Cidade

Estado quer cobrar taxa para controlar turismo em Ilha Grande

Como Veja Rio mostrou em abril, balneário sofre com saneamento precário, lixo nas praias e turismo predatório

Por: Redação Veja Rio - Atualizado em

Vila do Abraão
Turismo descontrolado: A ilha conta com 2 000 embarcações, e não há fiscalização para coibir a atuação de barcos turísticos. Nos fins de semana, em média 20 000 pessoas desembarcam no lugar (Foto: Felipe Fittipaldi)

Um projeto elaborado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) promete, mais uma vez, ordenar o turismo na Ilha Grande. De acordo com a proposta, os visitantes que quiserem ir ao balneário terão de pagar uma contribuição, que servirá para preservar a natureza local.

A proposta foi enviada para a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e pretende controlar, principalmente, a entrada pela Vila do Abraão, principal porto de atracação do local. 

A proposta prevê ainda a colocação de catracas nos pontos de embarque no continente, o que atingiria os cais de Angra dos Reis, Mangaratiba e Conceição do Jacareí, assim como no píer de desembarque existente na Vila do Abraão.

O valor da taxa deve ser estabelecido pelo governo estadual. No próximo dia 18 uma reunião deve acontecer em Angra dos Reis para discutir possíveis de controle do turismo de massa e deve contar com a participação de prefeituras locais e órgãos de fiscalização da região. 

Como mostrou VEJA Rio, a Ilha Grande sofre com acelerado processo de degradação ambiental. Sem nenhum tipo de controle, a visitação cresce de forma exponencial e já chega a 20.000 visitantes por fim de semana.

Como não tem estrutura suficiente, regiões como Araçatiba e Abraão sofrem com o despejo irregular de esgoto, assim como o acúmulo de lixo no mar e em terra. 

+ Os animais do Zoológico do Rio pedem socorro 

 

Fonte: VEJA RIO