgio Ricardo, também autor das canções apresentadas. Ambientada na década de 70, a trama explora o momento em que o clima ameno que envolvia o morro foi quebrado pela violência e pela tentativa de remoção. Direção de Guti Fraga e Fátima Domingues (105min). 18 anos. Estreou em 30/6/2012. Teatro Maria Clara Machado ? Planetário da Gávea (128 lugares). Rua Padre Leonel Franca, 240, Gávea, ☎ 2274-7722. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (5).

HISTÓRIAS DE FAMÍLIA, de Biljana Srbljanovic. Nova montagem da companhia carioca Amok Teatro, o drama da autora sérvia, inédito por aqui, encerra a Trilogia da Guerra, iniciada pelo grupo com O Dragão (2008), sobre o conflito no Oriente Médio, e seguida por Kabul (2010), baseada na ofensiva militar no Afeganistão. Em cena, os atores Bruce Araujo, Christiane Góis, Rosana Barros e Stephane Brodt apresentam a história ambientada nas ruínas de uma cidade iugoslava destruída por batalhas. Quatro personagens fingem integrar uma família, reproduzindo o comportamento delirante de adultos desorientados. Direção e adaptação de Ana Teixeira e Stephane Brodt (90min). 16 anos. Estreou em 13/6/2012. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro III (45 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quarta a domingo, 19h30. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Até domingo (5).

✪✪✪ SONHOS PARA VESTIR, de Sara Antunes. Durante uma viagem à Bahia, a autora se flagrou pensando sobre a razão pela qual as pessoas fazem escolhas que não correspondem às suas expectativas na vida. Esse questionamento inspira o monólogo dramático sobre a noite de uma mulher insone (a própria Sara Antunes). Cabe à plateia tentar desvendar se a personagem do monólogo está às voltas com sonhos ou acordada, envolvida em devaneios. Música ao vivo e uma instalação criada pela artista plástica Analu Prestes integram a montagem. Direção de Vera Holtz (50min). 12 anos. Estreou em 26/11/2010. Centro Cultural Parque das Ruínas (65 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2252-1039. Sábado e domingo, 19h. R$ 5,00. Bilheteria: a partir das 18h (sáb. e dom.). Até domingo (5).

O TREM, O VAGÃO E A MOÇA DE LUVAS, de Xico Abreu. Drama multimídia ? com sofisticadas projeções nos cenários. Na trama, Ana (Flávia Pyramo) é uma solitária trabalhadora que, diante de uma notificação de baixa produtividade, teme ficar desempregada. Após dupla jornada de trabalho, pega o último trem da noite e é abordada no vagão por Ernesto (Babú Santana), um estranho que tenta puxar conversa. Nesse momento, ela tem uma explosão emocional e desabafa. Direção de Renato Rocha (70min). 16 anos. Estreou em 22/6/2012. Teatro Serrador (350 lugares). Rua Senador Dantas, 13, Cinelândia, ☎ 2220-5033, ? Cinelândia. Quarta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 11h/19h (seg. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). Até domingo (5).

Fonte: VEJA RIO