economia

Edmar Bacha e Mônica de Bolle

O economista que ajudou a derrotar o dragão da inflação faz tabelinha com a aluna que hoje dirige a Casa das Garças, referência na área

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Fotos: Fernando Lemos Produção: Daniela Arend
(Foto: Redação Veja rio)

Em setembro de 1991, há exatos vinte anos, a moeda vigente no país era o cruzeiro. Atacado constantemente pelo aumento de preços, dois anos depois ganharia o adjetivo ?real? e seria em seguida transformado em URV para finalmente, em 1994, virar o real. Edmar Bacha foi um dos protagonistas da equipe econômica que concebeu e instituiu o plano responsável por domar o dragão da inflação, ao lado do então ministro Fernando Henrique Cardoso e de Pedro Malan. Professor da PUC, ganhou notoriedade ao criar o termo Belíndia, para classificar a sociedade brasileira pós-regime militar: em sua visão, alguns poucos usufruíam condições similares às da Bélgica, ao lado de muitos com padrão de vida comparável ao da Índia. Hoje, ele está no Instituto de Estudos de Política Econômica, a Casa das Garças, na Gávea, dividindo experiência com a ipanemense Monica de Bolle, que ali fez carreira meteórica, de colaboradora, em 2007, a diretora, no ano passado. Aos 36 anos, ela guarda más lembranças daqueles tempos (?Collor confiscou o dinheiro de todo mundo?). E tem um sonho: ?Colaborar com o desenvolvimento do país, como fez o Bacha?.

Fonte: VEJA RIO