DIVERSÃO

Fique ligado

Dezesseis peças interrompem suas temporadas para o período de Carnaval e outras dez saem de cartaz em definitivo neste domingo. Em Exposições, duas mostras chegam e outras duas se despedem da cidade. Não perca!

- Atualizado em

TEATRO

Claudia no papel da diva de Hollywood: as contradições de ser uma estrela
(Foto: Redação Veja rio)

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ ABALOU BANGU 2 ? A FESTA, de Flavio Marinho. Continuação da comédia sobre o casal Maria Elvira e Maurício Otavio, que fez sucesso em 2003. Cristina Pereira e Paulo Goulart dão vida aos pais de família que se mudaram para Copacabana e estão prestes a comemorar quarenta anos de casados. Eles trocaram a tranquilidade de Bangu pelo agitado bairro da Zona Sul por insistência do filho Felipe, mas este se mudou para a Barra assim que se casou. No dia da tal festa no apartamento, os convidados dão desculpas esfarrapadas para não comparecer. Os únicos que honram o compromisso são os vizinhos gays Carlos (Renato Rabello, que substituiu Cláudio Galvan) e Sílvio (Luciano Borges). Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 10/9/2011. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Azul (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 70,00 (sex. e dom.) e R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até dia 26. Interrompe a temporada no domingo (12).

✪✪ OS ALTRUÍSTAS, de Nicky Silver. Em sua primeira montagem nacional, a tragicomédia não repete o êxito de Pterodátilos, assinada pelo mesmo dramaturgo americano. Produtora e protagonista do espetáculo, Mariana Ximenes dá vida a Sydney, uma famosa estrela da TV americana. Excêntrica e doidivanas, a diva sustenta um bando de jovens engajados em causas sociais que são amigos de seu namorado, Tony (Miguel Thiré). Após acreditar ter assassinado seu amado enquanto ele dormia, Sydney pede ajuda ao irmão, o assistente social e homossexual assumido Ronald (muito bem interpretado por Kiko Mascarenhas). Mais centrado, ele esclarece o crime, enquanto nutre uma paixão pelo garoto de programa Lance (Jonathan Haagensen). Apesar da criativa direção de Guilherme Weber e do bom rendimento do elenco, a trama sem pé nem cabeça não empolga (100min). 18 anos. Estreou em 13/1/2012. Espaço Tom Jobim (300 lugares). Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, ☎ 2274-7012. Sexta e sábado, 20h30; domingo, 20h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Estac. grátis. Até dia 26. Interrompe a temporada no domingo (12).

AMORZINHO, UM CONTO DE TCHE­KHOV, de Anton Tchekhov. O elenco, formado por Lourival Prudêncio, Raquel Iantas e Sávio Moll, sobe ao palco para interpretar os treze personagens que contam a história de Olenka, uma mulher para quem a vida só ganha sentido quando ela está amando alguém. A comédia dramática narra um longo período da existência da protagonista, passando por seus dois casamentos e pela viuvez, além de abordar o envolvimento com um terceiro homem. Direção de Orã Figueiredo (60min). 10 anos. Estreou em 4/8/2011. Teatro do Jockey (100 lugares). Rua Mario Ribeiro, 410, Gávea, ☎ 3114-1286. Sexta a domingo, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Estac. grátis. Até 4 de março. Interrompe a temporada no domingo (12).

O BOM CANÁRIO, de Zach Helm. A comédia do roteirista e dramaturgo americano ganha tradução de Mauro Lima. No palco, Flávia Zillo, Joelson Medeiros, Érico Brás, Leandro Castilho, Marcos Acher, Roberto Lobo e Sara Freitas encenam a história de Jack, um romancista apaixonado pela esposa, Annie. Instável emocionalmente, a mulher, viciada em anfetaminas, faz com que ele se esforce diariamente para mantê-la viva. O escritor acaba passando para as páginas o seu drama pessoal e o livro torna-se um sucesso. Direção de Rafaella Amado e Leonardo Netto (100min). 16 anos. Estreou em 12/1/2012. Teatro Poeira (130 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 50,00. Bi­lhe­teria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Até 4 de março. Interrompe a temporada no domingo (12).

CABARÉ LEBRÃO, de Rodrigo Murat. Ambientada no Leblon, a comédia dramática conta a história do casal Eusébio e Júlia Lebre, dos anos 40 aos dias atuais. Ao longo desse período, os protagonistas presenciam as metamorfoses ocorridas naquele pedaço da cidade: as obras de urbanização no canal do Jardim de Alah, a destruição da Favela do Pinto, o surgimento do Baixo Leblon e a transformação de calçadas e areias do bairro em campo de atuação dos paparazzi. Toda a ação se passa na residência da família Lebre, que oferece saraus semanais a artistas, intelectuais e políticos. Nos intervalos da cantoria, os convidados discutem, entre outros assuntos, as repercussões do golpe de 1964 e da guerrilha do Araguaia. Direção de Paulo Reis (90min). 18 anos. Teatro Café Pequeno (100 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, ☎ 2294-4480. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a dom.). TT. Até domingo (12).

AS CRIADAS, de Jean Genet. Escrito pelo dramaturgo francês em 1946, o drama ganha releitura da Companhia O Cortejo. Em cena, as atrizes Ângela Câmara, Joana Cabral e Sabrina Fortes interpretam a trama, que se passa à noite, durante a ausência da patroa, quando duas irmãs que são empregadas da casa brincam de representar personagens que elas conhecem. Uma faz o papel de madame enquanto a outra dá vida à criada. Dentro desse jogo elas demonstram sua frustração com a condição em que vivem. Direção de Edson Zille (80min). 14 anos. Estreou em 14/1/2012. Teatro Gláucio Gill ? Café (30 lugares). Praça Cardeal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sábado e domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 16h (sáb. e dom.). Até domingo (12).

CRIADOS EM CATIVEIRO, de Nicky Silver. A comédia dramática mostra personagens em situações quase absurdas e diálogos insólitos, sempre com o humor cáustico característico do americano Silver ? mesmo autor de Pterodátilos, sucesso com Marco Nanini em 2010. Christiana Guinle interpreta Bernadette, moça perturbada que cogita virar alcoólatra. Detalhe: ela e o irmão gêmeo são fruto de um estupro. Ele, Frederico (Alcemar Vieira), mantém contato, por meio de correspondência, com um único ser humano, um assassino preso (Alonso Zerbinato). Entram na trama ainda Denise Manttuano, na pele de uma psicóloga cujo objetivo é se purificar perante Deus; o marido de Bernadette, Kip (Marcio Vito), um artista que acabou se tornando dentista; e Roger (também interpretado por Alonso Zerbinato), um garoto de programa que se envolve com Frederico. Cada tipo, todos eles de alguma maneira relacionados, tem sua particularidade revelada ao longo da narrativa. Direção de Jefferson Miranda (150min). 18 anos. Oi Futuro Flamengo (60 lugares). Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 11h (qui. a dom.). Até dia 23. Interrompe a temporada no domingo (12).

✪✪ OS DATILÓGRAFOS, de Murray Schisgal. Consequências de trabalhos repetitivos e alienantes, que levam o ser humano a uma existência banal, são o tema da comédia do dramaturgo americano, um dos roteiristas do longa-metragem Tootsie. No palco, Paula Campos e Henrique Manoel Pinho representam os colegas de escritório Sílvia e Darson, encarregados de cuidar da mala direta da empresa. Embora ela sonhe com um bom casamento e a conquista da estabilidade financeira, e ele, que já tem família, pense em largar tudo e viajar pelo mundo, nenhum dos dois consegue se livrar das garras da burocracia. Direção de Celso Nunes (80min). 12 anos. Estreou em 6/1/2012. Solar de Botafogo (180 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2543-5411. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h30. R$ 40,00. Bilheteria: 15h/21h (ter. a qui.); a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Até domingo (12).

✪✪✪✪ DEUS DA CARNIFICINA, UMA COMÉDIA SEM JUÍZO, de Yasmina Reza, com tradução de Eloisa Ribeiro. Comédia. Deborah Evelyn, Paulo Betti, Julia Lemmertz e Orã Figueiredo encenam a versão brasileira desse bem-sucedido texto da dramaturga francesa. No palco é apresentada a história de dois casais maduros que se encontram para resolver um incidente envolvendo seus filhos pequenos: um deles quebrou dois dentes do outro numa briga. Em dado momento, rompe-se o verniz social que faz a blindagem dos adultos contra a selvageria, e a polidez dá lugar a reações nada civilizadas. Direção de Emílio de Mello (75min). 14 anos. Estreou em 2/9/2010. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui.), R$ 60,00 (sex. e dom.) e R$ 70,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 25 de março. Interrompe a temporada no domingo (12).

✪✪ DISNEY KILLER, de Philip Ridley. Traduzido do original The Pitchfork Disney pelo diretor Darson Ribeiro, o drama do autor inglês ganha a primeira montagem no Brasil. A trama fantasmagórica com pitadas de surrealismo trata da história dos gêmeos Presley e Haley Stray (Ribeiro e Samantha Dalsoglio), que sobrevivem à base de chocolate e soníferos e sofrem com pesadelos repletos de violência e luxúria. A tênue estabilidade da casa em ruínas onde vivem os irmãos é rompida pela chegada do demoníaco Cosmo Disney (Felipe Folgosi), protegido por seu capanga mascarado Pitchfork Cavalier (Alexandre Tigano). Instigante, mas verborrágico, o espetáculo ganharia muito com um texto mais enxuto. Direção de Darson Ribeiro (100min). 16 anos. Estreou em 6/1/2012. Espaço Cultural Sérgio Porto (100 lugares). Rua Visconde Silva, s/nº, Humaitá, ☎ 2535-3846. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 17h (sex. a dom.). Até domingo (12).

✪✪✪ DOIDAS E SANTAS, de Regiana Antonini, inspirada no livro homônimo de Martha Medeiros. A comédia romântica aborda a vida da psicanalista Beatriz (Cissa Guimarães), de seu marido, Orlando (Giusep­pe Oristânio), e da filha adolescente, Marina (Josie Antello, que encarna ainda o papel da tia Berenice e o da avó Elda). Após vinte anos, o casamento acaba. A mulher, agora independente, se lança no mundo e engata um romance com um jovem. Depois de curtir adoidado, Beatriz é procurada por Orlando e muda seus planos. Direção de Ernesto Picco­lo (95min). 12 anos. Estreou em 1º/5/2010. Teatro Vannucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea, 3º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2239-8545. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.), R$ 80,00 (sáb.) e R$ 70,00 (dom.). Bilheteria: a partir das 14h30 (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 30 de abril. Interrompe a temporada no domingo (12).

DOUTOR ? COMO ENLOUQUECER UM MÉDICO EM UM DIA, de Yuri Gofman. Nessa comédia, Rosane Gofman divide o palco com o filho Yuri. Ela interpreta a doutora Consuelo, médica que está no último plantão de sua carreira de trinta anos e aguarda ansiosamente pela aposentadoria. O rapaz interpreta vários pacientes que surgem para atendimento no hospital e infernizam o seu derradeiro dia de trabalho. Direção do autor (60min). 14 anos. Estreou em 3/2/2012. Teatro Clara Nunes (527 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9696. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 14h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 1º de abril. Interrompe a temporada no domingo (12).

✪✪✪✪ EMILINHA E MARLENE ? AS RAINHAS DO RÁDIO, de Julio Fischer e Thereza Falcão. O musical conta a trajetória de sucessos, a partir de 1949, da cantora carioca Emilinha Borba (1923-2005) e da rival paulistana Marlene, de 87 anos, interpretadas pelas atrizes Vanessa Gerbelli e Solange Badin, respectivamente. Com mais de cinquenta músicas executadas ao vivo, o espetáculo revisita sucessos e dificuldades das duas artistas, que inspiraram numerosos fã-clubes. Completam o elenco Stella Maria Rodrigues, Ângela Rebello, Rosa Douat, Cristiano Gualda, Luiz Nicolau, Ettore Zuim, Mona Vilardo e Cilene Guedes, acompanhados dos músicos Affonso Neto (bateria), Clay Protásio (baixo), Jonas Corrêa (trombone), Eduardo Santana (trompete) e Gabriel Gabriel (saxofone). Direção cênica de Antonio de Bonis e direção musical de Marcelo Alonso Neves (150min, com intervalo). Livre. Estreou em 4/8/2011. Teatro Maison de France (352 lugares). Avenida Presidente Antônio Carlos, 58, Centro, ☎ 2544-2533. Quinta e sexta, 19h30; sábado, 20h30; domingo, 18h30. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 80,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. c/manobr. (R$ 10,00). Até 11 de março. Interrompe a temporada no domingo (12).

✪✪✪ O INCRÍVEL SEGREDO DA MULHER-MACACO, de Saulo Sisnando. Nova comédia da Cia. Os Surtados, a mesma trupe do sucesso Surto. No palco, os atores Wendell Bendelack e Rodrigo Fagundes interpretam seis personagens cheios de segredos. A trama nonsense inclui uma heroína preocupada com os preparativos de seu casamento, um noivo milionário, uma cruel criada, um desconhecido em busca de abrigo, uma matriarca paralítica e uma atriz de cinema de identidade falsa. Direção do autor (80min). 12 anos. Estreou em 6/8/2011. Teatro Candido Mendes (133 lugares). Rua Joana Angélica, 63, Ipanema, ☎ 2267-7295. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Até 15 de abril. Interrompe a temporada no domingo (12).

✪✪✪✪ JUDY GARLAND ? O FIM DO ARCO-ÍRIS, de Peter Quilter, com versão de Claudio Botelho. O musical reconstitui a última turnê da atriz, seis meses antes de sua morte por overdose, aos 47 anos. Entre o quarto de hotel e o palco de uma boate, o cenário sóbrio de Rogério Falcão abriga momentos de bom humor, fragilidades, crises de abstinência, brigas e surtos da diva, na interpretação irretocável de Claudia Netto. Ela divide o palco com apenas dois atores: Igor Rickli (o Berger de Hair), na pele de Mickey Deans, o último marido de Judy Garland, e Gracindo Júnior, como Anthony, um personagem fictício, pianista da artista e seu mais íntimo amigo. Completam a formação seis instrumentistas que a acompanham em emocionantes temas entoados em inglês, a exemplo de How Insensitive (versão para Insensatez, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes), For Once in My Life e a clássica Over the Rainbow, reservada para o desfecho emocionante. Direção de Charles Möeller (120min, com intervalo). 14 anos. Teatro Fashion Mall ? Sala 1 (474 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Quinta, 18h; sexta, 21h30; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 80,00 (qui. e sex.) e R$ 100,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 5,00 por duas horas). Até 25 de março. Interrompe a temporada no domingo (12).

✪✪✪ AS MIMOSAS DA PRAÇA TIRADENTES, de Gustavo Gasparani e Eduardo Rieche. Criado nos moldes de A Gaiola das Loucas, o musical cômico conta histórias da Praça Tiradentes no decorrer de mais de um século, mesclando vida boêmia e efervescência cultural. Pelo lugar, que já foi chamado de Rossio Grande, Campo dos Ciganos, Campo do Polé e Praça da Constituição, flanaram nomes como Chiquinha Gonzaga, Bidu Sayão, Machado de Assis, dom Pedro I, José Bonifácio, Tiradentes, Oscarito, Grande Otelo, João Caetano, Pixinguinha, Custódio Mesquita e Ary Barroso. Acompanhados dos instrumentistas Nando Duarte (violão e guitarra), Itamar Assiere (piano), Pedro Mangia (baixo), Carlos César (bateria) e Dado (sopros), os atores Cláudio Tovar, César Augusto, Gustavo Gasparani, Marya Bravo e Milton Filho, nomes tarimbados de outros musicais, interpretam as drags Lola, Samantha Overbook, Vanilla Cherry, Divina Rúbia e Catula de Montecarlo. Jonas Hammar dá vida ao malandro Miguelito Cigano. Direção de Gustavo Gasparani e Sergio Módena (110min). 12 anos. Estreou em 14/1/2012. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, 19, Centro, ☎ 2232-8701. Quinta a domingo, 19h30. R$ 17,50 a R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 11h (qui. e sex.); a partir das 14h (sáb. e dom.). IC. Até 25 de março. Interrompe a temporada no domingo (12).

✪✪✪ MULHERES SONHARAM CAVALOS, de Daniel Veronese. Primeira montagem no Rio do premiado texto do dramaturgo argentino. O drama tem tradução da atriz e produtora teatral Letícia Isnard. Ela também sobe ao palco, juntamente com Ana Barroso, Elisa Pinheiro, Isaac Bernat, José Karini e Saulo Rodrigues, para encenar o enredo de três irmãos com suas respectivas esposas e os ressentimentos, desconfianças, segredos e desejos reprimidos em torno dessa família. O que desencadeia o conflito é o encerramento de um negócio familiar, a cargo de um dos irmãos. Logo que o fato é comunicado a todos, surgem revelações devastadoras que desestruturam completamente o clã e conduzem a um inesperado final. Direção de Ivan Sugahara (90min). 14 anos. Estreou em 5/11/2011. Teatro Poeirinha (60 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Até 26 de fevereiro. Interrompe a temporada no domingo (12).

MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS, de Rafael Gomes. Drama de estreia do cineasta ? diretor do curta Tapa na Pantera, com Maria Alice Vergueiro, e de clipes de Zélia Duncan e Arnaldo Antunes ?, a produção já cumpriu temporada em São Paulo, onde conquistou o Prêmio APCA 2010 de melhor espetáculo jovem. O elenco formado por Fábio Lucindo, Mayara Constantino e Victor Mendes (além do substituto Guilherme Gorski) interpreta três personagens na faixa dos 20 anos: Felipe, Isabela e Ricardo. Dividida em dez cenas curtas, a montagem é encenada no formato de monólogos intercalados, em que cada um discorre sobre sentimentos referentes a amor, paixão, perda, desejo e desilusão. Direção do autor (70min). 14 anos. Estreou em 2/2/2012. Espaço Sesc ? Mezanino (90 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até domingo (12).

✪✪✪ NÃO ME DIGA ADEUS, de Juliano Marciano. Indicado ao Prêmio Shell de melhor música e vencedor da quarta edição do concurso Seleção Brasil em Cena, o melodrama está na segunda temporada, após passar pelo Centro Cultural Banco do Brasil. Na montagem, João Euclides (interpretado por Nelson Yabeta e, na fase adulta, por Rafael Ferrão) conta sua história de amor por Luiza (Nina Reis). É ouvido pela Morte (Diego Araújo), em seu encalço depois de saber que ele pretende se suicidar. Sob direção de Gilberto Gawronski, que também assina o cenário kitsch, os atores defendem um espetáculo leve e muito bem-humorado, temperado por hits românticos da lavra de, entre outros, Leandro e Leonardo. Direção de Gilberto Gawronski (70min). 14 anos. Estreou em 10/11/2011. Teatro Ziembinski (132 lugares), Rua Heitor Beltrão, s/nº, Tijuca, ☎ 3234-2003, ? São Francisco Xavier. → Sábado e domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 19h (sáb. e dom.). Até domingo (12).

✪✪✪ NOVECENTOS, de Alessandro Baricco. Interpretado por Isio Ghelman, o monólogo dramático conta a história de um exímio pianista de 32 anos que jamais pisou em terra firme. Na fábula, cujo título é o sobrenome criado para o protagonista, um bebê recém-nascido é abandonado dentro de uma caixa de papelão sobre um piano de cauda do navio Virginian, em 1900. O marinheiro que encontra o menino resolve adotá-lo e batizá-lo de Danny Boodmann Novecentos. Direção de Victor Garcia Peralta (60min). Livre. Estreou em 18/6/2011. Teatro do Leblon ? Sala Tônia Carrero (200 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui. e sex.); R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até dia 26. Interrompe a temporada no domingo (12).

PALETÓ DE LAMÊ ? OS GRANDES SUCESSOS (DOS OUTROS), de Sergio Módena. Comédia musicada em que os atores e cantores Erika Riba e Robson Camilo traçam um perfil da década de 70 recorrendo a clássicos do brega. No repertório entram pérolas como Vou Tirar Você Desse Lugar (Odair José) e Sorria, Sorria (Evaldo Braga e Carmen Lúcia). Assim como na temporada anterior, estão previstas canjas de convidados, como os integrantes do bloco Exalta Rei, Evandro Mesquita, Leo Jaime, Tânia Alves, Eugênio Dale, Zéu Britto, Rodrigo Faour, Cláudia Ventura e Suely Mesquita. Direção-geral do autor e de Gustavo Wabner, direção musical de Gabriel Mesquita (70min). Livre. Estreou em 5/1/2011. Sala Baden Powell (508 lugares). Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, ☎ 2548-0421. Sexta a domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: 15h/18h (ter. a qui.); a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (12).

A PROPÓSITO DE SENHORITA JÚLIA, de August Strindberg. A mais relevante obra do sueco Strindberg (1849-1912), o drama ganha remontagem com elementos da peça After Miss Julie, releitura do inglês Patrick Marber, que transpôs a ação do fim do século XIX para a década de 40. No espetáculo adaptado pelo escritor José Almino, a trama começa em um churrasco comemorativo da eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002. Alessandra Negrini e Armando Babaioff dão vida à protagonista Júlia e a Moacir. Ela é filha de um rico empresário e deputado e ele, o motorista do pai dela. O amor impossível e intenso não resiste ao abismo social que os separa, evoluindo para uma relação com sentimentos contraditórios e culminando em um fim trágico. Direção de Walter Lima Jr. (90min). 14 anos. Estreou em 13/1/2012. Caixa Cultural ? Teatro Nelson Rodrigues (388 lugares). Avenida República do Chile, 230, Centro, ☎ 2262-5483. ? Carioca. → Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: 13h/20h (ter. a sex.); 15h/20h (sáb. e dom.). Até domingo (12).

AS REGRAS DA ARTE DE BEM VIVER NA SOCIEDADE MODERNA, de Jean-Luc Lagarge. Monólogo cômico da última fase do dramaturgo francês Lagarge (1956-1995), cuja obra contundente costumava abordar os conflitos pessoais e relações difíceis. Neste espetáculo, a atriz Lorena da Silva dá vida a uma senhora que passa orientações a respeito de como os indivíduos devem se comportar em determinadas situações sociais: nascimento, batismo, casamento, bodas de prata e funeral. A graça vem das regras absurdas que a protagonista sugere. Direção de Miguel Vellinho (60min). 10 anos. Estreou em 5/7/2011. Casa de Cultura Laura Alvim ? Espaço Rogério Cardoso (70 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2015, ? General Osório. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: 16h/21h (ter. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). IC. Até 4 de março. Interrompe a temporada no domingo (12).

SUSUNÉ ? CONTOS DE MULHERES NEGRAS, de Amalia Lú Posso Figueroa. Monólogo dramático apresentado por Carolina Virguez, atriz colombiana radicada no Rio há três décadas. O texto foi adaptado por Emanuel Aragão de contos do livro Vean Vé, Mis Nanas Negras, da autora colombiana Amalia Lú Posso Figueroa, que reúne histórias de babás negras. Direção de Antônio Karnewale (60min). 14 anos. Estreou em 8/11/2011. Centro Cultural Justiça Federal (142 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550. ? Cinelândia. → Quinta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até domingo (12).

VIDA É O QUÊ?, de Veronica Diaz. Ambientada em Copacabana, a comédia dramática aborda a solidão nas grandes cidades e tem como ponto de partida uma tentativa de suicídio. Ângela Câmara e Alexandre David interpretam os personagens Maurineide e Rikardo, que moram em edifícios vizinhos, ambos no 15º andar. Ela é uma moça vinda do interior e ele, um estagiário de engenharia. Os dois se aproximam quando a mulher ameaça pular da janela e o rapaz consegue demovê-la da ideia. Com estilos de vida distintos, os novos amigos acabam se entendendo no decorrer dos diálogos recheados de críticas à sociedade de consumo. Direção da autora, com supervisão de Enrique Diaz (60min). 14 anos. Estreou em 13/1/2012. Teatro Maria Clara Machado ? Planetário da Gávea (128 lugares). Rua Padre Leonel França, 240, Gávea, ☎ 2274-7722. Sexta a domingo, 21h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (12).

✪✪✪ A VINGANÇA DO ESPELHO: A HISTÓRIA DE ZEZÉ MACEDO, de Flavio Marinho. Leia em Veja Rio Recomenda (pág. 4). Direção de Amir Haddad (80min). 12 anos. Estreou em 26/1/2012. Teatro Laura Alvim (245 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2015, ? General Osório. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 10,00. Bilheteria: 16h/21h (ter. a sex.); a partir das 15h (sáb. e dom.). IC. Até dia 26. Interrompe a temporada no domingo (12).

EXPOSIÇÕES

ESTREIAS

MARCELO JÁCOME ? MARTIN HOLZMEISTER & PEDRO PAGY ? O MEU RIO FOTOGRÁFICO. As três mostras com trabalhos de jovens artistas abrem a temporada 2012 do Largo das Artes. Em sua primeira individual, 001, o carioca Marcelo Jácome exibirá colagens de papel sobre madeira, objetos e uma instalação com 150 pipas coloridas. Também do Rio, Martin Holzmeister e Pedro Pagy apresentarão a instalação audiovisual Hypernova, inaugurando uma nova frente de atuação para a galeria ? a partir de agora aberta a criações que mesclam arte e tecnologia. Por fim, a coletiva O Meu Rio Fotográfico reunirá 34 imagens produzidas por alunos da Brazil Foundation que frequentaram cursos de fotografia promovidos pela instituição nas localidades da Providência, Prazeres, Fogueteiro, Chapéu Mangueira e Babilônia. Largo das Artes. Rua Luís de Camões, 2, Largo de São Francisco, Centro, ☎ 2224-2985, ? Uruguaiana. Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, 12h às 17h. Grátis. Até 3 de março. A partir de terça (7).

PEDRO VARELA. Fluminense de Niterói, 30 anos, Varela desenvolve desde 2005 a série Paisagens Flutuantes. Empregando materiais diversos como canetas esferográficas, adesivos de vinil e papel, ele constrói imagens de cidades com formas lúdicas e coloridas. Desta vez, na mostra Tropical, apresentará três óleos sobre tela em grandes formatos, pintados com variadas tonalidades de tinta azul, abrindo a segunda edição do Projeto Foyer. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. Grátis. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até 22 de abril. A partir de sábado (11). www.mamrio.com.br.

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ FRANZ WEISSMANN. Mostra com cinquenta obras do artista nascido na Áustria (1911-2005), um dos maiores nomes das artes plásticas no Brasil. Na retrospectiva A Síntese e a Lírica Construtiva, montada com curadoria de Marcus de Lontra Costa, sobressaem criações monumentais, como Arapuca, de 6 metros de altura, apresentada na Bienal de São Paulo de 1967, e duas imensas composições alaranjadas exibidas na XI Bienal de Escultura ao Ar Livre, na cidade belga de Antuérpia, em 1971. Centro de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Praça Tiradentes, ☎ 2242-1012, ? Presidente Vargas. → Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até domingo (12).

✪✪✪✪ 1911-2011 ? ARTE BRASILEIRA E DEPOIS, NA COLEÇÃO ITAÚ. Criada há mais de seis décadas pelo banqueiro Olavo Setúbal (1923-2008), a Coleção Itaú reúne atualmente cerca de 12?000 peças. Só de arte brasileira são 3?600 obras, que abrangem épocas e movimentos diversos. Uma nova parte desse rico acervo pode ser vista no Paço. São 186 pinturas, esculturas e instalações selecionadas por Teixeira Coelho, diretor do Museu de Arte de São Paulo (Masp). Dividido em seis módulos sequenciais, o percurso começa pelo setor A Marca Humana, que dá ênfase ao figurativismo e remete aos primórdios do modernismo no Brasil, com exemplares como A Pequena Aldeã, de Lasar Segall. Também integra essa seção a série completa de estudos de Portinari para o painel Ciclo Econômico, de 1938. O visitante ainda encontra, entre outros trabalhos, o experimentalismo de Paulo Bruscky, além de provocativas criações dos amigos Lygia Clark e Hélio Oiticica e dos multimídia Julio Plaza e Letícia Parente. Paço Imperial. Praça Quinze de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2622. → Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até domingo (12). www.pacoimperial.com.br.

Fonte: VEJA RIO