Histórias Cariocas

Empresário visita oito países a bordo de uma Kombi 1986

Histórias e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins

Pilotando essa Kombi 1986, que também lhe serviu de casa, o empresário Fausto Stuqui, capixaba, morador de Jacarepaguá desde os 2 anos, rodou sozinho por oito países da América do Sul. Foram 307 dias no carro, com direito a motor muitas vezes quebrado, estradas que davam em lugar nenhum e dinheiro sempre curto. Também houve momentos gloriosos, como surfar em Punta Rocas, no Peru, e passar o réveillon (“Loucuras numa praia paradisíaca”) em Montañita, no Equador. Nada disso, porém, o demove de continuar achando o bairro carioca do Recreio dos Bandeirantes, para onde se mudará em breve, “um dos lugares mais bonitos do mundo”. De volta ao Rio, Stuqui retomou seu negócio de comida vegana por delivery, enquanto trabalha no projeto de um livro sobre o passeio. E o viajante solitário (que postou centenas de fotos no Facebook) já planeja seu próximo desafio: cruzar o Oceano Pacífico em um veleiro. Confira ao lado alguns números da epopeia de Stuqui.

Infográfico
(Foto: Infográfico)

Espetáculo das pracinhas

A Quinta da Boa Vista, o Campo de Santana e o Parque Madureira, além de pequenas praças públicas, servirão de palco para um espetáculo de rua com patrocínio da prefeitura, parte dos festejos dos 450 anos do Rio. Seu nome é tão grande quanto o circuito que fará pelas zonas Oeste e Norte e pelo Centro: A Incrível Jornada do Narcoléptico Edmundo em Busca da Impenetrável porém Coração-Nobre Catharina... Ou Ed & Cath, que estreia no dia 9 em Santa Cruz. Na trama, um rei põe a mão de sua filha, a princesa, em jogo. Segunda peça da Companhia Doêrro, ela é centrada no trabalho dos atores. Sem grandes cenários nem figurinos espalhafatosos, a trupe estende a lona na praça, distribui banquinhos e convoca os passantes para ver uma singela história de amor. Confira, ao lado, a programação.

Parque Madureira
(Foto: RioTur)
Infográfico
(Foto: Infográfico)

Nem parece um palácio

Casacos pendurados na maçaneta, vidros quebrados, vassouras à mostra — é assim que se encontra a portaria do Palácio dos Esportes, na Rua Visconde de Inhaúma, no Centro. O título pomposo do prédio remete a um passado distante: ele já foi sede de federações de modalidades olímpicas, mas há anos está abandonado, vem sendo alvo de saques e hoje serve de abrigo a moradores de rua. Uma voz que se levanta contra o atual quadro é a de Cesário Figueiredo, presidente da Federação de Boxe do Rio, que vem chamando a atenção das autoridades do estado e da prefeitura para o problema, na tentativa de fazer com que o edifício volte a ser digno do nome.

Palacio dos Esportes
(Foto: Felipe Fittipaldi)

100 grifes

 

Esse será o total de marcas participantes da próxima edição da feira O Mercado, a partir de sábado (2), batizada nesta vez de Maio das Sereias em homenagem a mães e noivas. Moda, arte e decoração, além de música e gastronomia, formam a base do evento, realizado no salão nobre do Fluminense, em Laranjeiras. Haverá farta oferta de lingeries, assim como de joias e sandálias. Idealizada há quatro anos pelas estilistas Clarissa Muniz e Jê Muniz, a feira chega à sua 24ª edição. Também como parte desse tributo às mulheres, a DJ Graziella Ximenes botará para tocar uma seleção com grandes hits de divas da música pop. Uma das características do Mercado é a presença dos donos de cada lojinha no local (a maioria não tem endereço físico, pois são grifes virtuais), muitos deles artesãos e designers que já despontam na carreira.

Fonte: VEJA RIO