COTIDIANO

Eike Batista participa do lançamento do Rock in Rio 2013

Ao lado do criador do festival, Roberto Medina, Eike anunciou a parceria com a compra de 50% do Rock in Rio

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

eike_batista.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Sétimo homem mais rico do mundo, o empresário Eike Batista participou do lançamento do Rock in Rio 2013, na tarde desta sexta (11), no Rio. No evento, foi anunciada a parceria da IMX, braço da empresa EBX voltado para o ramo do entretenimento, com Roberto Medina, criador do festival. No total, o bilionário comprou 50% da corporação responsável pelo Rock in Rio, a Rock World SA. Negócio que deve render até 350 milhões de dólares de investimentos nos próximos cinco anos, sendo prevista a expansão para novos países, entre eles a China e os Estados Unidos. "É uma marca mundial, que ajudou a consolidar a imagem positiva do Rio no exterior", disse o bilionário do rock.

Ainda segundo Eike, a parceria acontece já em 2012, com as edições na Europa. Em maio e junho, serão realizados shows em Lisboa, Portugal, em junho e julho é a vez de Madri, na Espanha. Em 2013, será a vez do Rio receber a quinta edição, e os shows seguem para Buenos Aires, na Argentina, em outubro do próximo ano. Medina e Eike aproveitaram ainda para anunciar duas atrações do palco carioca, um show com Ivan Lins e e o músico americano George Benson. Trata-se, na verdade, de uma reedição da primeira edição, de 1985, quando os dois também tocaram juntos. Também estão confirmados os roqueiros do Sepultura e o Tambours du Bronx. No total, serão sete dias de apresentações no Parque dos Atletas, Jacarepaguá.

Realizado pela última vez em outubro do ano passado, o Rock in Rio atraiu 700 000 pessoas para a Cidade do Rock, instalada na área do Parque dos Atletas, em Jacarepaguá. Pelos palcos passaram cerca de 200 artistas, entre eles a banda Coldplay, a cantora caribenha Rihanna e Elton John. Além de 2011, o Rio teve edições em 2001, 1991 e 1985. Segundo Medina, a marca Rock in Rio está avaliada em cerca de 150 milhões de euros, aproximadamente 380 milhões de reais.

Fonte: VEJA RIO